Seguidores

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Do Baú: "as catequistas e as crianças da comunhão"

Do Baú das Memórias, a nossa conterrânea Darcília Gonçalves disponibilizou ao blog dos forninhenses mais duas fotografias que publicamos para que nos ajudem a identificar as catequistas e as crianças da comunhão de há muitos anos atrás. Lembram-se dos livros "onde está o Wally"? Pois bem, é parecido - só que temos muitos Wallys para encontrar! 

Em pensamento, em conversa ou escrevendo-o nos comentários, vamos dar-lhes nomes...

Das catequistas há rostos que basta olhar com atenção e é fácil...como é fácil, através da imagem, ver como era a Poupeira. Eu acho muito bela, genuína e verdadeira aquela casinha redonda (foi dos meus avós maternos e ainda hoje lá está). O telhado é que foi substituído segundo o gosto dos novos proprietários...as outras da direita desapareceram...ou então têm hoje tipologia diferente!?!
Casas simples, duma arquitectura popular...que nos faz regredir no tempo. 

42 comentários:

  1. Gosto muito de fotos antigas ,poder conhecer algumas pessoas aqui pressentes . Que eu conheço ,a Sa Luzia ,Ana Brasileira ,Sa Dos Anjos Sa Emilia penso nao estar enganada ,as outras nao me recordo bem .

    ResponderEliminar
  2. Acertaste!
    Se olhares com mais atenção ainda consegues identificar outras catequistas. Não reconheces a Mariana Carreira e a Darcília?

    ResponderEliminar
  3. Lindas fotos e será interessante ver se as pessoas identificam, reconhecem. Pouco a pouco, acontecerá.Algumas já foram!
    Lindo! beijos, ótimo fds! chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Chica por acompanhar, pois muito mais há para revelar e revelar...
      Beijinhos e um óptimo fs também.

      Eliminar
  4. Ola Paula .A Mariana carreira quis me parecer conhecer mas nao tinha certeza ,mas a Darcilia nao tenho lembrança dela .beijinhos ;bom fim de semana .

    ResponderEliminar
  5. Esse olhar para trás é saudável e traz muita alegria e esperança, Paula!
    Muito legal, faz parte mesmo de vida e plenitude!! Rsss...
    Acompanharei as descobertas com satisfação e torcidas!...

    Beijinhos e BOM FIM DE SEMANA!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anete,
      Gostei das suas palavras...
      Por momentos olhamos mesmo para trás e estamos naqueles anos de ouro. Eu era miúda e já ouvia aos mais velhos falar desta época de muita alegria e esperança.

      Bom Fim de Semana e um abraço amigo.

      Eliminar
  6. Cara Paula!
    Apesar de estar fora dos blogs (eu e meus poemas humildes, simples e sem muito talento!!), leio teu blog quase todos os dias.
    Eu até já coloquei aqui, minha grande vontade de conhecer Portugal e seus recantos, especificamente tua terra. Teu blog me encanta.
    Tuas palavras (tuas e do XicoAlmeida) quando me visitavam sempre foram palavras doces, elogiosas a meus pobres e simples poemas.
    Lembro-me de um comentário teu em meu blog: "essa portuguesa só lhe pode dizer que continues..."
    Foi um grande elogio...de uma grande blogueira, que deve ser uma mulher muito bonita...um blog maravilhoso.... cheio de fotos, histórias, de gente....
    Grande abraço, fique com Nossa Senhora de Fátima (votos extensivos ao XicoAlmeida!)
    Adoro vir aqui....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Marco! É um enorme prazer 'vê-lo' por aqui.
      Continue :-)
      O concelho de Aguiar da Beira (e os concelhos de toda a região) tem aldeias lindas como a minha, Forninhos, em que tive o privilégio de nascer e poder crescer ao pé dos meus pais, tios, avós... que foram-me transmitindo muitas "memórias" nos convívios de família, dias de festa ou no simples dia-a-dia. Depois, de vez em quando chegam-me "relíquias" e lá consigo organizar umas ideias e deixo-as por aqui, na esperança que perdurem por mais algum tempo e que não desapareçam com aqueles que os anos vão levando...
      Nem sempre é fácil manter "viva" a história de há 50 anos (não 500 lool), porque eu só nasci na década de 70, mas apesar disso tento...!
      Tenta também tu voltares aos blogs. Às vezes também desanimo (e desatino com os forninhenses) e dá-me vontade de desistir, mas como me custa desprender do que escrevo por cá ando...
      Um grande abraço meu.
      Paula.

      Eliminar
  7. Fotos antigas é tudo de bom! Bom para recordar.
    bjs e excelente final de semana
    Ritinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ritinha,
      Obrigada pelas visitas ao blog dos forninhenses.
      Como pode não ler todos os comentários, irei depois conhecer seu blog e agradecer a sua presença comentada.

