Seguidores

sábado, 9 de julho de 2016

Santa Bandeira

O Orago de Forninhos é Santa Marinha, pelo que todos os anos pelo dia 18 de Julho o povo forninhense celebra o dia de Santa Marinha e pelo 17 de Julho, "ou no dia anterior, caso aquele seja impedido" o dia do jubileu das almas. Como tive acesso à proposta feita pelos membros eleitos para o mandato 2012-2013, tal publico porque através deste documento ficamos a saber que a Irmandade de Santa Marinha da aldeia de Forninhos foi fundada no dia 1 de Outubro de 1926, portanto, há quase 90 anos.

Desconheço o documento original, assim sendo, tem-se por certa essa data. 
Tem como fins «1.º) Promover o culto público. 2.º) Acompanhar os irmãos falecidos à sepultura. 3.º ) Enfragar as almas dos irmãos falecidos. 4.º) A santificação dos seus membros».
Não creio Srs. mordomos (dos anos 2012-2013) que no documento original se leia «enfragar», mas sufragar todos aqueles que já partiram e pertenciam à Irmandade! Contudo, tal qual "Maria vai com as outras" lê-se também na pág. 127 de "monografia de Forninhos" isto: 
«...no dia 1 de Outubro de 1926 foi fundada a Irmandade de Santa Marinha, cujos objectivos passam essencialmente por promover o culto público, acompanhar os irmãos falecidos à sepultura e enfragar as almas dos mesmos, e por último santificar os seus membros».
Mas vamos ao que interessa:


A Santa Bandeira, símbolo da Irmandade, tem duas faces. Na primeira, a imagem de Santa Marinha com a palma do martírio numa mão e um livro fechado (símbolo da pureza) na outra mão, e do outro lado



a Mãe e o Menino, com a coroa da glória e ...?  que na festa da Assunção de Nossa Senhora (15 de Agosto) deve, sempre, ser voltada para a frente. Para ser sincera, devo acrescentar que de vez em quando, nessa procissão, a Bandeira vai voltada ao contrário e é pena, é sinal que desconheçam o porquê da Bandeira ter duas faces!
As fotos não estão grande coisa, fui eu que as «bati», mas quis mostra-las para os forninhenses perceberem melhor o símbolo da Bandeira da nossa Irmandade. 
E, para melhor compreensão, publico ainda a imagem da Santa Bandeira antiga (restaurada em 2013) e que se encontra afixada na Igreja, no lado do altar lateral dedicado a Nossa Senhora de Fátima, que tinha no verso, o Sagrado Coração de Maria fora do peito, conforme se lê no Art.º 13.º.


Art.º 13.º: "a insignia da Irmandade sera uma bandeira, tendo de um lado a imagem de Santa Marinha, e do outro a Imagem do Sagrado Coração de Maria".
A actual tem Nossa Senhora e o Menino. Pode dizer-se que simboliza o Sagrado Coração de Maria?

O hábito da Irmandade é uma capa branca com murça vermelha que cada irmão tem a obrigação de a usar nos actos religiosos.

25 comentários:

  1. Gostei de conhecer a Santa Bandeira por você narrada.
    Fotos boas e detalhes de uma linda história...
    Um Beijo e uma boa noite de sábado...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Anete.
      A Santa Bandeira ou Estandarte da Nossa Padroeira (como lhe chamam também), segundo dizem, é pesada e não é para qualquer um...fiz este post porque noto muitas vezes que o seu significado que está bem patente nas imagens é desconhecida mesmo por aqueles que se afoitam a pegar-lhe.
      Querendo, basta, visualizarem os post's que fiz sobre a procissão do 15 de Agosto para constatarem que o que digo é verdade.
      No guião vemos a imagem de Nossa Senhora dos Verdes a anunciar a procissão, mas a imagem de Maria raramente vai virada para a frente!
      Bjo/bom domingo.

      Eliminar
    2. Voltei p parabenizá-los pela bela vitória no EUROCOPA! Hoje, estou com a camiseta/camisola de Portugal, numa carinhosa homenagem aos amigos e país que amo TANTO!
      Vi no time/equipa muita garra, fibra e merecimento!!!
      Beijinhos

      Eliminar
    3. Obrigada Anete pelos parabéns e apoio. Estamos todos muito felizes com a vitória :)))))
      Viva Portugaaaal.

