Seguidores

sábado, 5 de setembro de 2020

Entre a Serra e o Mar



O local onde passamos férias, em Altura (praia da Alagoa), no Algarve, deu-nos a oportunidade para fazer paralelismos com a nossa terra natal, Forninhos (Aguiar da Beira), na Beira Alta e desejar um maior desenvolvimento para a mesma.
Há cerca de quatro décadas toda a região que actualmente corresponde à povoação de Alagoa/Altura consistia em algumas explorações agrícolas e casas de pescadores. A região adjacente ao cordão dunar era formada por uma extensa zona húmida e por uma pequena lagoa litoral, da qual existem referências no séc. XIX, na Monografia de Vila Real de Santo António (obra de Ataíde Oliveira), ao passo que nas cotas mais elevadas predominavam os terrenos agrícolas dedicados à agricultura de sequeiro e à produção de citrinos. Contudo, o desenvolvimento urbanístico das últimas décadas converteu esta localidade algarvia numa das principais estâncias balneares do Algarve.
Fonte: Wikipédia.
Eu tenho o privilégio de ter nascido numa aldeia cheia de história, que também tem muito boas condições para se tornar num destino turístico, mas para tal tem de haver vontades, e trabalhar nesse sentido, o que até agora ainda não vi...
Vi foi na semana que passei em Forninhos - de 8 a 16 de Agosto - que a autarquia (Local ? Municipal ? ou ambas ?) preparavam dois terrenos para num fazer mais um Parque de Lazer com churrasqueira, bancos e, noutro, um campo de jogos que inclui ao que dizem um parque infantil e geriátrico.
Porque só pensamos em churrasqueiras, bancos, mesas e afins e não pensamos em infra-estruturas para atrair o turismo e dar a conhecer o nosso património histórico e cultural?
O desenvolvimento dos territórios faz-se com ideias e com projectos que os possam dinamizar e numa aldeia envelhecida e desertificada como é Forninhos não são os parques infantis e campos de jogos que vão impulsionar esse desenvolvimento.
Mais valia juntamente com o Turismo de Portugal fazer-se uma pousada de juventude para estadia no Verão, Outono, Inverno, Primavera. Ou menos atraía jovens. 
Ou, então, criar-se uma Área de Serviços de Autocaravanas, uma actividade de turismo itenerante em franco desenvolvimento.
Era muito bom, ver Forninhos no mapa europeu das localidades amigas dos autocaravanistas. Assim, sim,  ainda acreditava  no "Forninhos com Futuro".
Contudo, espero que as obras corram de vento em popa! A todo o vapor! A mil à hora! Num abrir e fechar de olhos! E não me lembro de mais expressões para dizer que essa obra tenha um final feliz, já que o "Projecto Lameira" que incluia também um parque infantil e iniciado em 2013 ainda está por acabar. 

Ainda de férias, desejo-vos um Bom Setembro!!

Curiosidades:  1)A feguesia de Altura foi oficialmente criada em 11 de Junho de 1993, por desmembramento da freguesia de Castro Marim. A freguesia de Forninhos deverá datar se calhar do tempo em que Penaverde foi vila e sede concelho entre 1240 e 1836. 2) A freguesia de Altura em 2001 contava com 1.920 habitantes e em 2011 já contava com 2.195. A freguesia de Forninhos no mesmo período contava com 272 e 222 habitantes, respectivamente.

30 comentários:

  1. Adorei saber das férias de vocês em lugares bem escolhidos...Muito bom! Ótima continuação das férias! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada.
      Temos a felicidade de ter nascido numa terra linda e calma, em que nesta altura do ano, tempo do corona, o ar que se respira por todo o lado é puro, temos por lá o prazer da sombra das árvores, paisagens verdes e graníticas de encantar, mitologia, diria mesmo que em Forninhos podemos encontrar o que muitos autarcas gostariam de ter para desenvolver a sua região, mas é pena que as autarquias (Local e Municipal) não aproveitem tal.
      Já os autarcas do sul souberam bem explorar a riqueza da sua terra, tornando esta jovem freguesia numa das principais estâncias balneares da região do Algarve que hoje está ao dispôr de todos.
      Recomendo. Vale a pena vir a Altura...
      Bjs, bom domingo!

