Seguidores

sábado, 16 de outubro de 2021

Os Saraivas

O berço da família Saraiva foi sobretudo Colherinhas, Dornelas.

1. José Ferreira e Ana Saraiva, eram de Colherinhas, Dornelas e tiveram um filho a quem chamaram José Ferreira Saraiva (nesta família há uma sucessão de membros do século masculino como nome de José Saraiva que chegou à actualidade).

2. João da Fonseca, de Forninhos e Ana dos Santos (minha tetravó), da Quinta Ponte, Sezures, tiveram uma filha a quem chamaram Maria dos Santos ou Maria dos Santos Fonseca (era irmã da minha trisavó Ana dos Santos) vide família Marques

3. José Ferreira Saraiva e Maria dos Santos (Fonseca) casaram na Conservatória das Antas (Penalva do Castelo) e tiveram pelo menos três filhos: 

N.º1 José (30-06-1860) herdou o nome do pai e do avô
N.º2 Ana (13-04-1862) 
N.º3 Joaquim (05-06-1864)
José Saraiva faleceu a 17-06-1897, tinha 82 anos
O registo de óbito indica que residia na Moleira, Forninhos e deixou filhos. Maria dos Santos era falecida à data.
O filho José (N.1) casou a 17-04-1882 com Maria de Andrade. Era conhecida como Maria Mello e era filha de António Esteves da Fonseca e Maria de Andrade e Mello .  
Avós maternos: José Ferreira de Mello e Brites de Andrade. 
Avós paternos: José Esteves da Fonseca e Antónia Marques
Curiosidade:
 (o registo de batismo de Maria de Andrade, em 16-06-1857, indica que foi batizada em perigo de vida).

Casamento 17-04-1882 JoséF. Saraiva e Maria Andrade (Mello)

José Ferreira Saraiva e Maria Mello tiveram os seguintes filhos:

- Adelaide (nascida a 06-01-1884), não teve filhos. Casou com Manuel da Cruz Ribeiro, de 23 anos, natural de Casal Vasco, Fornos de Algodres, filho de António Augusto de Albuquerque e de Maria Josefa, em Forninhos, no dia 09-07-1903. 
Casou pela segunda vez com Abel Dias Sobral, natural de Forninhos. Este faleceu em 23-05-1945. Ela faleceu em 27-02-1968.

- Maria (dos Santos) (06-01-1887) só com mais investigação e sobretudo informações dos familiares poderei completar.

- Ana dos Santos (14-10-1889), casou com Francisco Almeida em 1911 e assinava Ana dos Anjos. 
Francisco Almeida era filho de António Almeida ferreiro e Maria Antónia. Tiveram 5 filhos: José, António, Alfredo, Augusta e Teresa.

1- José Almeida casou com Maria das Mercês, de Maceira, Fornos de Algodres (da família do  José Mercês, exposto). Tiveram 2 filhos: Júlio e Fernando.

2- Alfredo Almeida (Saraiva) casou com Maria Augusta Guerra da Fonseca, filha de António Guerra, natural de Forninhos (filho de José Dias Guerra e de Madalena Fernandes) e de Maria dos Prazeres conhecida por Maria da Lameira (filha de José da Fonseca Tavares e Helena de Jesus, de Souto de Golfar, Romãs). Este faleceu em 09 de Agosto de 1943 e ela faleceu em 03-02-1965.
Alfredo e Augusta tiveram 4 filhos: Lurdes, Francisco, Helena e João.
Nota pessoal:
Madalena Fernandes era irmã da minha trisavó Maria Fernandes (Cavaca).

3- Augusta Saraiva. Não casou, nem teve filhos.

4- António Almeida casou com Maria Helena de Cabra, agora Ribamondego, Gouveia. Não tiveram filhos. Maria Helena faleceu no passado 5 de Outubro. Paz à sua alma.

