Seguidores

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Fonte da Lameira

Pode dizer-se que é um dos sítios mais emblemáticos da aldeia de Forninhos e quase todos devem ter uma recordação que lhe esteja associada – as minhas são muitas! Novos e graúdos por ali já partilharam horas de alegria e de confraternização, tenho a certeza.
A fonte já lá está há muitos anos, mas a cobertura e os melhoramentos do espaço de  lazer envolvente foi construído, salvo erro, na década de 80. E, o que ali temos hoje é uma fonte/tanque público descaracterizada, mas mais do que apontar culpados (talvez todos nós o sejamos, porque com o nosso silêncio somos cúmplices), é imperioso que no futuro não se assista impavidamente à destruição de mais um lugar da nossa História.

8 comentários:

  1. Olá a todos.

    É com muita pena vermos este fontenário desta maneira.

    Esta fonte infelizmente foi descaracterizada pela construção de um coreto, é a prova viva do mau gosto de quem ordenou a sua edificação.

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente na nossa aldeia não se tem dado a devida importância aos antigos fontanários – A Fonte da Lameira - uma referência da nossa aldeia é um “belo” exemplo disso. Eu própria já ouvi alguns turistas que passam pela Casa Fonte da Lameira fazer comentários negativos acerca…mas, adiante!

    Foi edificado um palco ou coreto, sem método, nem regras, uma construção mal planeada. Mas, como sabem, nem só este fontanário foi descurado pelo Município…a Fonte do Lugar também o foi! Eu pouco entendo dos trâmites da política, mas têm feito crer ao povo que a culpa é da Câmara e dos seus Serviços. Mas eu pergunto: então a Câmara decide mexer no nosso património e a JF de Forninhos não se opõe? A nossa opinião não conta?

    O que eu sei e disso não me interrogo, é que este exemplo não serviu para projectos futuros, porque anos depois mudaram a Fonte do Lugar para o meio de uma Rotunda! No entanto, este caso foi um pouco diferente do da Fonte da Lameira, pois a obra não foi pacífica e foram muitos os que se manifestaram contra a alteração, mas mesmo assim é de lamentar que a JF tivesse permitido a deslocação da fonte.

    É urgente (re)pensar prioridades!

    ResponderEliminar
  3. Olá a todos.

    Este palco descaracterizado, não lhe chamo coreto, porque de coreto não tem nada, foi feito para servir de palco duas ou três vezes por ano, quanto a mim, é mais uma aplicação incorrecta do betão armado numa aldeia com a de Forninhos,.
    Quanto á sua fonte, merecia mais um pouco de atenção, vejam como esta fonte, num ano seco como este, ela continua generosamente a jorrar água, com uma corrente suficiente par matar a sede a quem lá for.
    Já agora deixava aqui um reparo, esta água vem de uma mina que entra pelo morro do picão, e, segundo uma placa que se vê, esta água está imprópria para consumo, eu pergunto? Se fizessem uma limpeza na mina, ou mesmo se a agua fosse canalizada desde a origem da nascente, não chegaria noutras condições á bica? Não seria muito difícil fazer este melhoramento.
    Quanto á fonte do lugar, deve ser uma obra única, pois não creio que aja outra igual. Um fontanário no meio de uma rotunda com quatro passadeiras a convergirem para o seu centro, é, no mínimo original.
    E já agora, porque não requalificar a fonte do Miguel, uma vez que esta fonte também tem história?

    Um abraço a todos.

    ResponderEliminar
  4. Bem Visto!
    Um palco que serve 1 ou 2 vezes no ano e pelo que ouço por obrigação, porque até há recusa dos Grupos Musicais de actuarem no mesmo!!!

    Talvez a mania do modernismo, do facilitismo e do cimento armado se esteja a transformar num cancro que a sociedade que se diz moderna, um dia terá de combater com todos os antídotos possíveis!

    Quanto às fontes:
    Será que os forninhenses estão a perder qualidade de vida?
    Será que tudo quanto os nossos antepassados nos legaram estará condenado ao desaparecimento?

