Seguidores

quinta-feira, 13 de junho de 2013

O Altar, N.S. dos Verdes, ao longo dos tempos

Num recente 'post' escrevi sobre o roubo das imagens dos Santos da nossa Paróquia. Volto a este tema, por não me sair da cabeça, mas prometo que na próxima semana regresso aos temas da cultura popular.
O lugar reconhecem de certeza, mas vamos ver, uma imagem que muitos de nós não se lembrarão de ver, do altar mor da nossa Capela, mais propriamente o lugar da Senhora dos Verdes:


Se repararem bem verão que ao lado da imagem da Senhora dos Verdes e de Santa Rita estão outras imagens. Ao lado da Senhora, é nada mais, nada menos, que o S. Matias. Sim!
Estão a interrogar-se: Mas se um é o S. Matias, então que imagem está ali ao lado de Santa Rita?
Digam-me lá, não parece o S. Pedro Apóstolo?


E, por onde andam hoje essas imagens?
A pequena imagem da Senhora dos Verdes, bem como a imagem de Santa Rita, sabemos, foram roubadas do seu santuário no ano de 1998. Foi depois, em 2011, encontrada a Santa Rita.
...Mas quero fazer notar que entre 1982/1985 foram levadas a cabo, pelo Instituto José de Figueiredo, obras para limpeza e conservação da talha dourada e pintura. Presumo eu que a 1.ª imagem é de 1982 e, de 1985 ou 1986, a 2.ª imagem; e nada me impede de pensar que as pequenas imagens "desapareceram" aquando das ditas obras.


Mas o que também vem, aqui, à liça, é o nome daquele outro santo. Eu nunca ouvi falar deste, nem do roubo.
Alguém tem uma vaga ideia?

As fotos foram cedidas, por: Ricardo Guerra - primeira; João Albuquerque - segunda; al cardoso - Contribuidor - terceira. Bem-haja aos três.

30 comentários:

  1. Uma pena esses roubos, mas aqui também muitos acontecera,! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente, vemos coisas dessas acontecendo até mesmo em Igrejas... Às vezes, fico pensando no que a mediocridade do ser humano é capaz de fazer; roubos/abusos em museus, cemitérios, hospitais... O meu pai costumava dizer: Deus é Bom, o homem é perverso! Realmente, o homem sem Deus é capaz de muita coisa ruim, não é mesmo?...

    Um abração, Paula...

    ResponderEliminar
  3. Sê é!
    Na nossa terra há, pelos vistos, roubos que ficaram por registar e contar...
    Desta vez, mais uma imagem desaparecida da nossa Capela de que nunca ouvi falar - mas espero que alguém se lembre que imagem é e se foi "roubada" ou não...se não fica mais este registo aqui..e a fotografia que se publica.

    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  4. Bem haja pela mencao a minha pessoa, mas nao "havia necessidade"!!!

    Nao seria de admirar que a tal imagem que refere fosse o S. Pedro apostolo, a ser verdade ai estaria a explicacao que nos da o Padre Luis de Lemos, dizendo que originalmente a igreja de S. Pedro situada na serra, era dedicada a esse santo, sendo o patrono da "Terra de Penaverde" em epocas medievais! Que pena nao haver uma fotografia em ponto maior!

    Um abraco a todos os forninhenses.

    ResponderEliminar
  5. Exactamente caro amigo!
    A mim não me sai da cabeça que esta imagem pode ser a de S. Pedro Apóstolo o primitivo patrono da extinta Igreja de S. Pedro que aparece como Padroeiro de Penaverde, em documento de 1320 (Roteiro das Igrejas).
    S. Matias, dizem-me, tinha aproximadamente 60 cm de altura e note-se que o Sr. Padre Luís refere na sua obra que a imagem de S. Pedro Apóstolo tinha aproximadamente meio metro de altura!
    As respectivas imagens têm nada mais, nada menos, essa medida!
    Onde estão essas imagens, eis a questão!

    ResponderEliminar
  6. Quem tiver outras fotografias do altar da capela e queira contribuir com blog dos forninhenses, um espaço que se dedica à história e memória de Forninhos, faça-o pessoalmente ou através do meu email, pois só assim conseguiremos pôr todos os leitores a par da história e notícias da nossa terra.
    Agradeço eu e agradecem todos aqueles que têm interesse em descobrir mais acerca de Forninhos e das gentes que por cá habitaram.

