Seguidores

quarta-feira, 22 de maio de 2013

Festa do Espírito Santo, Ano de 2013

Hoje divulgamos a festa do Divino Espírito Santo do ano 2013 que se realizou com e empenho da aldeia de Forninhos e devotos de outras aldeias que aqui vieram para pedir a Nossa Senhora dos Verdes que os campos e a agricultura produzam e as colheitas sejam boas. É uma tradição antiga. O Padre Baltazar Dias no Século XVIII já se lhe referia “São obrigados à Capela de Nossa Senhora dos Verdes várias procissões em alguns dias do ano principalmente nos dias Santos do Espírito Santo.".


















Nota:
Este ano escolhi imagens das procissões que vieram com sentido de contribuir para uma tradição que se vai impondo no tempo e da missa campal; da geração mais velha que bem se lembram desta romaria e de quem um dia fará saber desta festa que faz parte da cultura dos seus avós e bisavós…não faltando aquela do frango assado e das tradicionais concertinas que dão sempre um cariz de tradição a esta festa e romaria.

41 comentários:

  1. Que lindas fotos e a festa deve ter sido bem legal. Vi que o céu estava lindo, azul, assim o tempo foi bom e contribuiu.

    Bom de ver, melhor ainda, deve ter sido ter estado por lá! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Que tenha sido uma uma boa Festa.
    Tenho pena de não poder lá estar, mas nem tudo o que se quer pode ser.
    São umas lindas fotos, e ao que reparei algumas delas já mais antigas.

    ResponderEliminar
  3. Gostei muitíssimo de ver a Festa do Espírito Santo por aí... Certamente, foram momentos alegres e significantes p todos...

    Que bom, Paula, que está retornando...

    Amo o Espírito Santo demais, Ele é Aquele que torna o Evangelho possível de ser compreendido e vivido! Ele é o meu MELHOR AMIGO E TERAPEUTA!!

    Abraços

    ResponderEliminar
  4. Maravillosas Tradiciones con esta Procesión y Romerías y ese olor a frango que tanto me gusta.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  5. Olá a todos,
    A festa foi boa e até esteve bom tempo, já que não se sentiu o frio dos dias de Sexta, Sábado e até Domingo. Por mim, penso que veio mesmo muita gente cumprir o Voto, nesta 2.ª Feira do Espírito Santo, do ano de 2013. Só que, nem tudo correu como as pessoas e, principalmente, a Comissão de Festas, desejariam. Mais tarde O candidato do PSD à Câmara Municipal de Aguiar da Beira, juntamente com os seus "amigos", habilidosamente usaram o terreiro da Senhora dos Verdes para politicamente confraternizarem, oferecendo "comes & bebes" aos convivas! O que muito entristece quem é forninhense de alma.
    Podia publicar 2 ou 3 fotos deste evento político para destacar aqueles que se reuniram a fim de estragar este bonito e fantástico dia de festa, mas acho que estas coisas dos maus augúrios não devem entrar nesta casa. Aqui ficam, portanto, só imagens de quem este ano veio com sentido e intenção de contribuir para uma festa romaria que faz parte da cultura dos nossos avós e bisavós…
    Obrigada a todos os que não se juntaram, senão aos piores, pelo menos àqueles cujo dinheiro ou posição social lhes permite manipular pessoas e o meio ambiente.

    ResponderEliminar
  6. Olá amiga, lindíssima partilha da festa do Espírito Santo na vossa aldeia! Fez-me lembrar tempos idos em que na minha terra estes dias eram para nós crianças de então:)) os dias mais bonitos e únicos do ano!
    É de louvar o vosso empenho na divulgação destes eventos para não deixar cair estas tão ricas tradições.
    Neste caso também acho muito incorreto a mistura (ou aproveitamento) da política com a religião.
    Beijinhos e continuem sempre. Ailime