      Eliminar
    4. Com carinho, desejando um feliz fim de semana!!!
      Um beijinho...

      Eliminar
  2. Tambem penso que do documento original deve constar SUFRAGAR, mas tambem estranho aquele dia anterior ao dia 17 de Julho "caso aquele seja impedido".
    Impedido por quem e a que proposito?
    Pessoalmente desconfio que foi para alguem mais uma vez de forma desmesurada brilhar e deixar um cunho pessoal que muda a historia longinqua de gentes de bem por meia duzia de imberbes.
    Acredito que estes jamais serao sufragados pela Irmandade real, mas enfragados pelos demonios que os acompanham.
    Parabens pelo excelente trabalho de pesquisa.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta proposta é de 2013 e no ano 2011 a cerimónia do Jubileu passou para 16 de Julho, porque a Junta de Freguesia resolveu nesse ano comemorar o dia da Freguesia a 17 de Julho, quando o dia escolhido por 'eles' foi o 18 de Julho, mas sobre nem quero voltar a falar...façam-no no dia que lhes der mais jeito, até porque para esse peditório eu nunca dei. Interessa-me, sim, as nossas bonitas tradições.
      É óbvio, que o "caso aquele seja impedido" foi acrescentado tendo em conta o que se passou no ano de 2011.
      E como diz a cantiga: "até o padre ajudou".
      Quem era o Presidente de Junta em Julho de 2011 e 2013?
      Quem era o Juíz da Irmandade em Julho de 2013?
      Este ano vai-se passar mais do mesmo!
      A Junta de Freguesia até já divulgou o cartaz com programa e está anunciado que este ano o dia da Freguesia volta a ser dia 17 de Julho! Também já é público que a Eucaristia de domingo e o Jubileu a SUFRAGAR todos aqueles que já partiram e pertenciam à Irmandade, é no sábado, dia 16 de Julho!
      Portanto...
      E a monografia, não foi concluída no ano de 2013?
      O "enfragar" vem deste documento. Mas sendo, como dizem, historiador e arqueólogos de "alto gabarito", como é que então copiam do documento supra este "enfragar as almas"?
      Grandes catedráticos, sim Sr.!
      A história de Forninhos tem sido alterada por este tipo de gente, que provado está, há muito, que o que querem é ganhar dinheiro fácil, mas mesmo com todas as evidências o certo é que conseguem sempre "levar a água ao seu moínho".
      Isto está aqui um caso de estudo ;-)

      Eliminar
    2. Lamentável, tudo isto indigna quem deseje um Forninhos evoluído , moderno e actualizado, mas alguém teima em fazer as coisas pela calada para não dizer oportunista. Ocupa-se cargos para conveniência. Baldios, Centro Social, Irmandade, Cemitério, Capela e Santos, um autêntico Valentim Loureiro, até com a oposição da Assembleia se correu no seu mandato, uma tristeza. Por mais amigo se seja, as críticas têm que se aceitar, contra factos não há argumentos e os factos estão aí.
      Em Forninhos instalou-se o quero, posso, e mando.
      A Santa Bandeira era pesada mas já não é, de moldura em inox passou a madeira, obra no seu mandato. Melhorou, não sei, o que sei, é que anulou o trabalho dos antecessores.
      Comentários, alguns: quero lá saber que vendam A Igreja, o Cemitério, a Escola, o raio que os parta, pessoas que já não querem saber de nada, vão a eventos só para não serem confrontados, porque não foram. Já se comenta que até com o Padre querem correr, querem novamente o Padre Flor.
      Uma tristeza, se houver investigação sobre os baldios, pode ser que mais alguma coisa vá por arrasto. Forninhos precisa de uma limpeza, a fundo, há muita reciclagem a fazer.
      Quem gosta de Forninhos, não desista de lutar contra as injustiças, corrupções e favoritismos, o caminho fica facilitado.
      Irmandade - estatutos/regulamentos não insere reunião, com os membros/sócios, de apresentação de contas de 4 em 4 anos? Não será, a Irmandade uma Instituição sem fins lucrativos?
      Forninhos=república das bananas, lamento mas é pura verdade, exemplos não faltam.