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde.
    Assim parece, já várias Igrejas e Capelas foram e vão sendo alvo de furtos, tal como a nossa Capela Senhora dos Verdes, ali já estiveram imagens de Santos e quão valiosas seriam hoje, onde estão?
    É bom saber que ainda á pessoas que se interessam, pela cultura dos nossos póvos e que registão cada momento para mais tarde recordar...pelos menos isso.

    ResponderEliminar
  8. Aqui em Salvador, as igrejas são equipadas com seguranças, pois os roubos estavam sendo demais..tanto das imagens quanto dos fiéis!!
    Abraços.Sandra

    ResponderEliminar
  9. Paula,

    No Brasil, algumas Igrejas ficam de portas fechadas quando não tem ninguém pra tomar conta. Na minha Paróquia, tem seguranças durante o dia e a noite. E, pelo que sei a coisa está ficando cada vez pior por lá.
    Aqui, mesmo na Catedral que é enorme e sempre com Missas lotadas, as pessoas deixam a bolsa no banco na hora da comunhão. Confesso que custei a me acostumar com isso. Rs
    Aqui na Igreja que frequento, as pessoas deixam chaves de carros, etc. Eles não levam nada quando vão comungar.
    Não é o paraíso, mas ainda temos alguma segurança.
    Uma pena que as imagens não foram recuperadas. Ainda bem que ficaram essas fotos como lembrança. Imagino como vocês devem se sentir em relação a isso.
    Um lindo final de semana pra vocês! Beijos

    ResponderEliminar
  10. Não sinto desprovida de cabimento a ilação que a Paula retira dos argumentos apresentados, em aquela ser a imagem de São Pedro Apóstolo. Afinal outrora tão venerado no seu culto, mais recentemente "venerado" no "milagre" do desaparecimento. Voragem de apetites desvairados e malignos.
    O altar da capela despida das suas antigas imagens, reflecte bem ao que a arte sacra, chegou em Forninhos. Se vão para restauro, não fica salvaguardado o seu regresso. Porquê?
    Não admira, pois mesmo aquelas cujos rapinadores estão identificados, continuam ausentes.
    Recordo o tempo em que na nossa terra eram escassas as televisões.
    Então, nós, garotos, íamos vê-la para a"casa do padre". Na parte de baixo, aonde, recordo bem, abundavam imagens sacras, espalhadas e abandonadas, ao Deus-dará!
    Algumas com restos de tinta, outras já sem braços, metia dó.
    Mas, encostadas, e carregadas de pó, lanternas, pendões rasgados, sei lá, tanta coisa!
    Onde pára tudo isso, ninguém é responsabilizado?
    Certo é que alguém tinha as chaves...

    ResponderEliminar
  11. Sabes uma coisa, o pior, é que mesmo a olharem todos os dias para este blog de história e memória, particulares e "instituições", não tomam consciência que Forninhos perde a cada dia que passa património. Ninguém liga...sejam objectos religiosos, sejam velharias.
    Mas há pessoas que sabem onde pára (ou foi parar ) muita coisa que escondiam nas "catacumbas" da casa paroquial (hoje desactivada), só que preferem esconder isso do povo comum. Acho que, por isso, em tempos uma pessoa disse-me que devia dedicar uma etiqueta aos "perdidos e achados” da nossa paróquia ...o órgão…os primeiros e segundos quadros da via sacra...o confessionário... etc...ao que respondi que na nossa terra existe medo de falar/criticar o que de mal se faz e são poucos os que dão opinião.
    Em tempos, também escrevi que muitos bens da nossa Igreja e Capela, desapareceram precisamente sempre que houve obras de restauro ou simples pintura. Hoje, olho para as fotos aqui publicadas e mais certezas tenho que as duas imagens, a que nos vimos referindo, sumiram nessa época de obras de conservação da talha dourada e pintura.
    Só que, em Forninhos tudo isto é bem aceite ou houve ali um surto de amnésia e toda a gente sofre dessa doença!
    Não deverá ficar sem alusão a Santa Rita. Felizmente voltou à sua casa - Forninhos - mas nunca mais se viu no altar mor da Capela da Senhora dos Verdes, certamente, porque alguém assim o decidiu!
    Está hoje "fora" para restauro, tal como a maioria das imagens da Igreja Matriz. Louvores aos beneméritos! Mas pessoalmente acho que são raríssimas as paróquias ou mesmo nenhumas que mandam para restauro todos os santos e santas, deixando todos os altares da Igreja despidos!
    O lógico, salvo melhor opinião, era levar dois de cada vez. Vinham uns, iam outros. Porque até podia ser o caso (Deus queira que não), de não os entregarem e...depois como era?
    Depois, ficava-se sem a Santa Marinha, São Mártir Sebastião, Nossa Senhora de Fátima, Sagrado Coração de Jesus, Menino Jesus, São José, Santo António...e Santa Rita. E, era uma grande perda!