      Eliminar
  8. Parabéns Paula por mais esta relíquia.
    Nesta linda foto julgo reconhecer as moçoilas Mariana Carreira, Emília Carau, Augusta Moreira, Maria dos Anjos, Ana Brasileira, Luzia e Darcília.
    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigadinha.
      Na linha da frente está: a Ana Brasileira; Luzia; Mabília ou Luciana (?) Pirolas e a Darcília.
      Na linha de trás está: Mariana Carreira; Emília Carau; Rosa Herodes, Dos Anjos e a Clementina (filha do tio Ismael Lopes).
      Foi o que a minha mãe me disse.
      Mas gostaria muito que alguém confirmasse...
      O prémio pode ser uma grande Vitória de Portugal logo à noite, lool

      Beijos**

      Eliminar
  9. Fotografías que son testigo de otros Tiempos y de Personas que forjaron el Alma y Corazón de este maravilloso Pueblo.
    Abraços.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade Pedro e gosto de pensar que estas fotos que aqui deixei faz reviver lembranças e, melhor ainda, poderá aumentar a possibilidade de estas catequistas e crianças (hoje adultos) se encontrarem e reviverem bons momentos.

      Um abraço de amizade.

      Eliminar
  10. Simplesmente fantástico!
    Como é tão saboroso recordar estes tempos, muito difíceis para os nosos pais, mas que mesmo assim nos punham aprumadinhos, limpos e felizes.
    Eramos crianças puras e inocentes.
    Reconheço apenas as senhoras catequistas já atrás mencionadas, pois já passaram muitos anos.
    Das miúdas e miúdos, vou ter de puxar pela memória.
    "Infelizmente" lá estou, para variar de lacinho e devo ter dito alguma graçola das minhas como denota o Ernesto ao meu lado direito, esforçando-se para não soltar uma gargalhada.
    Paula, muito bom, mesmo muito bom...
    Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tá visto que o Ernesto foi tomado por um ataque de riso por alguma 'coisa' que tu disseste e já não te lembras...já lá vão uns aninhos...mas não é bom recordar e dizeres, antes, que felizmente lá estás tão elegante?
      Mas tudo bem. Pelo menos identificaste dois "Wallys" lool

      Eliminar

  11. Que dizer ? Que recordar é viver e de quando em quando sabe bem revolver o fundo de um baú , encontrar um album já meio amarelecido , contemplar cada rosto e nessa contemplação deixar-se embalar ,sonhando e revivendo ,,,
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Olá, Quina.
    Com este tipo de comentários, a vontade de continuar a revolver o fundo dos baús é mesmo muita!!!!

    Beijinhos e óptimo fim de semana.

    P.S: Esteve muito bem no "Aqui Portugal" ;-) Gostei de vê-la na TV :-) Muitos sucessos para "O Mistério da Sra. do Loreto".

    ResponderEliminar
  13. Penso ter descoberto +2 " Wallys", ou não!
    Na primeira fila, da nossa esquerda para a direita, o pequenino, penso ser o Agostinho Branco e o outro ao lado, com o dobro de tamanho, o saudoso e amigo, António Gordo.
    Quem puder que ajude a desvendar os nomes desta "tropa de elite".
    Sem redundância, penso que as máquinas fotográficas da altura já faziam milagres , pondo-nos tão bonitos e engraçados.
    Devia ser dos ares puros de Forninhos...

    ResponderEliminar
  14. Maravilha, em quatro "Wallys" que penso ter identificado, um grande prémio: Vitoria minha e de Portugal por 4 sobre a Irlanda!
    Venham mais prémios e a miudagem da foto é toda identificada. Nem que tenhamos de esperar até à final do mundial de futebol no Brasil/2014.
    Por falar em Brasil, aproveito para daqui agradecer ao meu amigo Marco do blog "Integral de mim e de meu tempo", o ter aparecido no meu espaço "Nascendo até hoje...".
    Confesso o quão enorme foi a satisfação em o ter de volta e as saudades da sua tão bela e sentida poesia. Se puder traga isso de volta.
    Quanto à minha identificação na 1ª foto, sou o descarado com ar reguila, 4º a contar da direita, rindo de mãos postas e lacinho ao pescoço.
    Grande abraço, Marco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Assisti Portugal e Irlanda...
      Huhuhuhuhuhu... aguardo vocês aqui para vermos a Copa.
      A casa é simples e pobre mas acolhedora....
      E podes trazer um azeite Beira Alta e um Dão.
      Do bacalhau incumbo-me eu.
      Beijos à nação amiga!