5- Maria Teresa de Jesus Saraiva, nasceu em 1932 e casou com António de Almeida Carreira que nasceu em 1929 filho de António de Almeida e Albertina da Silva Carreira. Tiveram 2 filhas: Lúcia e Zita e emigraram para o Brasil.
Curiosidade:
Este ramo familiar tinha ligações com o Sr. Luís Baptista, da Quinta da Fonte Fria, Matança. Albano da Silva Carreira, casou com uma sua filha, Emilia Andrade, em 04-09-1904. Tiveram um filho a 03-02-1908 a que deram o nome do pai, Albano. Foi padrinho de batismo Fernando da Silva Laires, solteiro de Aguiar da Beira, o autarca Fernando da Silva Laires, principal comerciante em Aguiar da Beira no principio do séc. XX e fundador das Termas da Cavaca.
A família Silva Carreira é originária de Aguiar da Beira.

1917: Publicidade de Fernando S. Laires

- Joaquim (12-05-1892) Saraiva casou com Filomena, filha de Francisca Amaral (a Xiquinha) e Joaquim Moreira e tiveram uma única filha: Maria José Saraiva. 
Na 1.ª República, Joaquim Saraiva foi membro da governança, isto é, pertenceu ao grupo de pessoas que participavam no governo da freguesia de Forninhos (1922-1923, pois os cargos eram quase todos anuais e rotativos). Depois foi para a argentina em busca do eldorado e não mais voltou....

(Deste ramo descenderão os filhos da D. Maria José Saraiva, pelo que fica aqui ainda muito trabalho por fazer...)

- José (20-04-1894) que terá morrido ainda criança (?) porque anos depois nasceu outro José...

- António nasceu a 16-10-1898 e morreu com a pneumónica, segundo informação dos familiares.

- José Maria (nasceu 08-04-1902). Foram padrinhos de batismo a Dona Laura de Almeida Pais, de Forninhos e Jose Maria de Andrade Saraiva, da Quinta de Colherinhas.
Casou com Luísa de Almeida no Posto Civil de Forninhos em 27-02-1935. Esta faleceu em 30-01-1947. Tiveram 4 filhos: Lucília, António, José, Augusta.
(Deste ramo descenderão os filhos da Lucília, António, José e Augusta). 
E, como prometera ao Sr. José Saraiva o ramo materno, sobretudo a naturalidade da sua avó Antónia Lemos, aqui vai:
Luísa de Almeida era filha de Albano de Almeida, de Forninhos (filho de Luís de Almeida e Maria do Patrocinio) e de Antónia de Lemos, da Quinta da Ponte, Sezures, filha de José Ribeiro do Boco, Sezures e de Ana de Lemos, Ponte, Sezures.
Agora é só acabarem esta genealogia...

- Laura, que faleceu a 20-07-1905, tinha 7 meses.

-/-

A filha N.º2 Ana (Santos) casou a 20-11-1878 com António Maria de Almeida Pais, de Demercilo, Sátão, filho de António Maria de Almeida Pais e Dona Maria Augusta de São Bento.
Desconheço se tiveram filhos. A única coisa que sei é que o marido desta Ana era irmão de João Augusto de Almeida Pais, que era o pai da Dona Laura que casou com Luís Fernandes Abrantes (Sr. Luisinho), natural de Figueiró da Granja, Fornos de Algodres.

Casamento Ana e António Maria Almeida Pais

O filho Nº 3, o Joaquim foi baptizado no dia 19-06-1864. Foram padrinhos José António da Silva e Dona Maria Eduarda da Fonseca e Silva, ambos de Aguiar da Beira.

Batizado do Joaquim -19-06-1864

Fico com uma dúvida que se me pudesem esclarecer agradecia: o que aconteceu a este Joaquim Saraiva?

sábado, 9 de outubro de 2021

Mais Meninos Expostos

Surpreendentemente foram mais os meninos colocados na roda. O nome "Exposto" ou "Enjeitado" aparece muitas vezes na identificação das crianças desamparadas e sem família. Foi assim durante séculos, mas é do século XIX que existem mais documentos.

Registo do Casamento de Caetano Silva: 23-11-1839

Este menino enjeitado, chamava-se Cateano da Silva e era filho de pais incógnitos. 
Como recebeu o nome de família "da Silva"?
Ainda não tenho a resposta.
Infelizmente falta coragem para criar um grupo de trabalho para se realizar um estudo mais aprofundado!
Caetano da Silva casou na Igreja de Forninhos no dia 23-11-1839 com Luísa da Fonseca, filha de Manuel Dias, da Matela, Antas e de Maria da Fonseca dos Valagotes.