      Eliminar
    3. O art.º 17 diz quase tudo sobre... a Irmandade que é administrada por uma Mesa, nomeada pelo pároco e formada por um Juiz, Secretário e Tesoureiro é que decide o que fazer e desfazer durante o mandato que dura dois anos. É assim que eu interpreto tal artigo.
      Na concordância, vale isto.
      E mais...eu não estou bem certa, mas quando foi a última revisão, em Julho de 2013, eu estava lá, e acho que convocaram os Irmãos para uma reunião na Igreja, só que devem ter aparecido poucos, porque é como dizes, e muito bem, as pessoas já não querem saber de nada. Também já ouvi algumas dizer que podem vender os baldios todos, os calhaus, os santos, capela, igreja, cemitério...infelizmente a gente de Forninhos pensa assim :-(
      Chego à conclusão que durante estes anos não ouvem ninguém também porque não há ninguém para ouvir. As pessoas calam-se!
      Quando 'criou' o dia da freguesia de Forninhos, numa reunião extra-Junta estava no início do mandato, concordaram com a acção, a partir daí esperavam o quê?
      A seguir correu logo com a oposição porquê?
      Deixo-te, Henrique, uns trechos da Acta n.º 4 da reunião da Assembleia de Freguesia realizada a 18 de Abril de 2010:
      "O Sr. António Melo referiu que em Forninhos se vivia numa ditadura porque os assuntos já não vinham à Assembleia referindo...o dia da freguesia. O Sr. Presidente começou por aconselhar calma com o termo ditadura..."(...). Em relação ao dia da freguesia, referiu que é assunto que não necessita da aprovação da assembleia...".
      Isto foi o começo!
      O problema não está no que é feito, é como tudo é feito!

      Eliminar
    4. Eu penso que daqui a 10/15 anos a geração vindoura nos vai dar valor pelo que estamos alertar, são elas que vão ser juízas do que se está a ser feito pela actual governância em Forninhos. Tudo pela calada, tudo pelo escuro, seja no Centro social, Junta de Freguesia e até na Igreja se quer controlar, é de pasmar. Última reunião de Assembleia agendada para uma Segunda-Feira!!! Sem oposição, caminho facilitado, cópia da acta, talvez daqui por um ano, na melhor das hipóteses.
      Não tenho dúvidas nenhumas, tudo controlado nos bastidores. A redação de informação, pós café, sabe-se onde é, espero que não sobre para uma pessoa só, refiro-me à investigação (em curso pelo DCIAP)) sobre a venda dos baldios. De mais denuncias, já se tomou conhecimento, aguardemos pois, pelo desfecho.
      Os meus parabéns pela partilha deste assunto, desconhecia, este Blog CRESCE a cada publicação, continua, estou com vocês.

      Eliminar
    5. Não sei se um dia nos vão dar valor, Henrique, provavelmente andamos a discutir o sexo dos anjos, por isso desejo resultados nessa investigação, porque todos nós, no nosso posto de trabalho, temos de ser responsáveis.

      P.S 1: Quero agradecer-te, no caso, ter ficado a saber que a moldura da Santa Bandeira é agora de madeira. Desconhecia. Fui agora ver outras fotografias que tenho na 'gaveta' e tal confirmei.

      P.S 2: Uma reunião da AF agendada para uma Segunda-Feira é um bom exemplo, senão o melhor, de como são feitas as coisas na freguesia de Forninhos!

      Estamos contigo também.

      Eliminar
  3. Antes demais, obrigado Paula, pelo envio dos documentos.
    Sou irmão há muitos anos, desde que os meus pais me fizeram membro e desconhecia esta "Proposta" alteração. Pensava eu, sendo membro da Irmandade qualquer alteração dos estatutos, seria informado, já vi que não, a não ser que seja divulgado verbalmente durante as missas!!!
    Pela data, deslumbro uma personagem, aquela que por onde passou, deixou rasto (negativo)como algumas pessoas comentam em Forninhos, mais uma. Onde andaram os estatutos? Será que os tês membros nomeados, o têm? Os estatutos alteram-se sem haver assembleia dos irmãos? Nunca fui "mordomo" e estar um pouco a leste disto tudo, mas vou indagar. Mais um caso, "não sabes, não mexas, podes estragar".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queria dizer, onde andarão os estatutos?
      Regulamentos ou estatutos, para mim, a mesma coisa.

