Seguidores

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Hino de Forninhos

A Sra. Mariana Vaz, de Forninhos, fez-nos relembrar o chamado "Hino de Forninhos" que se cantava, com frequência, em honra da nossa aldeia, quando havia encontros festivos ou serões de convívio. Começava assim:

O meu distrito é a Guarda
o meu concelho é Aguiar
A minha terra é Forninhos
E a minha pátria é Portugal

I
Forninhos é terra linda
Nada tem que invejar
Fica na encosta da Serra
Vê o Rio Dão passar

Composto o refrão e música pelo Sr. Professor José Sobral, apresentou-se Forninhos no Cortejo das Oferendas com o queijo da serra e com os versos que escrevi aqui.
Mas em Forninhos, desde meados dos anos 60 (e durante todos os anos 70 e 80), um edifício da Igreja, a que chamávamos "O Centro", serviu de centro de cultura popular. Era lá que havia cursos, teatro...e nessa altura o Sr. Pe. Matos fez a nova composição do "Hino de Forninhos", de acordo com o que secularmente se produzia de modo a cobrir as necessidades locais e com a música da canção dos Cortejos.

 
II
É cercada de oliveiras
Esta aldeia, sem rival
Produz bom milho e centeio
Não lhe falta o bom pinhal
III
No concelho é a primeira
Na produção do bom vinho
É uma terra hospitaleira
Tem de tudo um bocadinho.

O pinhal (as matas) para além de prover o forno e o lar, oferecia resina.
Dos cereais panificáveis só o centeio e milho é que se produzia em quantidade apreciável. O trigo, mal chegava para as sementeiras, revertendo o sobrante para as filhoses e bolos de azeite.
Não se usava pão de trigo, a não ser para as morcelas.
Já o azeite há 50 anos não chegava para os gastos. Mas isto, claro, observam os de idade e saber.
O forte da agricultura em Forninhos, segundo o hino, era o vinho. Pois. Era o vinho.



Para além do que se produzia, o Sr. Pe. Matos, Pároco de Forninhos de 1962-68, classificou ainda o património da freguesia, assim:

IV
Na parte nascente fica
Branca ermida da Senhora
Nós dos Verdes Lhe chamamos
Por ser deles protectora.
V
No topo da freguesia
Como anjos, a velar
Fica a Escola e o Centro
E a Igreja Paroquial

Desde essa época, de vez em quando, canta-se isso, para lembrar o nosso lindo torrão natal, fielmente e sem erros...
Mas em Julho/2016, a Sra. Mariana Vaz alterou os  III  e V versos/quadras e acrescentou mais dois versos/quadras.
Peço que cliquem nos documentos para ler algo como isto:

No topo da freguesia
Como anjos, como anjos, a velar,
Fica a escola e o centro
Fica a escola e o centro
Para todos ajudar


Tem fornos comunitários
E fontes, e fontes, com tradição
Onde o povo se reune
Onde o povo se reune
Partilhando Amor e Pão.

Etc. e tal...

Será que a Sra. Mariana Vaz quer intitular-se autora do hino escrito há 50 anos? Estranho não é?

sábado, 20 de agosto de 2016

Festa da Assunção de Nossa Senhora

Pus-me a pensar que muitos dirão que os post´s que faço sobre as festas são sempre a mesma coisa, mas quem me conhece e gosta de me ler. mesmo que critique, sabe que não, pois o tempo passa pelas pessoas e também pelas coisas e todos os anos, sendo o mesmo, é diferente. Basta ver:


Os guiões 'flutuam' ao vento que desafia quem os transporta.


Cumpriu-se a tradição, com Nossa Senhora voltada para a frente, como deve ser no 15 de Agosto. 


Forninhos evoca no dia da Assunção, Nossa Senhora dos Verdes


Missa Campal no Santuário de Nossa Senhora



A Banda de Manteigas, veio dar música ao acto litúrgico,


 tornando-o muito mais bonito!