    ResponderEliminar
  7. Muito boa noite, foi uma festa com bastante interesse, pela 1ª vez tive o prazer de assistir a esta festa dedicada à Nª Sª dos Verdes, uma verdadeira demonstração de fé por parte dos vários peregrinos, que neste dia se deslocaram até junto desta bela capela, onde pediram a proteção da Nª Sª para proteção das colheitas.
    O tempo quase não deixou que esta festa se concretizasse, mas lá se compôs e a festa teve o seu lugar.
    Tudo corria bem até que a politica demonstrou uma vez mais não olhar a meios para atingir aos seus objetivos, pela 1ª vez em tantos anos teve que se encerrar uma festa em devoção a Nª Sª dos Verdes, por causa de uns poucos sem escrúpulos, em que tudo vale para se fazerem notar, mas enfim os atos ficam com quem os pratica.
    Neste caso pode-se dizer não conseguirem de separar uma festa de carater religioso com a politica, é como o azeite a água, podem estar lado a lado mas não se misturam.

    ResponderEliminar
  8. Introduzi mais algumas das muitas fotografias que me fizeram chegar: da missa campal e do tendeiro com material em venda espalhado na banca.
    Quero ainda acrescentar que apesar do que fizeram a 5 meses de eleições, foi bom no ano da fé vermos pessoas que nos ajudam a aprofundar razão da existência deste dia e que com a ajuda do Espírito Santo esta seja sempre a festa da bondade e da generosidade.

    ResponderEliminar
  9. Não sei se a Senhora dos Verdes vem a tempo de salvar as colheitas mas, em todo o caso, é bom ver como se reúnem as pessoas para confraternizar simplesmente, sem cálculos políticos, separando bem o que é trigo do joio. Bem hajam.

    ResponderEliminar
  10. Já tanto foi escrito neste blog destas coisas de misturar a religião com a política, que não entendo como as pessoas não percebem que o que interessa a esta gente que anda a politicar, como se soubessem o sentido da palavra política, é conseguir com estas misturas uns votos!
    Aqueles que abusivamente se juntaram no terreiro da Senhora dos Verdes para partidária e politicamente confraternizarem, deviam era reunir-se, de novo, para pôr cobro ao abandono das populações da nossa zona rural para o litoral e para o estrangeiro, já que as portas a fechar têm sido um muito maior número do que as janelas a abrir - para usar um adágio popular.
    Fica a sugestão.

    ResponderEliminar
  11. FESTA DO ESPÍRITO SANTO - PARTE 1

    Como canta o brasileiro Chico Buarque "...foi bonita a festa ó pá, com a tua gente...".
    De facto era aquela multidão unida pela fé, a mesma comum a todos, num dia muito especial, o dia em que pedem e agradecem, a mesma fé que vem de geração em geração.
    O orgulho com que as irmandades exibiam as suas capas, pendões, cruzes e lanternas.
    A felicidade com que as senhoras levavam ramos de flores do campo, simples e tão belos. Era o cumprir o voto.
    Foi bonita a festa, no meio daquele verde encantador, não fosse ali a capela da Nossa Senhora dos Verdes.
    Muita gente, muitos crentes e alguns descrentes.
    Um obrigado muito grande à Comissão que no meio de tanto sacrificio, levaram e cimentaram a festa à dignidade que ela merecia.
    Que sirva de lição para os vindouros!

    ResponderEliminar
  12. FESTA DO ESPÍRITO SANTO - PARTE 2

    A festa da promiscuidade.
    Não a festa da parte religiosa embuída no espírito ancestral da devoção dos antepassados e presentes, mas sim a outra festa. Mais um ROUBO!
    Há quem esteja preso por crime de branqueamento de capitais, ali foi o branquear, usar e abusar da crença das pessoas.
    Sim, falo da ignominia de um candidato a uma Câmara, de um presidente ainda em funções e um presidente da Junta, na utilização abusiva e sem pudor de um local de culto em proveito de exibicionismo, capitalização de votos no aproveitamento dos mesmos de sempre.
    Ali as matas são grandes, mas se calhar pequenas demais para a fotografia.
    Eu próprio passei pelo "ajuntamento", no engano e quando alguém me chamou à atenção do cariz daquela "coisa", vim para casa.
    Já não valia a pena, os vendilhões tinham tomado conta do templo, num desdém descarado, numa miséria moral e falta de respeito para quem tanto trabalhou para "erguer" a festa e aqueles que lá foram na dignidade das suas crenças.
    Quase me leva a pensar que qualquer dia bancam à porta do cemitério, com a banca corrida, febras e garrafões.
    Meus senhores, haja pudor e um mínimo de dignidade, pois se a procissão ainda vai no adro, o que poderá vir a seguir?
    Tenham um momento de reflexão e talvez não se orgulhem do acto.
    VERGONHOSO...

