Seguidores

domingo, 27 de março de 2011

S. PEDRO DE VERONA

Foi ontem inaugurada uma exposição de arte sacra no Seminário Maior de Viseu, onde se encontra exposta a imagem de S. Pedro de Verona, proveniente da extinta capela da nossa Serra:


Como se pode ver pelas fotos, esta imagem com cerca de um metro de altura, de finais do século XVI /princípios de século XVII, esculpida em pedra de Ançã, fica muito bem ente outras peças de arte sacra de incalculável valor.

Sugiro a todos os forninhenses, inclusive, aqueles que se encontram espalhados pelo mundo, para quando vierem passar as suas férias, não deixem de fazer uma visita a esta exposição.

12 comentários:

  1. Ora aqui está um trabalho que revela o gosto por manter as coisas sagradas, limpas e bem tratadas, aos olhares dos que visitam este lugar para apreciar este legado histórico.
    Esta nossa imagem venerou-se na Capela que se edificou no lugar de S. Pedro, na Serra da Gralheira, do antigo concelho de Penaverde. Numa das minhas muitas leituras sobre esta Serra, fiquei a saber que esta imagem de S. Pedro de Verona, mártir da fé, em 1252, não é o primitivo patrono daquele lugar, i.e., desde o princípio do “concillium”. O titular primitivo é o Pescador, pois aparece como Padroeiro de Penaverde documentado em 1320. S. Pedro de Verona terá sucedido ao Pescador. Como desapareceu o Pescador e terá vindo o mártir de Verona? Não se sabe. Sabe-se que o primeiro ficou na toponímia e na lembrança das gentes e como estas nem sempre distinguem dois santos do mesmo nome, preencheram o vazio, inconscientemente, com o segundo, o Veronês.
    Muito útil a indicação desta exposição Sr. Eduardo, esperemos que desperte o interesse de quem de direito, dos que podem tomar medidas de protecção, possam investir num espaço, de modo a que o património de Forninhos não fique fechado “em redomas”.

    ResponderEliminar
  2. Olha....duas matérias super interessantes.Salgar a carne em uma salgadeira,e algo que nem me passava pela cabeça,e tudo tão bem feito,bem organizado com compartimentos....
    Aqui no Brasil ainda se usa muito no interior salgar as carnes,na fazenda de um dos meus tios e seguido exatamente assim,já que e uma fazenda de gado,esse mesmo gado vai de uma fazenda a outra por causa do pasto.Tem energia eletrica mais não tem geladeira,as frutas vem do pomar,as verduras e hortaliças da horta e a carne e salgada e depois colocada para marinar,até o seu uso.Mas as carnes são salgadas em bacias ou tôneis.
    Outra coisa que adoro e nunca perco são estas amostras de Artes Sacras,amo,vou sempre que posso,ou nas cidades que visitamos a passeio,as Igrejas e museus NUNCA são esquecidos.
    Em Setembro fomos a Paris(esta foi a minha ultima viagem de porte,as outras por aqui mesmo),fomos as Catedrais,Notre Dame e outras que podiamos visitar e ficamos maravilhados com o que vimos.Em Lisieux as Igrejas são tão antigas que causa até um certo medo,realmente lindas e austeras.
    Não se pode perder estas oportunidades,estas Artes contam muito sobre o Pais,sua cultura,sua história da época.
    Imagine o que vocês resgatam com esse Blog,com os encontros,fico olhando as fotos doadas para este fim,olha que iniciativa mais linda destas pessoas,mesmo que as fotos não fiquem em um lugar aberto para esse fim(História de Forninhos),mas resgata a vida dos Forninhenses atravéz delas e de Histórias divulgadas pelos antigos moradores.
    Bjs
    Deusa
    vasinhos coloridos

    ResponderEliminar
  3. Paula,
    Adoraria ver suas coisas,amo colchas,rendas,crochês,coisas de casa,Tenho algumas peças que ganhei de casamento de parentes do meu Marido que moram na Ilha da Madeira,e em Lisboa,Coimbra.
    Cada peça mais delicada que a outra,adoramos(mulheres brasileiras)estas coisas de casa,ao contrário do que se mostra na TV,estamos muito mais para casa,familia,sossego e paz do que para carnaval e novelas.
    Beijinho linda
    Deusa
    vasinhos coloridos

    ResponderEliminar
  4. Paula,

    Seria uma alegria muito grande poder visitar esses lugares que conheci através de você. Quem sabe um dia. Tenho planos de ir à Portugal, não sei quando.rs
    Imagens lindas. Beijos

    ResponderEliminar
  5. Cara Paula:
    Qual e o documento que refere esse patrono em 1320!
    Sempre entao e verdade que esse templo era o paroquial de Penaverde?