      Eliminar
    2. De nada, Henrique, faço-o com todo o gosto, só que quando o publiquei até pensei que todos os Irmãos tivessem conhecimento deste documento, afinal não!
      Essa personagem está em todas, é facto.
      Quanto aos estatutos, segundo sei, são de 1927, mas não faço ideia em que mãos estão, mas fazia sentido estarem na Igreja, assim como faz todo o sentido haver assembleia de irmãos para revisão dos seus estatutos e até os novos membros da Irmandade deviam ser eleitos e não "anunciados" no final da Eucaristia, mas não vale a pena...Forninhos é uma aldeia sem leis, nem regras.
      Também o que me faz espécie é o ano da fundação da Irmandade. Faz-me espécie ter sido fundada só em 1926.
      Será que não existiu sem Estatutos/Regulamentos, sem existência legal?

      Eliminar
  4. Que legal poder conhecer sobre essa santa bandeira.Interessante! Linda semana,bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na realidade sobre o símbolo da Irmandade sabe-se que não é a original, mas tanto esta como a anterior são lindas e a sua simbologia é interessante!

      Bjs/boa semana tb.

      Eliminar
  5. Mistérios por resolver...mistérios que devem interessar a alguém!
    É de louvar o vosso trabalho em preservar os usos e costumes da vossa terra!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Costumo dizer que um povo só é digno desse nome, quando não renega o passado, o preserva, o estuda, o faz recordar e comover.
      Agora se esta alteração de Estatutos foi feita para alguém brilhar e deixar um cunho pessoal é triste, se o foi em missão de serviço à paróquia e comunidade, mesmo com erros, é de louvar.

      Beijinhos.

      Eliminar
  6. No Regulamento é referido a seu artigo 13.º isto:
    "A insígnia da Irmandade será uma bandeira, tendo de um lado a imagem de Santa Marinha, e do outro a imagem do Sagrado Coração de Maria".
    Durante estes anos, inclusive 2012/2013, a imagem do verso é outra. A primeira santa bandeira, sim, tinha no verso a imagem do Sagrado Coração de Maria fora do peito, possível de ver no lado do altar lateral dedicado a Nossa Senhora de Fátima. A actual tem Nossa Senhora e o Menino, não sei se pode dizer-se que simboliza o Sagrado Coração de Maria.
    Se esta revisão, esta proposta, foi aprovada pelo Bispo de Viseu, não sei, mas se o foi, espero, que se tenham dado conta disto, além do "enfragar", claro!
    Vou publicar uma imagem da antiga Santa Bandeira para melhor compreensão.

    ResponderEliminar
  7. Mais uma partilha interessante...onde a História se envolve em histórias que fzem toda a diferença!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Graça, se partilho a nossa História é para que ela seja mais transparente, de forma a que, as histórias, que as há, sejam claras.
      Bj amigo tb.

      Eliminar
  8. Procissão

    Letra: António Lopes Ribeiro
    Intérprete: João Villaret

    "...Tocam os sinos na torre da igreja,
    Há rosmaninho e alecrim pelo chão.
    Na nossa aldeia que Deus a proteja!
    Vai passando a procissão.

    Olha os irmãos da nossa confraria!
    Muito solenes nas opas vermelhas!
    Ninguém supôs que nesta aldeia havia
    Tantos bigodes e tais sobrancelhas!...".

    Quase um retrato do Forninhos de agora...
    As opas vermelhas como as nossas, mas bigodes arrebitados e sobrancelhas carrancudas para quem nao venera a trilogia actual, clero, nobreza e povo, tudo no mesmo bolo de azeite, feito de ovos, farinha e azeite...
    E o povo continua iludido a marchar a compasso:

    "... Mesmo na frente, marchando a compasso,
    De fardas novas, vem o solidó.
    Quando o regente lhe acena com o braço,
    Logo o trombone faz popó, popó.".
    VIVA O REGENTE, VIVA!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E assim, as gentes vão fugindo, ficam os senhorios mas, com a falta de gente, as terras vão ficando de pouso.
      Evolução? Semente deitada na terra, pelos políticos? O tempo dirá.

      Eliminar
    2. Mas que bela ideia trazes para um post futuro, o pouso ou o pousio.
      Este vai ficar por minha conta, pois tal como tu, vimos as terras ficarem moribundas.

      Eliminar
  9. Te dejo mi blog de poesia por si quieres criticar gracias.
    Me gusta mucho el tuyo.
    http://anna-historias.blogspot.com.es

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.