Seguidores

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O rio vai cheio

Este Inverno está a ser muito rigoroso...
com muito frio e também chuva...


Falar do frio que se fez sentir nos últimos dias e da chuva, são temas aparentemente banais, mas que fazem também parte da nossa vivência.

7 comentários:

  1. a chuva revitaliza os campos, mas não só os rios andam cheios de água, também nós andamos.

    cumprimentos

    ResponderEliminar
  2. As chuvas pesadas deste inverno têm provocado enchentes e estragos por todo o lado. Diz a sabedoria popular “Janeiro geoso e Fevereiro chuvoso fazem o ano formoso” “Quando não chove em Fevereiro, nem prados nem centeio”.

    ResponderEliminar
  3. Vamos ver o que Março e os meses subsequentes nos reservam…
    Mas no dia de hoje (26-Fev-2010), a julgar pelas previsões do estado do tempo para este fim-de-semana, poder-se-á dizer que a cheia ainda vai no adro…

    Cpts,
    Paula

    ResponderEliminar
  4. Olá a todos,
    Eu como muitos de vós já tive o prazer de tomar banho nesse rio e é impressionante comparar estas imagens com a altura de verão onde a água desce tanto que nalguns sítios é possível passar-se a pé.

    Abraço
    David

    ResponderEliminar
  5. Ola a todos!!!
    O rio vai cheio ja galgou as suas margens...
    A chuva é necessária para a agricultura e não só, mas neste momento ja esta a dar muito prejuizo com tantas indundações que tem provocado.
    Espero que o S.Pedro tenha dó de nós e mande o SOL.

    ResponderEliminar
  6. Já chove!!!

    Março. Marçagão, de manhã Inverno, de tarde Verão. Será???

    ResponderEliminar
  7. Estas imagens do nosso Rio inspirou-me a ler o poema “O Tejo é Mais Belo”, do livro “O Guardador de Rebanhos”, de Alberto Caeiro, heterónimo de Fernando Pessoa.
    Diz o poeta que “E por isso porque pertence a menos gente, é mais livre e maior o rio da minha aldeia”. “Poucos sabem qual é o rio da minha aldeia, / E para onde ele vai, / E donde ele vem”.
    E… prossegue o poeta "Ninguém nunca pensou no que há para além / Do rio da minha aldeia"./ “O rio da minha aldeia não faz pensar em nada / Quem está ao pé dele está só ao pé dele”.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.