    ResponderEliminar
  12. Muito bom dia para todos.
    Muito interessante estre post aqui trazido pela Paula, como aliás todos eles, mas este, sobretudo pela foto onde mostra que já houve tempos em que não havia nichos para todos os santos de Forninhos e agora não há santos para os ocupar; para onde foram? Se calhar, para o céu… Bom, mas o que eu queria comentar era mesmo o meu ponto de vista sobre a hipótese desta imagem ser a do S. Pedro apostolo patrono da extinta capela da serra; não me parece, e isto em minha opinião, claro.
    O S. Pedro de Verona veio ocupar o lugar deste santo, porque este, possivelmente desapareceu, e se desapareceu não podia estar nesta ermida quando a foto foi tirada, não acham? A não ser que entretanto tenha sido achado algures como aconteceu com a Sra. da Lapa, que foi encontrada por uma pastora de Quintela, mas se assim fosse, possivelmente acontecia um “milagre” que ficaria para a posteridade, e não há nada que se saiba sobre este santo da serra, possivelmente poderá estar ainda bem escondido sob qualquer uma das muitas lapas que há na serra.
    A única coisa que sabemos sobre o assunto, é que o santo que o substituiu, é S. Pedro de Verona, uma imagem feita de pedra proveniente das pedreiras de Ançã (localidade perto de Coimbra), que data dos finais do seculo XV, e que neste momento sabemos onde se encontra e como ali foi parar, e que possivelmente foi encomendada para substituir a que tinha desaparecido.
    Desconhecia que havia também uma imagem de S. Matias para além da do nicho do portal da capela da Sra. dos Verdes, ou será a mesma imagem?
    Excelente esta foto, que não só prova a presença desta imagem, como a sua altura aproximada.

    ResponderEliminar
  13. Sim. É a imagem do S. Matias do nicho da Capela. Aqui encontra-se no mesmo altar de Nossa Senhora dos Verdes, se calhar para fazer companhia à outra pequena imagem, do lado da Santa Rita, que na procissão do 15 de Agosto era/é transportada num andor.
    Como ontem fui contactada por um forninhense que têm em sua posse uma outra fotografia do altar, restaurado e com as pequenas imagens em ponto maior, vamos ter de aguardar e então, por semelhança, ver melhor de que santo se trata. S. Pedro Apóstolo ou outro. (??). Segundo informação parece ter na mão um cajado.
    Também concordo com o amigo Eduardo. A imagem de S. Pedro Apóstolo da capela que havia na nossa Serra desapareceu e não há notícia que tenha sido levada para Forninhos, ao contrário, do Santo Mártir S. Pedro de Verona. Mas pode por lá estar enterrada.
    Li esta passagem, no livro do Pe. Luís Lemos:
    “O respeito que ao povo merecem as imagens religiosas leva-o a ter por elas, depois de desafectas ao culto, uma veneração quase supersticiosa. E, assim, não servindo para estar na igreja, devem ser enterradas. Por este princípio quem sabe quantas preciosidades não haverá escondidas e talvez irremediavelmente perdidas?!
    Em 1993, em Maceira, foi encontrada enterrada e já carcomida uma imagem de St. António.”.
    Posto isto, muito obrigada Sr. Eduardo por elogiar os nossos post´s. Há leitores que não sabem que fazer um post leva tempo, sobretudo agora que o material escasseia e, então, quando se sente que a divisão está consumada a disponibilidade nem sempre é a maior, mas vamos continuar com aqueles que, com muito ou pouco nos apoiam.