Registo de Batismo de Maria Piedade - 13-09-1864

Maria do Carmo é mais um exemplo. Foi exposta na Roda de Aguiar da Beira. 
Casou com José de Almeida Esteves, filho de António Esteves de Forninhos e de Maria Almeida, da Moradia, Antas. O casal teve uma filha de nome Maria Piedade, que nasceu a 02-09-1864 e foi baptizada na Igreja de Forninhos no dia 13-09-1864.

Registo Casamento de José Mercês: 30-11-1889

José Mercês terá nascido em Forninhos no ano de 1861. 
Segundo o registo do seu casamento, de 30-11-1889, foi exposto na Matança. Tinha 28 anos e era alfaiate quando casou em Forninhos com Maria de Jesus de 24 anos, filha de José Nunes, moleiro, da Matança e Maria da Fonseca, natural de Forninhos. 
Faleceu em Maceira em 06-04-1938.
Como recebeu o nome de família "Mercês"? 
Segundo anda na tradição, o apelido "Mercês" era do seu pai biológico, um padre-cura da Silvã de Baixo que se chamava Manuel das Mercês e por isso ficou com esse nome.
O nome deste padre cura, aparece em muitos registos de baptismo com ligações a "Rosa Fernandes".
Que relação existiria entre os dois? Talvez um padre e uma criada de servir e um filho abandonado na Matança e que, por descargo de consciência, lhe terá dado o nome à hora da morte?
Registo de Batismo da Umbelina: 05-03-1866

Da mesma altura, em 05-03-1866, o padre Mercês baptizou com a licença do pároco de Forninhos, Francisco de Almeida Coelho, uma criança de nome Eubelina (Umbelina), filha de Manuel Fernandes e Maria Fernandes. Foi madrinha Rosa Fernandes, solteira.
Umbelina, uma pastora, teve no dia 13-01-1888 uma filha que se chamava Deolina (Deolinda) e foi baptizada no dia 12-04-1888. O pai era desconhecido.
Umbelina Faleceu em 16-11-1935.

Registo de Baptismo da Deolina (Deolinda): 12-01-1888

Segundo consta no registo de baptismo, o padrinho de Deolina foi o José das Mercês, alfaiate, natural de Forninhos e residente em Maceira e a madrinha foi a sua mãe Rosa Fernandes, proprietária, natural e moradora na freguesia de Forninhos.
Em 1888 Rosa Fernandesera proprietária e mãe do José das Mercês, natural de Forninhos.
José das Mercês e sua mãe, no mesmo dia 12-04-1888, também foram  os padrinhos de uma menina de nome Rosa, filha de Manuel de Almeida Pimpão, jornaleiro, de Forninhos e Rosa de Jesus, fiadeira, natural do lugar e freguesia da Silvã.

Ligações de parentesco:

→ Rosa Fernandes, era irmã de Maria Fernandes esposa de Manuel Fernandes (pais da Umbelina, afilhada do padre Mercês da Silvã).
→ Manuel Fernandes era filho de António Fernandes e Rosa Ferreira, ambos de Forninhos.
→ Rosa Fernandes e Maria Fernandes eram filhas de João Ribeiro de Forninhos e Maria Fernandes de Moreira, Pena Verde.
→ João Ribeiro e Maria Fernandes também eram os pais de Mariana Ribeiro (não herdou o nome "Fernandes") que casou em 18-01-1863, com Manuel Fernandes, que era pedreiro; vieram a ser os pais de Palmira Fernandes que casou com o  Manuel Ferreira Urbano (eram 4.ºs primos) e da Rosa Fernandes que casou com o José Augusto de Almeida (dos ferreiros), os pais da tia Etelvina Fernandes.
→ O padre Francisco de Almeida Coelho foi o padrinho de baptismo de Palmira Fernandes. A madrinha foi a Rosa Fernandes. Data do batizado: 20-06-1876.
→ O padre Manuel das Mercês foi o padrinho de baptismo da Rosa Fernandes. A madrinha também foi a Rosa Fernandes. Data do batizado: 25-01-1870.

