Seguidores

segunda-feira, 29 de julho de 2013

As "doceiras" de Forninhos no tempo...


Daqui a uns dias vou de férias e, por isso, volto sine die com um novo Post. Até lá... do baú deixo para todos os bloggers, seguidores e também para quem passa em silêncio, uma foto antiga que eu, num impulso, roubei à minha mãe e hoje disse-lhe que ía publicá-la no blog. Então falámos sobre uma tradição que se perdeu na voragem dos tempos, as "doceiras" que vendiam no Terreiro da Senhora dos Verdes "santinhas de açúcar" "beijinhos multicoloridos" "doce-Teixeira", etc...e brinquedos. Que a minha tia Ana Matela noutros anos também o tivesse feito, é que eu não sabia, apenas sabia que os meus avós vendiam nas festas e feiras.
Quem conseguir identificar este local, hoje diferente, assim como as pessoas que estão retratadas, deixe o seu comentário.

Beijos &Abraços a todos!

40 comentários:

  1. Paula, que bom que também tá chegando o dia das suas férias... Todos precisamos desse tempo de vez em quando... APROVEITE BEM!

    "Bom roubo" da foto... Acho legal a profissão de doceira! Amo doces!!

    Um beijo e até já...
    Lembranças/abraço p Xico... Vocês sempre presentes no Vida & Plenitude... OBRIGADA!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelas palavras amáveis.
      Depois de tanta energia posta nesta página, preciso mesmo fazer uma pausa no blog.
      Mas vão ser só uns dias...porque isto do homem ser um animal de hábitos (e a mulher também) faz com que não me livre desta "rotina" por muitooo tempo ;)

      Abraço.

      Eliminar
  2. Belo impulso e belo roubo, pela beleza e sentido da foto.
    Perto do adro, da Senhora dos Verdes, nao restarao duvidas suponho, e as doceiras, sem serem a tal obrigadas, gostavam pelos vistos de colaborar com a familia.
    Devera ter sido engracada a diversao desses tempos, que pouco recordo, infelizmente, sendo que a unica pessoa que identifico na foto, do nosso lado direito, a figura linda de tua mae, Ema.
    Parabens e quem sabe um dia nesse local se reconstituam momentos tocantes como este.
    Obrigda e um abraco.

    ResponderEliminar
  3. Esas "santinhas de açúcar" "beijinhos multicoloridos" "doce-Teixeira", etc...e brinquedos...¡¡¡Que buenos debían de estar!!!
    ¡¡¡Felices Vacaciones!!!
    Abraços.

    ResponderEliminar
  4. Paula,

    Nesse caso, o roubo valeu a pena. Risos.
    Muito legal essa foto!
    Amiga, desejo maravilhosas férias. Aproveite bastante.
    Estamos saindo de férias quase ao mesmo tempo. Volto dia 16/09.
    E, mesmo viajando, não esquecerei de vocês.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Na medida do possível postarei novas mensagens. Até lá, retribuo umas maravilhosas férias e faça boa viagem.
      Beijos**

      Eliminar
  5. Destes doces, beijinhos e santinhas, gostaria de satisfazer a curiosidade e saber o caminho que percorriam ate virem parar ao terreiro da Senhora dos Verdes.
    Dos beijinhos recordo aquela poupa colorida, cada um com sua cor.
    Mas nao sei se eram caseiros ou comprados nalguma fabrica artesanal.
    Devera haver quem saiba como se fazia uma banca tao bonita e recheada como a da foto.
    Abracos.

    ResponderEliminar
  6. Embora para as minhas "bandas" essa tradição não tivesse vingado, gostei do post.

    Votos de boas férias.

    xxcucoxx
    lourical.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  7. Lindoi trazer essa lembrança da tradição! Pena que se perdem as coisas!