    Despeço-me aproveitando para desejar a si e a todos um bom domingo.

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde amigos continuem sim, sempre a defender o património da vossa aldeia! Pelo que li anteriormente até se saberá onde as imagens dessa belíssima capela se encontrarão (pelo menos o São Matias) e há que repô-las nos seus devidos lugares! Desejo-vos continuação de um bom domingo e que como costumo dizer tantas vezes, que Deus nos acuda!))! Boa semana também. Beijinhos Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não. A verdade é que do São Matias há quem se lembre vê-lo no nicho da nossa capela e também sobre o altar. Mas está a imagem desaparecida, assim como está a pequena imagem de Nossa Senhora dos Verdes, com o menino ao colo, que era transportada na procissão em honra da Senhora dos Verdes. Fazia-lhe companhia, no mesmo altar, a Santa Rita e, em tempos, uma outra pequena imagem de.......?
      A imagem de Santa Rita foi depois encontrada pela Polícia Judiciária e voltou, mas para o altar-mor da Igreja matriz de Forninhos, como já referi antes.
      Portanto, Santa Rita é a única que sabemos onde se encontra, mas no altar mor da capela hoje só lá mora a imagem grande da Senhora dos Verdes (vidé 3.ª imagem, de 20 Maio de 2013).
      Nos altares laterais, temos mais duas imagens: Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora do Leite. Faremos também um dia alusão a estas.

      Eliminar
  15. MISTÉRIOS DA MINHA ALDEIA...
    Poderia ser o título de uma crónica ou de um romance com nuances policiais, tal a riqueza de enredos. Ou um filme de suspense que mete vilões!
    Se calhar um filme da vida real, atendendo a
    que as personagens existem.
    Adiante...
    Este tema aqui colocado, é demasiado sério, por isso incómodo para muita gente. Mete pesos de consciências conspurcadas, escudadas no silêncio que por artes maléficas lhes foi incutido.
    O pacto do silêncio!
    Mas, qual o interesse em as pessoas de Forninhos não se unirem, se esta demanda em saber se na imagem está o S. Pedro Apóstolo ou outro, é no interesse de todos; se as imagens roubadas por pessoas conhecidas, estas não são chamadas pelos nomes.
    Dirão, isso já foi há tanto tempo que ninguém se lembra. Puro engano e a prová-lo está este blog, que dia-a-dia, traz descobertas e novidades, factos novos que a muitos causa incómodos tremendos e esses saberão porquê.
    Talvez o regresso de mentalidades à idade média.
    E os desaparecimentos dos últimos anos, também já ninguém se lembra, ninguém acompanhou obras de restauro, ninguém inventariou os restauros e os regresos de imagens?
    Algumas quase cabendo num bolso ou debaixo do casaco. Mas as "peças" grandes, como o orgão ou o confessionário, será que foram levadas às costas na calada da noite?
    Por isto e muito mais daria um filme real, mas que metesse polícia judiciária.
    E no medo habitual, alguém abriria o bico.
    Valha-me Deus, se encontram o fio à meada, vai ser um descalabro!

    ResponderEliminar
  16. Um grande obrigado a Esse forninhenses que se disponibilizou a fornecer a foto que pode contribuir para desvendar o "mistério" de S. Pedro Apóstolo.
    Só prova que ainda há em Forninhos gente de coragem que não faz parte do pacto.
    Para essa pessoa vai um sentido e caloroso abraço.

    ResponderEliminar
  17. Hoje não vou optar por falar das peças em falta, mas da 2.ª foto, que mostra os dourados e pinturas e da 3.ª foto que fala por ela...
    Pergunto:
    Se o edifício é propriedade da Igreja Católica e, por consequência, privado, sabem porque é que a nossa Diocese não financia os restauros dos altares e a talha dourada que os envolve?
    Muitas pinturas já mal se vêem...e há que recuperar o que ainda escapa.
    Da nova imagem, gosto muito, mas tenho tido alguma dificuldade em perceber qual a cor original da Nossa Senhora dos Verdes e do menino ao colo. Podem comparar as duas fotos.
    Estou, por isso, muito curiosa para ver a cor das imagens de Santa Marinha, Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora da Conceição, etc...e tal...