sábado, 2 de outubro de 2021

Genealogia dos Vaz Bernardo

Geneologia dos Vaz, em Forninhos (tinham uma forte ligação com a família mais rica de Forninhos, os Fernandes de Figueiredo)

Os avós mais velhos

Francisco Esteves, de Forninhos e Maria do Patrocínio, de Tamanhos (Trancoso), Bispado de Pinhel, eram os pais de Luís Esteves Vaz. Ele faleceu com 93 anos no dia 25-12-1879. Ela com 83, no dia 18-09-1883.
José Diogo e Francisca Alves, eram os pais de Isabel Alves

→ Nos registos de batismo dos netos, Francisca Alves também aparece com o nome de Francisca Figueiredo, da Moradia, Antas de Penalva.
→ José Diogo aparece como sendo natural de Dornelas e de Pena Verde.

Casamento de Luis Esteves Vaz e Isabel Alves

1. Luis Esteves Vaz viúvo de Josefa Marques casa no dia 07-06-1855 com Isabel Alves, de Forninhos e tiveram um filho no dia 21-10-1859, a quem chamaram Augusto Esteves Vaz. Afilhado de José Fernandes de Figueiredo e Luís Fernandes de Figueiredo (bapizado a 01-11-1859), foi sapateiro e casou com Maria da Conceição da aldeia de Castelo de Penalva, filha de Maria Mota e de pai desconhecido. Tiveram uns 8 filhos

1. Hircolana (Herculana) nasceu no dia 23-12-1882 e foi baptizada no dia 11-02-1882 (foram padrinhos Dona Escolástica e José Maria Alvares Moreira), mas faleceu no dia 13-01-1884.

2. Herculano, nasceu a 06-04-1884; baptizado a 12-05-1884 (foram padrinhos Jose Maria Alvares e sua esposa Dona Prazeres).

3. José, nascido a 25-11-1887; baptizado a 08-02-1888 (foram padrinhos Jose Maria Alvares e sua filha D. Prazeres). Casou com Ana dos Anjos, que faleceu em 16-10-1956 e ele faleceu em 28-07-1965.

4. Augusto, nasceu a 30-10-1889 e foi baptizado a 01-12-1889; Faleceu a 05-10-1892.

5. Mário, nasceu a 06-11-1891  e foi baptizado a 17-12-1891; Faleceu a 29-09-1893 (foram padrinhos José Maria Alvares Moreira e Albina Cardoso, da Matela, criada de servir (diziam no povo que foi amante do Sr. Álvares!!).

6. Augusto (2.º do nome), tinha 32 anos quando casou com a Dona Júlia (Maria Júlia), em 27-07-1921. Faleceu a 09-01-1960, em Santo António dos Olivais, Coimbra. Ela faleceu em 24-03-1969.

7. Tibério, nascido a 07-11-1896; baptizado no dia 06-01-1897 (foram padrinhos José Maria Alvares Moreira, viúvo, e Albina Cardoso, da Matela, criada de servir).

8. Olímpia, nasceu a 29-11-1898, foi baptizada no dia de Natal (25-12-1898). Foram seus padrinhos José Maria Alvares Moreira, viúvo, e Albina Cardoso, da Matela, criada de servir .
Ainda a conheci; casou com António Bernardo (conhecido por Antoninho do Aníbal); Olímpia da Conceição Vaz faleceu no dia 21-09-1981

Luís Esteves Vaz faleceu a 27-03-1898, tinha 77 anos. Isabel Alves já era falecida à data. 

Olímpia da Conceição Vaz e Antonio Bernardo

→ O ramo destes Bernardo tem origem em Vila Longa e Dornelas.

António Bernardo Augusto, era filho de José Bernardo, de Vila longa e de Antónia Jesus, de Forninhos. 
Casou no dia 28-09-1873  (tinha 21 anos) com Josefa Antunes Pires, de 20 anos, filha de José Pires, de Forninhos e de Margarida Antunes, da Matela, Antas. 