      Eliminar
  2. Bom dia de Domingo querida amiga Paula!
    Gostei de ver algo bem importante relacionado ao turismo, é preciso muita infraestruturea para que tudo dê certo.
    As praias do Algarve são belas e as águas são azuis como nunca vejo quase. Muitas estão para esverdeadas por aqui ainda que limpas.
    Tenha uma nova semana abençoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom dia Rosélia!
      Só um projecto turístico bem estruturado e com uma estratégia de marketing a nível nacional e internacional poderia vencer. Forninhos em termos turísticos tem um elevado potencial, mas uma freguesia isolada tem poucas possibilidades de vingar, todos sabemos, mas alguma coisa tem de ser feita, caso contrário, o nosso território ficará abandonado e as nossas gentes, que já são poucas, vão continuar a emigrar.
      Falo em território e não aldeias ou lugares porque nós estamos localizados num território composto por outras freguesias com potencial semelhante e unidos tínhamos mais força.
      Há 10 anos atrás um político falou num parque de campismo que poderia atrair muito mercado estrangeiro, principalmente, pessoas preocupadas com o ambiente, mas foi só uma ideia para angariar votos, porque se assim não fosse, quando esteve no poder, poderia o ter feito, mas preferiu vender ao desbarato alguns terrenos da freguesia, com vista para a Serra da Estrela...
      Falta-nos, infelizmente, as bases trabalhadas (equipamentos e infra-estrutras de apoio) e não é mais uma churraqueira, mais uns quantos bancos e mesas ou mais um campo de jogos que nos vai ajudar a sair do marasmo.
      Há por lá um grande problema, maior que o dinheiro, que é falta de gente, sobretudo gente com imaginação para se dedicar de corpo e alma a um projecto dessa envergadura, falam muito num terra com futuro, mas depois parece que não acreditam e daí não apostarem neste tipo de projectos que têm tudo para ser um "volte face" no desenvolvimento sustentado da região.
      Forninhos até já tem há anos um grande ponto de partida, tem três habitações de turismo rural e tem ainda um parque de merendas que dizem ser o melhor do concelho, mas se vão fazer outro, se calhar, é melhor não acreditar no que dizem...
      Há estrangeiros que pagam para vir a Portugal participar nas vindimas (turismo rural).
      A Forninhos nunca vieram porque não é só hospedar turistas e depois que se desenrrasquem, era necessário uma empresa de serviços para oferecer programas e pacotes com "cabeça, tronco e membros" e com isso até se criavam uns postos de trabalho.
      Eu digo não à resignação.
      Bj, bom domingo.

      Eliminar
    2. Tem toda razão, amiga.
      Resignação é um caos...
      Gosto muito das suas respostas e aprendo com elas.
      Bjm de gratidão

      Eliminar
    3. Se puder, amiga. Veja aqui o nosso avô Portugal:
      https://espiritual-amizade.blogspot.com/2020/09/ate-um-dia-portugal-amigo-patria-amada.html

      Tenha um dia lindo!
      Bjm carinhoso e fraterno

      Eliminar
  3. Podíamos ter melhor sorte, mas se calhar temos o que merecemos, ou não...
    Uns, pelo país fora e mesmo em tempo de pandemia, promovem as suas praias quer do litoral, quer do interior, aldeias antigas e remotas, gentes que contam estórias; nós promovemos princípios, tal como um prato suculento sem condimentos para tal. Daí a pompa não de um parque industrial, mas mais uma zona de lazer para crianças e idosos, separados pela estrada principal e imaginem, encostado ao cemitério, sem faltar a churrasqueira.
    Talvez por um lado para os idosos vindos "veranear" para esta estância à sombra das oliveiras transplantadas, cheios dos achaques da idade, se vão acostumando que ali ao lado está a ùltima morada e assim assistem à ùltima viagem daquele partiu, de cadeirinha.
    Talvez as crinças continuem à espera dos baloiços pois o Parque das Galinhas continua no esquecimento, mas o povo já pagou e e se calhar este leva o mesmo caminho.
    E se com o cheiro a porco assado fizer ressuscitar os mortos a poucos metros de distância? vai ser um bico de obra...
    Uma terra que sempre olhou para a barriga e bolsos, uma terra com um potencial turístico invulgar que nunca teve a visão de lutar pelo seu aproveitamento, vejam a beleza e paisagem do Parque das Merendas, vejam o Lugar de S. Pedro, sinto o ar mais puro do mundo e porventura vão-me dizer que até temos casas de turismo rural, mas e pergunto, para turista usar ou subsídios arrecadar, são monitorizadas?
    Mas sabem, até concordo, uma aldeia moribunda, deve estar próxima dos seus e a cada um a sepultar, sai porco assado e "Ò Linda, eu vou-me embora..." e o Parque das Merendas também vai perecendo...
    Afinal pouco interessa, estamos na idade média e orgulhosamente sós...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão. Privilegiam a construção nova em vez de acabar o que já está começado e preservar o que está edificado!!
      Em Forninhos qualquer parque tem os dias contados, mas se querem criar mais um, para termos do que falar nas próximas décadas, força!
      Se calhar todos os envolvidos estão com as melhores intenções, acham que vão atrair gente, mas o caso é sério, penso que se devia repensar a questão, ainda vão a tempo, nem que seja para depois se concluir que a maioria das pessoas quer um novo parque que “não serve para nada” porque não há crianças, nem jovens e os idosos preferem ir para o futuro lar ou comer no Centro de Dia ou em casa!!
      Não sei se a obra é da Câmara, da Junta, sei que qualquer obra, por menor que seja, tem de passar pela Câmara e se ambas forem realistas, sabem que tal não vai beneficiar seja quem fôr que a faça.
      Era preferível uma piscina, sempre era uma obra diferente e sempre beneficiava as pessoas que passam as suas férias de verão em Forninhos e redondezas.
      Todos os forninhenses gostam da sua terra e a desejam melhor e
      acabo a olhar a nossa paisagem; de facto é maravilhosa💚💚💚