    Um abraco de amizade.

    ResponderEliminar
  6. Caro Albino,
    Este templo é nada menos que o paroquial de Penaverde, sim, que terá substituído um templo pagão.
    A referência ao documento de 1320 que refere que o primitivo patrono foi S. Pedro, o pescador, encontra-se no Livro “Penaverde, Sua Vila e Termo” do Pe. Luís Lemos.
    Pena é não restar nada deste Templo, pois poderíamos ver onde encaixava a imagem. Esta de S. Pedro de Verona, por exemplo, tem cerca de 1 metro de altura, será que encaixava num nicho à medida desta imagem ou a imagem do primitivo era mais pequena?

    Está a interrogar-se: Se o primitivo Padroeiro foi S. Pedro, Pescador, onde está então essa imagem?
    Talvez por lá enterrada (???).

    Aquele abraço.

    ResponderEliminar
  7. Engraçado o que me disse,sabe que o que importa em um Blog e o fato de se trocar idéias,tem gente que coloca um post e fica dias,o importante são as trocas,receitinhas,paninhos,conselhos,coisinhas de casa.As vezes um mesmo vaso roda a casa toda,que importa.As mulheres gostam de trocar ideias,tudo nos interessa,cabelo,maquiagem,dicas,filhos,marido..a vida esta tão complicada,a violência tão desmedida que as amizades virtuais tem esse lado positivo,você não precisa sair de casa.Não que você deva ter só amigos virtuais,e mais uma valvula de escape...um mundinho particular.
    Não e o seu caso,mas tem blogs que são de mulheres simples que nunca trabalharam fora,mas que nos dão uma lição de vida,e isso....uma troca de carinho.As minhas coisas são realmente um pouquinho mais,e que sou sacoleira,gosto de comprar coisinhas,aqui no Brasil temos muiiitas lojinhas de R$1.99 e a gente adoraaaa.Não serei hipocrita de dizer que não tenho coisas mais caras,mas o que faz sucesso são aquelas que todas podem adquirir.Você já viu como adoramos coisas de supermercado?,jarras de plastico em forma de abacaxi...pratinhos,xicaras....kkkkk.
    Paula,somos mulheres e temos sempre algo a contar a trocar a falar,e você ja tem este jeito bem nosso de falar,não sei te dizer em que momento percebi,mas percebi.....e um jeito bem parecido com a Sissmar,a Luarte,a Xano,a Dama das Camélias(querida),a Patricia,Bruxinha...simples,cordial,feminino e doce.
    Beijinhos
    Deusa
    vasinhos coloridos

    ResponderEliminar
  8. P.S.:O documento de 1320 a que se refere o Pe. Luís é um Roteiro das Igrejas de 1320-21. Mais diz sobre a imagem primitiva:
    "Tem esta aproximadamente meio metro de altura, um livro na mão esquerda - símbolo doutrinal do "apascenta as minhas ovelhas" - e as chaves, símbolo do poder supremo, na mão direita.".

    No documento de 1320, todas as Paróquias que têm S. Pedro por padroeiro estavam sob o patrocínio do Apóstolo (Pescador).

    Muito mais haverá para dizer do Padroeiro e da Capela. Se houvesse interesse pela nossa História teríamos conversa para dias e dias.

    ResponderEliminar
  9. Boa tarde a todos.
    Gostaria, e compete-me fazer aqui uma correcção, quando digo: finais do século XVI/princípio do século XVII, devia dizer século XV, que é a ultima informação disponível e que está mencionada na placa identificativa da imagem exposta, e onde consta a sua proveniência.

    ResponderEliminar
  10. Eu já tive a oportunidade de me referir num outro Post à imagem de S. Pedro de Verona, que foi martirizado em pleno Séc. XIII, tendo na altura até questionado se a imagem era do Século XVI.
    O Sr. Eduardo refere que a informação mencionada na placa refere o Século XV, é de crer que sim, o culto de S. Pedro de Verona terá chegado até nós ou no final do Século XIV ou no seguinte (XV), mas há que referir também que esta imagem está incompleta. S. Pedro tinha um cinturão, com chaves, acessórios que pelos vistos desapareceram!
    Isto ainda o podem confirmar algumas pessoas.

    ResponderEliminar
  11. Cara Paula:
    Onde poderei adquirir esse livro do Padre Luiz?

    ResponderEliminar
  12. Como o próprio nome indica, a obra relata a história de Penaverde sua vila e termo, com um capítulo dedicado às freguesias do extinto concelho de Penaverde: Forninhos, Dornelas e Queiriz.
    Para os que quiserem adquirir o Livro, obtive agora a informação de que o Livro se encontra à venda no Posto de Turismo em Aguiar da Beira.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.