    Beijos, boas férias e descanso! chica

    ResponderEliminar
  8. Podemos ter feito progresso por um lado, mas as Santinhas de açúcar e outros doces típicos (que acho vinham de Viseu) davam outro "sabor" às festas!
    Esta fotografia com algumas dezenas de anos, certamente com mais de 40, foi tirada junto a um castanheiro, onde é hoje a vinha do Agostinho Lopes. A minha mãe conta que naquela altura não deixavam vender dentro do Terreiro.
    Outros tempos!
    Agradeço no entanto que quem souber ou tiver recordações dos velhos tempos, possa acrescentar algo mais. Obrigada.
    - À esquerda, a minha tia Ana Matela;
    - À direita, a minha mãe.
    Se não conseguirem, por não conhecer, identificar a miúda e o rapaz de óculos, eu dou a resposta um dia destes...

    Obrigada a todos pela dedicação ao "blog dos forninhenses" e...então @té um dia destes;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Posso estar enganado, mas o dos oculos parece o Avelino Teixeira. Nao sei, mas sei que a beleza esta na senhora tua mae. Parabns que ainda hoje continua linda e afavel.

      Eliminar
    2. É isso mesmo.
      Ou seja: é o Avelino. A miúda é a minha prima Rosa, filha única do meu tio Zé 'Matela', morador na aldeia vizinha da Matela.

      Eliminar
  9. Que saudades Paula, ver esssas fotografias tiradas mesmo do baú! E a receita desses docinhos que vejam a luz do dia muitas vezes.
    Boas férias.
    Agosto farei a pausa merecida também
    Bjis

    ResponderEliminar
  10. Esses beijinhos Xico também os havia em dias de festa para os meu lados. Não sei se era corante; sei que os achava lindos, mais que gostosos...
    Gostava mais dos "casadinhos".
    Grande abraço querido amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade querida amiga, tempos...
      Mas por cá, como diz a Paula no post, também vendiam brinquedos. Os moinhos coloridos soprados pelo vento na ponta de uma estaca levantada por um rapaz, e as flores de papel, os pífaros de barro, toscos mas lindos, piões e castanholas andaluzas.
      Grande abraço, Manuela.

      Eliminar
  11. Em agradecimento às pessoas da foto, cá vai:

    Forninhos teve doceiras
    Alegres e divertidas
    Honradas e trabalhadeiras
    Que não devem ser esquecidas

    Eram as doceiras em Forninhos
    Uma forte tradição
    Vendendo santas e beijinhos
    Comprados como recordação

    As doceiras vão acabando
    Nas festas não de veêm mais
    Mas é bom ir recordando
    Coisas que eram boas de mais

    ResponderEliminar
  12. Xico, adorei teu comentário.Uma poesia! Lindo! abraços,chica

    ResponderEliminar
  13. Que saudade das doceiras, em minha infância adorava ir as carreira para comer os maravilhosos doces. Tinha um senhora Dona Avenina esta faziam os melhores doces. Que pena que perdemos essa maravilhosa tradição.
    Vamos fazer uma dupla, a chica canta nossas músicas gaucha e o Xico os fados portugueses.
    Bjos e Aluap tenha uma férias maravilhosas aproveite cada momento, depois nos conte as novidades. Fiquem com deus.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No final de um dia menos bom, ri a bandeiras despregadas.
      Anaja, so por brincadeira, a Lusofofonia em pleno, que merece.
      Gosto de escrever na brincadeira por vezes sentida, mas o intimo vou arrecadando, para mim e um dia publicar. Coisa seria.
      Ri ao ver o filme, musica nordestina, gaucha e fado.
      Tetrico no bom sentido, mas podera resultar desde que fique meio calado.
      Sabes como sou teu amigo, por isso tomo a liberdade respeitosa de te lancar um desafio.
      Tu e teu marido, organizam a vinda da vossa e nossa comunidade e a gente vos espera com amor e carinho.
      Desculpa mas nao paro de rir, a Chica a cantar forro.
      Eu a cantar Amalia.
      Tu na viola e teu amor na guitarra.
      Bela cena. Vamos arrasar.
      Sorte da Paula que fugiu deste pesadelo, por estar incontactavel.
      Beijo grande, Anaja.
      A festa da Senhora dos Verdes esta proxima, esperamos por voces para o ano.