Casamento em 28-09-1873

Tiveram os seguintes filhos:

1. Aníbal, nasceu a 16-09-1874; baptizado a 18-10-1874 (com 27 anos casou com Maria da Fonseca, de 23 anos,filha de António Luís da Fonseca e Maria José, de Rio de Moinhos). 
Data do casamento: 20-10-1901.

Família de Maria da Fonseca:

 Em 08-10-1871, António Luís da Fonseca, com 27 anos casou com Maria José, de 28 anos, de Rio de Moinhos. 

Casamento em 08-10-1871

Segundo a informação deixada no registo de casamento, os pais de Maria José, de Rio de Moinhos, eram António Nunes, de Pindo e Ana Gomes, de Rio de Moinhos. Os pais de  António Luís da Fonseca eram José Luís da Fonseca, de Forninhos e Engracia Maria, de Mesquitela de Azurara. 

Engracia Maria, era filha de Manuel Marques e Maria da Conceição, ambos de Mesquitela de Azurara.
→ José Luís da Fonseca era filho de João da Fonseca e Luisa Maria, ambos de Forninhos. Era viúvo de Ana de Albuquerque ou Ana Rodrigues quando voltou a casar em 14-05-1896. 

Casamento em 14-05-1896

Faleceu a 12-08-1900, tinha 55 anos. Fez testamento a favor da sua 2.ª mulher, Luísa Nunes, de 50 anos, natural da Quinta da Ponte, Sezures. 
→ A sua 1.ª mulher era filha de José de Albuquerque Marques, de Forninhos e Rita Rodrigues, de Penaverde. Quando casaram, em 06-08-1866 ele tinha 25 anos e ela 23 anos. 

(Genealogia de Maria da Fonseca inseriada/atualizada a 03 de Outubro)

Batismo de Anibal Bernardo

2. Herminianasceu a 08-11-1876; baptizado a 07-01-1877
3. Celestinanasceu a 01-07-1879; baptizada a 10-08-1879; faleceu 14-10-1879.
4.Esperançanasceu a 24-06-1881; baptizada a 10-07-1881 (casou com António Paulo Craveiro, que faleceu a 24-04-1924 e ela faleceu a 07-09-1964).
5. Auroranasceu a 07-02-1884; baptizada a 09-03-1884 (casou com José de Mello que faleceu em 13-11-1948 e ela faleceu em 07-04-1964).
6. Marianasceu a 18-01-1888; baptizado a 08-12-1887 (foram padrinhos António Tavares, tendeiro, de Vila Franca e Maria Pires de Forninhos)
7. Cecílianasceu a 30-03-1891 e foi baptizada a 07-05-1891 (foram padrinhos o casal Maria Pires de Forninhos e António de Almeida Violeiro, do Casal Vasco).
8. Glória do Céunasceu a 04-07-1894 e foi baptizada a 04-09-1894; faleceu a 09-10-1899 (foram padrinhos o casal Maria da Piedade de Forninhos e Francisco Martins de Sezures).

Nota:
Quer o registo de casamento, quer os registos de baptismo da Aurora, Maria, Cecília e Glória do Céu, dá-nos a informação que António Bernardo era taberneiro, natural de Dornelas. 

Os avós mais novos


O 1.º filho do casal, Aníbal Bernardo e Maria da Fonseca, tiveram 3 ou mais filhos:

1. António Bernardo, nascido a 29-12-1901 e baptizado a 19-01-1902 (foram seus padrinhos o casal António Maria de Almeida Pais e Ana dos Santos). Casou com Olímpia da Conceição Vaz. Deste ramos descenderão os filhos, netos, bisnetos...
2. Ana, nascida a 27-12-1903 e baptizada a 27-12-1904 (foram  padrinhos António Maria de Almeida Pais e Ana Saraiva). Faleceu a 12-10-1907.
3. José, nascido a 06-01-1906 e baptizado a 02-02-1906 (foram seus padrinhos os seus avós paternos António Bernardo Augusto e Josefa Pires).  Faleceu a 28-01-1911.

Fica o principal...