    ResponderEliminar
  13. As fotografias da Festa estão todas muito bonitas parabéns ao fotógrafo, a fotografia dos dois senhores de chapéu só lhes falta a santinha na aba do chapéu como faziam os homens antigamente.
    Tenho pena em não poder ter lá estado, não estive presente pessoalmente, mas estive lá em pensamento, passei o dia a pensar nesta festa que já não vejo há muitos anos.
    Soube que a festa correu bem, foi lamentável misturarem a política numa festa tão religiosa, têm tantos dias para fazerem a propaganda política, a festa só se realiza uma vez por ano.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A magnífica foto dos "velhotes" foi feita pelo nosso amigo XicoAlmeida, bem como todas as que introduzi na abertura deste "Post". E, só faltou mesmo a imagem dobrada e colocada no chapéu.
      As da missa campal e do tendeiro a vender loiça em barro e outros, quem as tirou e enviou foi o J SEGURO.
      Devido à distância muitos forninhenses ficam pela festa de Agosto, porque o Divino Espírito Santo é celebrado sempre na 7.ª Segunda-Feira a contar da Páscoa e não é feriado, logo, para quem trabalha e vive longe de Forninhos não é mesmo fácil ir lá nesta altura, mas de certeza que tal como tu foram muitos os que estiveram lá em pensamento neste dia. Pena mesmo é ver os forninhenses (sejam do PSD, PS ou "Independentes") a defenderem os interesses dos "amigos" políticos e não os de Forninhos.
      Enfim...

      Eliminar
  14. Boa noite .Bonitas fotos da festa ,como se pode ver tenha muito pessoal de certeza que foi uma boa festa ,ate o toque das concertinas com noutros tempos .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Penso como tu Nela, nesta festa o toque das concertinas e dos acordeonistas faz lembrar tempos passados...tempos mais alegres e divertidos! As pessoas antigamente passavam mais necessidades, é certo, mas eram mais divertidas e não eram calculistas como as pessoas de hoje.
      Beijo e Bom fs.

      Eliminar
  15. Apenas um aparte, se tal me é permitido:
    Os autores, mentores, promotores daquele acto de vilania, terminada a chincana vergonhosa, parecem começar a ter noção da dimensão negativa da atitude tomada.
    Começam a atirar a responsabilidade de uns para os outros, quando a maioria está identificada.
    Será que a reação de um povo os está a pertubar?
    Será a cobardia de quem faz um "assalto" desta índole lhes tenha sujado a cara e agora não tenha coragem de olhar ao espelho e reflectirem sobre "a porcaria" feita?
    Afinal o tiro saiu pela culatra.
    Quero ver se no dia 15 de Agosto têm coragem para o segundo capítulo deste filme hediondo.
    A porcaria é feita dentro de casa.
    E alguns até vão á missa, será por fé ou caça de votos? não sei, sei é que batem com a mão no peito e parecem rezar, será?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade amigo Xico , agora não adianta chorar sobre o leite derramado, esses senhores que tomaram essa iniciativa, hoje se calhar já se arrependeram de o fazer, mas é muito mais fácil atribuir às culpas aos outros do que assumir esses erros, vamos aguardar pela festa de agosto para ver o desenrolar deste episódio.

      Eliminar
    2. É verdade joão, aquela gentalha é que deve estar a chorar sobre o leite derramado.
      Em vez de leite têm o sabor a soro ou coalhada azeda.
      Da minha parte o desprezo.
      Um abraço grande para ti.