Encostados à sombra dos Cruzeiros também assiste-se à missa


Diz a lenda que certo dia, uns caminhantes detiveram-se para matar a sede numa fonte e enquanto bebiam repararam numa bonita imagem de Nossa Senhora, como colocada ali ao lado ler maisTalvez em vez da fonte, fosse um ribeiro, o ribeiro que corre na parte de baixo da Capela, seja como fôr e tendo em conta a lenda (ou não!)...muitos anos depois o Santuário ganhou uma fonte, por iniciativa da Junta de Freguesia de Forninhos.


Um grande Bem-haja aos mordomos que, com trabalho, motivação e muita vontade, cumpriram o seu objectivo e a todos o que colaboraram para o bom êxito da maior festa de Forninhos.
Que os próximos mordomos consigam dar continuidade à tradição!

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Festas de Verão 2016

Já cheira a férias, festas e romarias...e quando isso acontece estamos quase de volta à nossa terra...Forninhos.
O cartaz da Festa em honra do Santo António dos Valagotes já circula e (quem sabe!) já enfeita alguns postes de electricidade...pronto, alguns pinheiros!
Como é de tradição a mordomia promove no sábado, à tarde, um torneio de sueca e o grupo musical K5 actuará à noite.
A mordomia da Festa da Senhora dos Verdes de Forninhos ainda não divulgou o cartaz com o programa, mas este ano é um daqueles em que o feriado do dia da Assunção, 15 de Agosto, calha à Segunda-Feira e teremos mais gente migrante (digo eu!).


Com muitos portugueses a irem e a chegar de férias também a partir do dia 1 de Agosto o blog entra em regime de férias, o que não significa parar, pois logo que possível o cartaz da festa de Forninhos será aqui inserido, bem como algumas imagens da nossa festa em honra da Senhora dos Verdes.


Como o prometido é devido, divulgamos o cartaz da festa de Forninhos, que vimos no dia 04-Agosto-2016 exposto no 'Café Paga-Pouco' de Forninhos. Que sejam repletas de animação e tradição.
Boas Festas!

terça-feira, 19 de julho de 2016

Forninhos - Memória de um dia histórico

A famosa cabine da luz
Hoje fui reler o que escrevi há uns anos sobre a inauguração da luz eléctrica em Forninhos. Isso aconteceu na minha terra no dia 19 de Julho de 1959, ainda eu não era nascida, mas quem viveu esse dia recorda uma festa rija, abrilhantada com a banda de Vila Cova à Coelheira, foguetes e banquete privado no jardim da casa da Sra. D. Olímpia, tudo para receber as autoridades oficiais e outros convidados...se não estou em erro confeccionado pela Sra. Luz, do ti Serafim. As raparigas de servir fardaram-se, como mandavam as normas da altura, pode vê-las AQUI. Há ainda quem saiba dizer o que comeu ao almoço. Há ainda quem diga que o dia da inauguração eléctrica foi o maior acontecimento de sempre na nossa terra. Toda a gente dançou, grandes e pequenos...e no fim da festa foram muitas pessoas até ao Carvalho da Cruz acompanhar a música.
Este é sempre para mim um tempo de recordar a forma como foi criado há 7 anos o "Dia da Freguesia de Forninhos", sem terem em conta a data de 19 de Julho de 1959, que foi de facto muito importante e fundamental para o desenvolvimento da nossa terra, na época e no futuro.
A memória deste dia merecia realce, mas escolheu meia dúzia de sumidades ligadas à junta de freguesia e "instituições da terra" o dia de Santa Marinha (18 de Julho), quando há muito uma Lei, publicada a 20 de Abril de 1911, determinou a Separação do Estado e da Igreja!
Tanto amor e devoção à 'padroeira' e, afinal, nunca é celebrado a 18 de Julho!

sábado, 16 de julho de 2016

Dias de canícula



Forninhos, 34 graus neste momento. Por lá a canícula de verão queima o rosto e a bica da fonte da Lameira generosamente jorra água, com uma corrente suficiente para refrescar os forninhenses e matar a sede a quem lá fôr com água da mina do Picão.