    Senão reparem:
    Quer a Fonte da Lameira, quer a Fonte do Lugar, quer ainda a Fonte do Miguel, todas elas têm afixadas placas de aviso "água imprópria para consumo" ou "água não controlada", porque no fundo é mais fácil aplicar a legislação em vigor do que defender a qualidade da água, limpando as nascentes! Pode ser que com a criação da página da Internet da Junta de Freguesia possamos um dia encontrar alguma informação sobre se estão a ser feitas ou não análises regulares à qualidade da água. Fica, portanto, também mais uma sugestão!

    Quanto à Fonte do Miguel:
    Aquela fonte já esteve praticamente soterrada, ficando eu bastante surpreendida quando há mais ou menos um ano me deparei com o local limpo e a fonte visível. Felizmente alguém foi capaz de valorizar aquela Fonte, quando já estava praticamente abandonada.

    ResponderEliminar
  5. Olá a todos,
    Como aqui se tem comentado sobre as fontes, realmente nas duas que mexeram, valiam mais estar quietos, porque estavam muito bonitas como eram antes, apenas precisavam de recuperação e manutenção para que a água continua-se própria para consumo. Falando da fonte do Miguel, essa é que foi pena estar tantos anos esquecida debaixo das silvas servindo de lixeira. Agora que estava a ser arranjada não houve tempo para seguir com o projecto que estava programado, pois nestes últimos anos não havia verbas para isso. Quando tiveram luz verde para avançar não foi possível, pelas razões que todos conhecem. Era para ser feito um belíssimo lago, recuperar a poça onde se lavava a roupa e restaurar a fonte. Reforço a ideia para ver se alguém se lembra de não deixar cair isto no esquecimento.
    Cumprimentos,
    Iracema

    ResponderEliminar
  6. Olá a todos.

    Desconhecia que havia um projecto para recuperação do espaço onde se encontra a fonte do Miguel. Na realidade, este também poderá ser um dos pontos de referência da aldeia de forninhos, desde que seja requalificado respeitando o local onde se insere, poderá, e deve haver o cuidado de melhorar, mas respeitando o passado dos locais. Podem dizer que não há nada de histórico nacional nestes locais, mas é a nossa história, e é isso que importa. Foi feita uma ponte para atravessar o ribeiro; muito bom, recentemente foi limpo este espaço que mais parecia, ou era mesmo uma lixeira dentro da povoação; ainda melhor, e se o novo projecto que estava a ser feito para se criar ali uma albufeira, se é o que eu entendi, será excelente, sendo assim de certeza que o novo executivo não deixará de estar atento a estes melhoramentos.

    Um abraço a todos.

    ResponderEliminar
  7. Também sabia que quanto à Fonte do Miguel havia um projecto em curso, tendo sido o lugar até visitado por responsáveis competentes para o efeito. Nunca comentei, nem postei este assunto, porque como sabem em Forninhos quando se tenta fazer algo de bom, há sempre os maldizentes (veja-se o que aconteceu com o Projecto do Polidesportivo!!!), que acham que só os Projectos deles é que têm credibilidade e êxito!!!
    Quando me falaram deste Projecto da Fonte do Miguel, no próprio dia dirigi-me ao local, tirei fotografias e cheguei à conclusão que a requalificação daquele lugar era uma boa aposta. Imaginei logo como seriam ali as férias de verão!
    ***********************************************
    A Fonte da Lameira era um lugar onde muitas gerações de forninhenses passaram muitos momentos da sua juventude, momentos de grande amizade, para alguns de amor.
    Culpados?Todos nós!Porque não protestamos, não reclamamos, é o deixa andar...se alguém tiver a oportunidade de ver uma fotografia deste fontanário sem a edificação do palco, principalmente na parte principal da bica, verá o quanto a Fonte é bela. Sem querer acusar ou melindrar quem quer que seja, mas tal como fizeram com o alpendre da Capela, a JF com o apoio incondicional que diz ter da CM AGB, deveria seriamente preocupar-se com os fontanários existentes na freguesia.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.