    ResponderEliminar
  18. Boa tarde.
    Torna-se de facto contagiante, uma obervação mais atenta das três fotos e a distinção de diferentes pormenores entre elas. Temos que:

    Na primeira foto, Nossa Senhora veste um manto verde-escuro e tem na cabeça uma coroa baixa e dourada.

    Na segunda foto, o manto de Nossa Senhora é de um verde mais claro mas, o que me chamou a atenção é que tanto Ela como o Menino, usam coroas altas prateadas. Ambos.

    Na terceira foto, o manto mantém o verde, mas mais vivo, possívelmente por ser pintura recente, sendo o resto de côr avermelhada, o que contrasta com as duas imagens anteriores e aqui apenas Nossa Senhora usa coroa, alta e prateada, aparentemente igual à que ostenta na foto número dois.

    O Menino já teve coroa, como comprova a imagem. Pergunto, por onde andará?
    Será que qualquer dia, quando restarem apenas aqueles caixotões do tecto, artísticamente pintados com figuras de diversos santos, estes não cairão em "mãos alheias" ou então pelo seu abandono e falta de manutenção?
    Quem souber que responda!


    ResponderEliminar
  19. As coroas prateadas existem, acontece é que a do menino não se segura bem na cabeça; a coroa dourada faz parte integrante da imagem e é a base, digamos, onde a coroa prateada encaixa.
    A coroa ou coroas são postas só nos dias das romarias - a 2.ª e 3.ª imagens foram tiradas na festa do 15 de Agosto e no Espírito Santo, respectivamente.
    Falta na 2.ª imagem a Santa Rita e Nossa Senhora dos Verdes (pequena) por fazerem parte dos andores na festa anual à S. dos Verdes.
    O roubo destas imagens é recente, roubaram-nas há uma dúzia de anos ou talvez menos. Já os Santos pequenos dos lados, não desapareceram na mesma altura.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Paula, pelo esclarecimento.
      Como vou andando minimamente atento, deduzi o pior, por a tal nos habituarem. Engano feliz.
      Vão-se os santos mas salvam-se as coroas. Milagre!

      Abraço.

      Eliminar
  20. Passei por aqui, Xico, e deixei-lhe um grande abraço!

    ResponderEliminar
  21. Sempre conheci o altar da Sª dos Verdes assim, pois só comecei a frequentar essa terra a partir de 1986, mas sempre ouvi contar que as imagens foram levadas por alguém conhecido e muito ligado à igreja, o que é uma pena a serem os próprios a subtrair esse património, aquele a que o Xico se refere de estar na cave da casa do padre, esse foi só uma questão de deixar passar o tempo, e entrar no esquecimento, para depois então serem levados pelos interessados no seu desaparecimento em proveito próprio, e como sempre só os mais ligados é que sabiam destes objetos e fim lhes dar.
    As obras de restauro do altar da capela também serviu para encapuzar o desaparecimento de alguns santos, na qual fazem uma viagem se retorno ao seu lugar de origem.
    Sabemos também que os amigos do alheio circundam estes lugares para na altura certa fazerem as suas visitas, será que existe alguma queixa contra incertos na questão de assaltos à Sª dos Verdes, se não existe alguma coisa se passa.

    ResponderEliminar
  22. São obras de arte e de grande valor, sempre tem um aproveitador. Estas obras certamente estarão na casa de algum colecionador. Aqui também já roubaram muitas imagens de valor.
    Uma pena pois este altar é infinitamente lindo.
    Tenham uma ótima semana.

    ResponderEliminar
  23. Desculpem mas não resisti em transcrever uma canção dos Cabeça no Ar "A SEITA TEM UM RADAR",
    que penso descrever a seita da nossa terra

    "No meio dos amigos, aprende-se muito mais;
    Do que em todos os manuais, histórias de fazer corar;
    Coisas da vida reais, que nos querem ocultar
    Quando os dias incertos, franzem o seu sobre-olho
    E ate os céus mais abertos, nos correm o seu forrolho
    Quem é que não nos enjeita,
    só a seita, so a seita

    Refrão
    A seita tem um radar, que apanha tudo no ar,
    Na seita não ha papão, tudo tem explicação

    No meio das amigas, aprende-se ainda mais
    Vai- se mais longe que os sonhos e que a imaginação
    As ciencias naturais, cabem na palma da mão

    Refrão
    A seita tem um radar, que apanha tudo no ar,
    Na seita não ha papão, tudo tem explicação

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para quem não percebeu, a "seita" somos nós, os de "cá", mas também da terra, que lutam pela transparência.
      Se calhar esperavam que o elogio fosse para quem o não merece...