      Eliminar
  15. Olá Paula
    Vinda há pouco de férias, é um gosto ver este carinhoso blog , acredite.
    Bom e a mousse com morangos de casa...muito melhor!
    Espero que tenha tido umas boas férias, mas vendo o seu post de hoje , lembra-me livros e afins.Mas era um tempo lindo e muito puro em tudo.Gosto das vossa recordações
    Muitos beijinhos para si, ah...e ao Xico!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Manuela, como vai?
      As férias acabaram e de novo por aqui estou com todos.
      Forninhos, como aldeia rural, a preocupação da preparação religiosa dos filhos ainda hoje está presente e, assim, as famílias continuam a querer que os seus filhos frequentem a catequese para ao fim de uns meses de aprendizagem se concretizar a comunhão. Mas sem dúvida que dantes era tudo mais lindo e puro.
      É bom olhar para trás para se pensar melhor o caminho que se quer percorrer...

      Beijinhos e bom fs.

      Eliminar
  16. Sem dúvida que esta quantidade de criancinhas, são reflexo da abundância e vitalidade para o futuro de Forninhos, como anos antes houve e ainda durante vários anos haveria.
    Com o êxodo da população, no mitigar de carências e anseios de uma vida melhor, o fervilhar de alegria destes e outros livres pardalitos, esbateu-se.
    Por isso, continuamos a continuar a saga de identificar os "Wallys" aqui presentes.
    Penso ter identificado mais um: na linha da frente, a contar da direita, o 3º ser o meu primo Luís Pego.
    E como devíamos estar bem preparados, nove catequistas para quase duas dezenas de formandos.
    Era obra, tal entrega e esmero!

    ResponderEliminar
  17. Como prémio apenas me apetece dizer-te: Obrigada.
    E o 1.º a contar da direita?
    Será o Arlindo, filho da tia Isaura?
    Com "vestes" iguais, é difícil identificar todos(as), mas era mesmo assim a vestimenta da 1.ª comunhão. Durante muitas décadas, todas as mães "adornavam" os seus filhos de vestes melhoradas...quantas vezes pedindo o vestido e véu para a filha!
    Depois da cerimónia religiosa, seguia-se a foto e o almoço em família...para muitas delas a concretização de alguma iguaria...talvez galinha guisada e pão-leve.
    A imagem tirada às catequistas, mostra em 1.º plano a bandeira da Cruzada e ao fundo a Poupeira.
    Paisagem hoje tão diferente esta!

    ResponderEliminar
  18. Cara Paula amiga querida!
    Que tal você e o XicoAlmeida providenciarem uma foto atual, no mesmo local, com os que estão ainda vivos, na mesma posição???
    Não seria um encontro gloriosos???
    Grande abraço!
    Marco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Era. E eu gostava muito ver este grupo reunido, mas desta geração uns emigraram e migraram, outros faleceram, mas fica a promessa de um 'post' com as 2 imagens da paisagem de fundo, a apanhar as casinhas, para ver as diferenças (ontem & hoje).

      Um abraço amigo e óptimo domingo para ti.

      Eliminar
  19. Os tempos mudaram, não sei se na terra de vocês, mas, por aqui, a Palavra de Deus está conquistando os nossos corações. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas em Forninhos nada será como dantes, Yayá, porque a catequese tem hoje uma iniciativa cultural e educativa adequada à época. Abraço.

      Eliminar
  20. Bom dia Paula, que preciosidade essas fotos da comunhao de há tantos anos atrás em que pareciamos noivas e noivos para receber o Senhor! E fazia todo o sentido que assim fosse. É muito interessante trazer esses momentos para mostrar aos mais novos como era e os mais antigos poderem rever momentos que jamais se repetirão mas que decerto marcou uma nova etapa nas suas vidas. Bjs e um bom domingo. Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Ailime,
      Estas fotos são de Forninhos, mas podiam ser de outro sítio qualquer, pois quem vivia em regiões rurais, os dias da comunhão e profissão de fé eram semelhantes pelo nosso país. Daí que a sua divulgação desperte recordações do dia da primeira comunhão para qualquer pessoa e tá visto que a Ailime reviveu aqui o momento que pela 1.ª vez recebeu o Senhor, sem esquecer o vestido e o véu no cabelo, adereço também comum às noivas, na grande maioria dos casos preso com coroa. Bjs.

      Eliminar
  21. Bons tempos em que a nossa terra era abonada com muitas crianças.
    As crianças só consigo identificar o Xico, a minha irmã Zita também lá deve estar no meio dessas crianças, mas não a consigo identificar.
    As catequistas conheço algumas não sei se estou certa. Augusta Rita, Sra. Luzia, Ana brasileira, Mariana Carreira, Sra. Dos Anjos, Darcília, a minha tia Emília e a Guilhermina.
    Espero ter acertado.