      Eliminar
  4. Boa tarde

    Estivemos na Serra da Estela há dias.
    Nevoeiro na Torre .
    11 graus .
    Queijo e presunto .
    Tinto e branco em copos de alumínio.
    Sandes a 4€ . Tintol oferta.
    Fresco e maduro .
    Bebia - se lindamente .
    Almoço assim de pé .
    Junto às tasquinhas do pequeno shoping que lá está .
    Licores . Uma loucura .
    Trouxemos uma garrafa .
    Ambiente típico das gentes serranas
    e beirãs . Lá ficar muito tempo ,
    boa conversa e iguarias .
    Um homem fica apaixonado .
    Brutal simpatia.
    Óbvio que é caro .
    Mas vale a pena .
    É diferente .
    Conforta e alimenta .

    Fica a pergunta .
    Porque razão de fala tão pouco da Serra da Estrela ??
    Ou por outra . Pouca promoção ?
    Apenas porque neva pouco ?
    Quando a Serra é brutal e imensa ,
    Bela , enorme.

    Dali enviam queijo para todo o lado em vácuo . Até para a Madeira , minha terra .E para França para os emigrantes .

    Dizia me um emigrante de copo na mão
    ."praias temos em França...
    Não faço 1700km para ver o Mar .
    Venho para a Serra .
    Isto não temos lá ...."

    Adorei .
    Apesar de ser apaixonada por praia
    Algarve e Alentejo .
    As Beiras estão no meu caminho .


    Abraço

    M Gouveia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os operadores turísticos só conseguem ver o sol, as praias e o mar do sul.
      Eu gosto muito mais do campo, a praia cansa-me, já as nossas serranias enchem-me de ar puro e de qualquer ponto, gosto do que vejo. Aqui encontro o sossego que não encontro nas grandes cidades em qualquer estação do ano!
      Nada como uma aldeia para repousar...
      Hoje a população de Forninhos é diminuta e envelhecida e esse facto talvez motive os decisores políticos na feitura de parques de merendas, sei lá...
      As pessoas mais idosas, têm a sua vida feita e pouco já entendem do presente e não têm quaisquer expectativas quanto ao futuro, bastando-lhes uns eventos para melhor passarem os dias, e nem vejo mal que um autarca lhes traga isso, mas as pessoas mais jovens têm de ter capacidade e objectivos diferentes.
      Os Censos 2021 estão quase aí...depois que vão para os bancos dos parques queixarem-se que isto está mau...que perdemos não sei quantos habitantes, que vamos deixar de ser freguesia...e por aí...
      Abraço.

      Eliminar
  5. ....
    ....

    Na minha opinião e avaliando custos.
    Ir ao Alentejo ou Algarve por estradas Nacionais (poupando custos da Auto Estrada )é muito mais fácil
    que ir às Beiras.
    Basta ver o percurso (impossível !) de Aveiras até Coimbra pela Nacional e ver o percurso ( mais fácil) de Marateca até Albufeira.Por exemplo.
    Mas concordo que as praias e o Algarve são destinos mais vendidos
    pelos operadores turísticos em detrimento das Beiras e Interior.
    E em temos gastronómicos nada tem a ver . As Beiras e Interior não enganam . Um rodízio de peixe no Algarve , cuidado !! A coisa não é bem como se diz ..
    O barato sai amargo .
    É preciso conhecer ..
    Não ir às escuras ..
    Depois temos essa coisa que move famílias . As novas gerações .
    Os miúdos influenciam muito .
    E a praia vence ao Campo.
    É o país que temos sempre desequilibrado.