      Eliminar
  24. Pois é amigo João. Disso por ti referido parecem existir poucas dúvidas, às pessoas ligadas à Igreja é que o povo, se não fosse mole, devia pedir responsabilidade. Agora as peças ou estão bem guardadinhas ou longe de Forninhos!
    Quanto a queixas apresentadas - que se saiba, a única que existiu ou existe, foi quando roubaram da Capela a imagem de Santa Rita e Nossa S. dos Verdes, ainda no tempo do Sr. Pe. Flor. Quanto às restantes acho que «nada». Nem no 'Jornal do Concelho' se lê sobre o roubo das imagens dos nossos santos, se calhar também não interessa ao povo ler artigos religiosos!

    Um abraço.

    ResponderEliminar

  25. PEÇA DE ARTE SACRA REGRESSA A PORTUGAL
    (Publicado no Jornal de Notícias em 2011-11-04)

    "Uma escultura religiosa do século XVII que foi roubada na igreja de Forninhos, Aguiar da Beira, em 1998, foi recuperada agora numa loja de antiguidades em Orense, Espanha e entregue à Polícia Judiciária portuguesa.

    Numa inspecção à loja de antiguidades, os investigadores da Unidade Central Operacional suspeitaram da origem de algumas das esculturas e compararam-nas com as fotos e informações da base de dados espanhola de objectos de arte roubados, refere a agência noticiosa espanhola EFE.

    Uma vez que a imagem da escultura não constava da base de dados, e por desconfiarem que poderia ter sido roubada em Portugal, até pela proximidade entre Forninhos e Orense, as autoridades contactaram a Polícia Judiciária, que confirmou tratar-se da estátua da Santa Rita, roubada em Portugal.

    As autoridades espanholas e a Judiciária portuguesa vão prosseguir as investigações para tentar apurar quem poderá ter roubado o objecto de arte e quem a comercializou".


    Nota: Vale a pena meditar e ter a esperança de que a investigação prossiga, célere, porque em Forninhos muitos roubos houve.

    ResponderEliminar


  26. AGUIAR DA BEIRA: ARTE SACRA DEVOLVIDA.
    (Publicado no Correio da manhã em 2011-11-05)

    "A Guarda Civil espanhola entregou à Polícia Judiciária uma escultura religiosa do século XVII que foi roubada na igreja de Forninhos, Aguiar da Beira, em 1998 e recuperada agora numa loja de antiguidades em Orense, Espanha."

    ResponderEliminar
  27. A GUARDA - Semanário Católico Regionalista.
    (Edição de 10-11-2011)

    SECÇÃO: Destaque

    Peça de arte sacra tinha sido roubada, em 1998
    Guarda Civil espanhola recuperou imagem de Santa Rita

    A Guarda Civil espanhola entregou à Polícia Judiciária portuguesa uma escultura religiosa do século XVII que foi roubada na igreja de Forninhos, no concelho de Aguiar da Beira, em 1998.
    De acordo com informação da Direcção-Geral da Polícia espanhola, a estátua, que representa a Santa Rita, foi roubada da paróquia de Forninhos há 13 anos e posteriormente vendida a um comerciante de antiguidades de Orense, de cuja loja foi resgatada pela Unidade Central Operacional da Guarda Civil, especializada nesta área.
    Numa inspecção à loja de antiguidades, os investigadores da Unidade Central Operacional suspeitaram da origem de algumas das esculturas e compararam-nas com as fotos e informações da base de dados de objectos de arte roubados.
    Entretanto, uma vez que a imagem não constava da sua base de dados, desconfiando que poderia ter sido roubada em Portugal, as autoridades do País vizinho contactaram a Polícia Judiciária, que confirmou tratar-se da estátua da Santa Rita, roubada em Portugal, em Forninhos.
    As autoridades policiais de ambos os Países vão prosseguir com as investigações para tentarem apurar quem poderá ter roubado a peça de arte e quem a comercializou.



    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.