      Eliminar
    2. Rapaz, fiquei super feliz com o convite, não convida duas vezes quando menos esperar estamos ai.
      Tu não ri que aqui todos cantamos ou pensamos que cantamos ahahahha, temos um amigo que canta muito bem e seguidamente fizemos uma janta aqui em casa e eles vem e cantamos a noite inteira, é uma festa, fizemos isso ha 28 anos. Um dia tu vem para participar da nossa ronda festiva.
      Quem sabe na próxima festa estaremos ai.
      Bjos e tenha um ótimo fim de semana.

      Eliminar
    3. Convido mais uma vez, esperamos!
      Havendo clima, bom peixe frito do rio e bom vinho, o normal, quarente e oito horas, sobram para um dia.
      Seguintes, descanso, os outros nao querer partir.
      Forninhos tem encanto.
      Aguardo a resposta ao convite, as damas, primeiro.
      Dpois, adormecer ao som da musica gaucha. Imagino A doutora Chica.
      Percebe, a partilha inocente, pode dar encontro de ideias, voce catedratica, sem pressuncao, nos abraca.
      Na simplicidade e carinho por esta pequena e linda terra que queremos divulgar sem interesse, a nao ser o genuino.
      Beijo, Anaja.

      Eliminar
    4. Peixe frito que delicia, mas o vinho eu deixo para vocês, meu marido e minha irmã gostam muito de vinho, eles tem um estoque que dá inveja nos botiqueiros. hahahah
      Tu sabe que fizemos um lago aqui em casa, agora em janeiro morreu quase todos, compramos ração e ela devia estar envenenada, agora começamos a criação novamente, tínhamos peixe muito grande. Aqui pescamos muito é no mar, quando vamos para praia só levamos sal e arroz o Edson sempre pega peixe. Aqui o que mais dá e a papaterra, tem outros mas gostamos mais desse.
      Eu adoro decoração, mas não fique triste preconceito tem em toda parte, o importante é ser feliz, temos que viver sem se importar com a opinião alheia sempre tem um para nos apontar o dedo podre. Sempre digo para meus filhos e digo para ti, ignore e siga em frente.
      Então tens dois filhos, meninos ou meninas? Os meus tem 7 anos de diferença. São pessoas muito boas para mim, as vezes penso que nem mereço tanto. Faço tudo por eles mas também cobro demais, minha filha se forma agora em fevereiro, uma grande de alegria para nós.
      Bem escrevi de mais, para não dizer falei demais, hahah como tu viu eu falo demais eu e o Edson, aqui brigamos pela palavras, hahah imagina dois que falo demais, mas ele me ganha no grito. hahah
      Tenha um ótimo início de semana.

      Eliminar
    5. Há esqueci, parabéns pela linda poesia.

      Eliminar
  14. Foto histórico, saudosismo de um tempo que não volta mais..as doceiras, com essas maravilhas que nos encantam.
    Abraços.Sandra

    ResponderEliminar
  15. Excelente recordação....
    Votos de boas férias....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  16. Oi Aluap, desejo que suas férias sejam maravilhosas. A foto também me remete ao passado, quando criança, havia os vendedores de doces, cocada e quebra-queijo, rsrs, um doce gostoso, mas difícil de comer, que passavam na nossa rua, com seu chamado, "olha o doce", corríamos à porta pra comprar, era muito bom!
    Adorei a foto, e a poesia do Xico Almeida fechou com chave de ouro tudo que representa a bela foto.
    Aproveito para agradecer a simpática visita do xico lá no meu jardim, e pela oportunidade de conhecê-lo.
    Beijos!