    Litoral versus Interior .
    Boa semana

    MG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade. Mas eu quando ouço dizer que o Governo nada faz pelo interior fico irritada. E o Poder Local o que faz? Limitam-se a fazer uns melhoramentos a nível de ruas, largos e cemitérios, erguem uns monumentos em homenagem de "A" e de "B" e lá fazem uns protestos quando a escola, ctt ou tribunal da localidade está prestes a encerrar! Ah, fazem também muiiitas festas e comezainas!
      Já no litoral as políticas acho eu são bem diferentes.
      Não admira, pois,os mais jovens quererem passar férias no litoral.
      Boa semana.

      Eliminar
  6. Vale a pena pensar no assunto que é bem pertinente!... Conheço essa região algarvia mas não conheço Forninhos por isso um dia apareço!!!... Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conheço alguns casais forninhenses que passam férias em Altura e julgo que não haverá nenhum que não compare, em termos de desenvolvimento, as duas freguesias, quase gémeas no séc. XIX.
      Forninhos chegou a ter 737 na 1ª metade do séc. XX.
      Vá então um dia conhecer Forninhos. Bj

      Eliminar
    2. Obrigado pela informação... Bj

      Eliminar
  7. Para quem pense que S. Pedro se resume a vestígios antigos, histórias e
    lendas, está enganado.
    S. Pedro foi isto e muito mais.
    Tempos houve e na nossa aldeia muita gente se recorda que tinha "muita vida", fervilhava de gente e muita relha de arado ali se gastou no lavrar da terra para a sementeira do centeio.
    Cada parcela de terra valia ouro.
    Dava-se o bom dia ainda de noite, com as vacas arribando o carro por aqueles perigosos carreiros e muita roda de carro se partiu.
    Ainda tem uma flora deslumbrante, mas também já foi muito rica em fauna.
    Lembro apenas alguns: lobos, raposas, gato bravo, coelhos, lebres, muita espécie de cobras, milhafres, corvos, gaios, pombo bravo, rolas, etc.
    Falo nisto porquê?
    No estudo que vai ser efectuado, parece-me que apenas é direcionado para a vertente da arqueologia.
    Este estudo insere-se no Projecto "EICAM - Estudo Interdisciplinar sobre Comunidades Alto Medievais - séculos V a XI" e o objecto deste projecto diz, cito "... pretende desenvolver um estudo crítico de vários marcadores da actividade humana (bióquimicos, botânicos, faunísticos, arqueológicos, documentais e antropológicos).
    Será que o espírito deste projecto se vai ficar pela arqueologia quando é muito mais abrangente?
    Tipo " tomem lá um rebuçado e agora caladinhos "?
    Isto não é um favor que estão a fazer a Forninhos, mas sim porque finalmente descobriram ou melhor tiveram a coragem de reconhecer o enorme potencial que Forninhos tem em várias àreas, a tal ponto que pode preencher todos os "marcadores", respeitar a dignidade dos forninhenses, não se cingindo apenas quase à exclusividade de Penaverde e Carapito, como consta nas monografias.
    FORNINHOS EXIGE RESPEITO!
    Forninhos quer que se guarde cultura, histórias, tradições e gente com visão que não deixe apodrecer escolas como acontece ao que as poderia rechear, como alfaias, utensílios domésticos, tanta e tanta coisa... que os vindouros e actuais poderiam observar.
    Só é cego quem não quer ver.
    Talvez se insira no contexto passados sete anos que aqui o deixei...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ainda não perdi a esperança de ver reabilitada a "nossa" escola primária para preservar e divulgar a memória colectiva da freguesia; o projecto bem divulgado pode ser um lugar de atratividade cultural e dinamizador de visitantes, desde alunos das escolas do concelho e da região e outros...
      Conhecer o passado é uma boa maneira de viver bem o presente e esperar o melhor do futuro!!
      Quanto ao "Estudo Interdisciplinar sobre Comunidades Alto Medievais - séculos V a XI" nem vale a pena falar (escrever), estenderam-no a Forninhos, somente para justificar o dinheiro que a freguesia pagou à equipa de investigadores que escreveu a monografia cheia de erros e mentiras.

      Eliminar
  8. Um belo sitio para passar umas férias agradáveis e sossegadas.
    Um abraço e boa semana.

    Andarilhar
    Dedais de Francisco e Idalisa
    O prazer dos livros

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este ano foram as férias mais sossegadas de todas as que já vivemos.
      Boa semana para nós!
      Abraço.