    ResponderEliminar
  22. As catequistas são:
    Clementina (filha do tio Ismael Lopes); Luzia; Ana Brasileira; Mabília (família Pirolas); Mariana Carreira, Darcília; Emília Carau; Dos Anjos e Rosa Herodes.
    As crianças da comunhão, claro, são mais difíceis de reconhecer, mas como desta geração já aqui foram publicadas outras fotos, dum magusto e excursão da catequese, talvez por comparação consigamos reconhecer algumas...
    A mim parece-me, por ex, que entre a tia Emília e tia Dos Anjos, está lá uma filha da tia Maria 'coxa', mas não sei se é…

    ResponderEliminar
  23. Acho tão bonita a atitude desse blog em preservar a história dos forninhenses!Lindas as crianças e tb as catequistas!bjs,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a nossa terra Anne e nós queremos preservar a sua memória, pelo menos, com as coisa boas que aconteceram e que vão fazendo a história da nossa comunidade forninhense.
      O meu obrigada pelas simpáticas visitas e encorajadoras falas. Bjs.

      Eliminar
  24. Este pos mexe sobejamente comigo, não só por constar na primeira foto, mas mais ainda por aqui se tentar reconhecer a fisionomia das pessoas presentes e sua identificação.
    Tomara que todas fossem reconhecidas, porque ao oharmos para elas, não só vem à mente apenas esses tempos, mas também os seus percursos de vida que revemos em filhos e netos que depois vieram ao mundo.
    "Fulano ou cicrano emigrou para tal lado, aquela menina casou com o rapazinho da fila da frente, aquela catequista era uma santa em pessoa...".
    E sentimo-nos como que a renascer nestas imagens de casas austeras e pessoas simples, mas felizes!

    ResponderEliminar
  25. Pela participação das pessoas muitos não se recordarão aqui...talvez porque mudaram fisicamente ou não lhes interesse reviver e recordar o seu percurso de vida.
    Pessoalmente, tenho muita pena que quem nos lê, não participe, porque fotos a preto e branco, que nos remetem para o Forninhos de há pelo menos 50 anos são difíceis de encontrar...e de há 40, 30 idem-idem, aspas-aspas...
    Paciência! Aliás, tenho exercitado bastante esta palavra ultimamente!

    ResponderEliminar
  26. E infelizmente encontros tão salutares, sadios e alegres, comemorativos de anseios pessoais e rosto de uma comunidade, apenas mais ou menos se repetem em participação no último acto doloroso: o funeral.
    Mas aí, a vida já acabou e não haverá retorno ao arrependimento e alguns nem saudades deixarão...

    ResponderEliminar
  27. Ora aqui estão mais duas páginas da vida de Forninhos, onde se pode ver mais um aspeto da vida quotidiana, a Comunhão das crianças, crianças essas hoje mulheres e homens bem adultos, e os adultos hoje com vontade de voltarem a ser jovens, assim é a roda da vida, só as casas mas algumas permanecem quase inalteradas, outras porem desapareceram e outras "nasceram" no seu lugar, mesmo assim ainda é possível ver um pouco como era Forninhos.
    As crianças são um pouco difícil de as reconhecer a não ser por alguns que façam parte deste grupo, pois as sua feições essas mudaram por completo, já os adultos, esses são mais fáceis de reconhecer pois as suas feições ainda continuam a ser as mesmas, pois consegui de identificar algumas, como é o caso da Emília Carau, Ana Brasileira, e a Darcília, mesmo não as tendo conhecia em novas ou seja com esta idade aqui das fotos.

    ResponderEliminar
  28. Com a ajuda da minha madrinha (Natália 'Cavaca') aqui vão os nomes de quase todos os "Whallys":

    Agostinho Branco; Agostinho Casão; um dos Valagotes; Ernesto; Xico; Alcides Matela; Luís Pissoto; Arlindo (da tia Isaura). Atrás do Agostinho Casão está um filho da tia Aida, talvez seja o Henrique.

    Uma irmã da tia Laurinda (Gracinda ou Fernanda?); uma dos Valagotes; Fátima (casou com o Ernesto); Júlia Pincha; uma dos Valagotes; Zita?; a 'noiva' é a Agostinha (do Sr. Virgílio); Ana dos Anjos; Agostinha Carvalho; São Melo.
    Ficam por identificar 4 meninas.

    Na foto das catequistas, vemos ainda a Augusta 'Graixa'; de boina é filho do tio Papa; Zé Pego e o de camisa branca será o Martinho?

    Obrigada a quem dá tão belos contributos! Beijos &Abraço.

    ResponderEliminar
  29. Tão malandros estes Wallys que alguns ainda teimam em manter-se no anonimato!
    Obrigado por este post que pôs algumas pessoas a pensar e perguntar a outras, quem são elas e eles.
    Lindo contributo a uma geração que deixou a seu tempo recordações e por isso e pela continuidade de memórias aqui aparecem.
    Se mais vierem e sei não ser fácil a quem aqui tanto empenho coloca, serão uma dádiva divina.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.