    ResponderEliminar
  17. Não conheço as "doceiras", pois a minha aldeia é lá mais para o centro, mas a imagem me transporta para os meus tempos de menino, nas festas de Verão. Que boas recordações: um bolinho e um pirolito...
    Um abraço, Paula,
    Manuel Tomaz

    ResponderEliminar
  18. Muito interessante o blog parabéns! Um abraço! já seguindo aqui.

    ResponderEliminar
  19. É uma fotografia pitoresca, com tradições típicas do seu país. Não tivemos essas tradições no Brasil. Boas Férias! Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  20. Querido amigo,
    Volto porque vou fazer uma pausa em agosto. E a tom genuíno deste blog faz com que sinta um pouco de tudo: nostalgia, saudades, que são tantas e recordações iguais ou parecidas- da adolescência/infância! A Toca do Caçador, em Covas? Sei! Ah, mas as papas de sarrabulho só no Minho e andam muito alteradas Xico! Aliás tudo o que diz respeito ao sarrabulho, nada é igual ao do Minho. Por exemplo os "bolachos" feitos com farinha de milho, e a rojoada não tem nada a ver com a "batatada"... que fazem noutros lugares
    Tão bom ver e ler toda esta envolvência que nasce da serra (e não só). Mas entendeu, não entendeu Xico? Aproveite Agosto e almoce no Bem Cozinhado em Brufe. Deixe-se conquistar pelas águas de Albergaria e descanse sob a folhagem da mata com espécimenes únicos no mundo.
    Boas férias e aquele abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas ferias amiga Manuela, aonde quer que esteja a usufruir.
      Adoro a minha aldeia, mas tenho um carinho muito especial pelo Geres.
      A funcionarias que comigo trabalhavam, aquando do casamento, recomendei Rio Caldo, a Vila e almoco na Toca.
      Adoraram, mas sobretudo a Mata de Albergaria, parando aqui e acola, na sombra milenaria dessa flora unica, tal como os Marcos que assinalam a Rota de Santiago.
      Em Forninhos, santinhas e beijinhos, no Minho, provei e gostei dos bolachos em Terras de Bouro.
      Portugal tao diferente e tao igual.
      Abraco.

      Eliminar
    2. Citou Geres. Creio ter editado um livro cuja capa é uma foto do local que cita.
      Xico, esteve no Espelhando, muito me deixou contente.
      Bjins Catiaho Alc./

      Eliminar
  21. Boas e doces férias, Xico.
    Beijo

    ResponderEliminar
  22. Xico muito obrigada pelas palavras de conforto que deixaste no seu comentário, muito obrigada pelo apoio, sensibilidade de captar o momento que estou passando.
    Lindas palavras. Abraços.Sandra

    ResponderEliminar
  23. hola

    here via pedro.
    um bom fin de semana.

    beijos!

    ResponderEliminar
  24. Voltando para deixar um abraço aos amigos Paula e Xico!
    Até breve... "TUDO DEUS FAZ FORMOSO NO SEU DEVIDO TEMPO." EC 3.11

    Muita Paz!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  25. Olá Paula, lindo recordar esses tempos numa foto preciosa. Grata por partilhá-la, porque me reporta também à minha infância e me faz recordar pessoas que guardo para sempre no meu coração. Excelentes férias. Beijinhos Ailime

    ResponderEliminar
  26. Olá Paula!
    A foto de outros tempos! É bom recordar!
    Boas férias! Um abraço.

    ResponderEliminar
  27. Uma relíquia, essa foto, deve ser guardada a "sete chaves, essa preciosidade.Imagino, o imenso significado, para quem é da terra. Parabéns, a vocês todos que fazem este espaço, por preservarem costumes, trazendo ao presente fatos passados.
    Um abraço,
    da Lúcia

    ResponderEliminar
  28. No passado dia 15 de Agosto, na festa da Senhora dos Verdes, recordei esta foto.
    Por impulso ainda olhei para os lados mas, doceiras nem vê-las.
    E não é que fiquei com saudade...

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.