      Eliminar
  9. Boa tarde Paula,
    Pois é uma pena ver que Forninhos com tantas potencialidades continue a ver o tempo a passar, desculpe-me a expressão.
    Claro que concordo consigo que tem a ver com vontades. Haja vontade e tudo se faz. No meu concelho (Mação) e nas respetivas freguesias tem havido um homem (ou vários), que mesmo com desertificação não têm desistido de investir na cultura e lazer e promovendo até intercâmbios a nível internacional para além do desenvolvimento local a vários níveis Assim até dá gosto.
    A Paula tem que continuar a bater-se pelo seus ideais, mesmo que não a ouçam. Um dia vão ouvir com certeza.
    Beijinhos e boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há coisas que me cansam, Ailime.
      Iniciaram um parque infantil há meia dúzia de anos atrás, que está por acabar!
      Um parque infantil não deve ser uma obra esquecida, faz falta para alegrar os dias dos miúdos. Porque pode usufruir uma criança em Lisboa ou noutro lado qualquer de um parque e em Forninhos não?
      Na minha meninice Forninhos tinha um parque (eu ainda brinquei bastante lá), mas depois foi transferido para a escola primária, que desapareceu por falta de manutenção ou de interesse de quem devia cuidar do espaço. Nunca compreendi porque é que desapareceu. Talvez houvesse menos crianças na altura e a escola ia fechar portas, mesmo assim não era justificação, sempre haverá crianças de fora.
      E se a ideia é haver intercâmbio intergeracional então há equipamentos de ginástica ao ar livre que até os podiam colocar em vários pontos da freguesia, se há aldeia com boas áreas amplas a nossa era/é uma delas!
      Campo de Jogos? Temos um campo de futebol abandonado, temos uma escola primária com recreios onde é possível fazer um campo menor. Temos ainda um Parque de Merendas, porque não valorizar o que foi feito por outros para então serem credíveis novos projectos?
      Sabe o que a mim mais me surpreende? É nos dias de hoje, haver ainda pessoas com o poder de nos fazer pensar, como o nosso dinheiro é gasto.
      Beijinhos e obrigada pelas palavras deixadas, mas "vozes de burro não chegam ao céu".

      Eliminar
  10. Boa tarde

    Mação está a metade do caminho de FORNINHOS para quem vive em Lisboa.
    10€ x 2 de portagens .

    Aproximadamente.
    O Presidente de Câmara tem voz e liderança .
    Perante os vizinhos de outra cor política . E favores ...
    Até ameaças de morte tem recebido.
    Tenho um amigo natural de Mação .
    Belo lugar ..

    Abraço
    MG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil não comparar a nossa terra com outras terras. Forninhos pertence a um concelho que nem 5000 habitantes tem e a cada década que passa perde mais alguns. Temos uma das mais baixas taxas e natalidade verificadas em Portugal. Por este andar daqui a uns anos encerram uns quantos Centros de Dia!!
      Aguiar da Beira pouco me diz, acho que sempre foi madrasta para Forninhos, somos a freguesia mais distante e nenhum autarca se preocupa em trazer serviços para lá: CTT, Banco ou MB, consultório médico...«nada».
      Só se preocupam com churrasqueiras.
      Como disse acima o XicoAlmeida "Podíamos ter melhor sorte, mas se calhar temos o que merecemos..."

      Eliminar
  11. Ops, perdi esse post, mas vi e li agora e gostei muito. Férias legais, hein?!
    Que Forninhos venha a ser mais e mais valorizada e que belos investimentos sejam decididos, venham à tona...
    C carinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oxalá, Anete!
      Nesta altura "do campeonato" Forninhos já devia ter deixado de ser apenas uma localidade que só os naturais (como nós) visitam nas suas férias; Já era para ser um destino turístico com impacto na promoção do território, bem como no desenvolvimento e na economia local.
      Não quis com este post dizer que esse Parque de Lazer não seja mais uma coisa bonita para a freguesia, porque é, mas não é um projecto credível, não é um projecto de valorização turística.
      Nas aldeias como Forninhos os campos de jogos e parques infantis actualmente estão sem utilização, por falta de crianças e jovens.
      Mas só o tempo o dirá...
      Bj, boa semana.

      Eliminar
  12. Paula,vim avisar que entrou tua foto por lá no MARES... beijos, obrigadão e podes ver aqui:

    https://maresdachica.blogspot.com/2020/10/blog-post_4.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agradeço reconhecidamente a inserção da minha fotografia. Confesso que não conhecia "os Mares da Chica" (que já sigo).
      Bom domingo, Bj.

      Eliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.