      Eliminar
  16. Tenho para mim que o segundo capítulo será já no próximo dia 14 de Julho, quando a Junta de Freguesia de Forninhos organizar o "Dia da Freguesia", uma iniciativa que pretende colocar em relevo o nosso património e o programa inclui o lançamento do livro sobre a nossa história e memória.
    Aguardemos...pois!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esperemos que não e a vergonha traga alguma dignidade, mas não sei pois em todo o mundo há incorrigíveis.
      Bom seria pôr de lado desavenças, muitos de interesse pessoal e que se unissem em torno de um só nome: Forninhos!

      Eliminar
  17. Há muitos e muitos anos que não assistia à festa do Espírito Santo e se calhar pensava que nestes tempos modernos e conturbados tivesse perdido um pouco da sua antiga tradição.
    Enganei-me e ainda bem.
    Num dia de trabalho normal, aperaltam-se nos fatos domingueiros e aquele é o dia que têm marcado na suas crenças e devoção para ir cumprir o Voto. Como antigamente.
    Procissão de Sezures com as mulheres e muitas idosas com os seus ramos de agradecimento, de Forninhos, Dornelas, Esmolfe e Penaverde, na romaria em volta à capela que neste dia é de todos e para todos.
    Gente que ainda na sua idade avançada, vão do Prado, Matela Sezures, sei lá, de tanto lado a pé cumprir promessas.
    Chega a comover tanta devoção e a felicidade estampada no rosto das pessoas.
    E a capela estava linda e a Nossa Senhora dos Verdes deslumbrante.
    Deus me perdões mas até me pareceu vaidosa. Se estava bem o mereceu.
    Dou graças por ter podido estar presente.

    ResponderEliminar

  18. Olá Paula , isto hoje não correu bem pelos meus lados e acabei eliminando o que tinha escrito ,pois estava uma grande confusão -Tenho andado um pouco aterefada com a feitura de mais um livrinho sobre a Lenda da Srª do Loreto da aldeia de Alcafozes e que a minha Câmara me pediu para fazer .Assim tenho espreitado as suas postagens mas nada tenho dito ou quase nada !!!Hoje , já mais liberta , aqui estou a ver como tb na sua terra se celebra o "Divino Santo Sprito " (como se diz na minha terra . Belas festas que espero que nunca se percam .
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. Que saudade me deu da época que ia nas festas de igreja lá no meu povoado, meu pai sempre era festeiro. Essa tradição meus bisavós trouxeram de Portugal. Adoro ver essa renovação de geração tocando em frente nossas tradições.
    Essas barracas estão divinas e a do frango maravilhosa, lembro que lá na Solidão, nós tínhamos carne assada na taquara, cada família comprava uma taquara e enterrava no chão e ficávamos todos a volta dela comendo aquela deliciosa carne.

    Parabéns pelas belíssimas imagens.
    Tenha um ótimo fim de semana.

    ResponderEliminar
  20. Excelente reportagem....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  21. Tive muito prazer em estar presente e, assistir ao "Voto", ou seja as procissoes de romaria, das varias povoacoes vizinhas de Forninhos.
    Eu e a minha mae, representamos embora mentalmente, o antigo voto de Algodres.
    Tive tambem o imenso gosto, de ter estado como os amigos; Paula, Eduardo, Francisco, Seguro, Ricardo e etc.
    Bem hajam todos pelo bem que me fizeram sentir.
    Que a Senhora dos Verdes a todos proteja.

    Um grande abraco a todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada nós por ter estado connosco e ter assistido ao Voto. Pena que o tempo disponível foi tão pouco.
      Apesar do trabalho e cansaço, foram para mim dias que conheci pessoas de quem recebi, em particular, manifestações de apreço, o que muito me incentiva a continuar a promover de forma singela esta aldeia entre tantas que correm o risco de desertificação, mesmo que a escrita às vezes seja um pouco exagerada lol, o que também é preciso para provocar alguma curiosidade...se é que me faço entender...

      Um abraço amigo e tudo de bom.

      Eliminar
  22. Paula e Xico,

    Muito linda essa festa! Por aqui, nada de especial a não ser a veste vermelha do Padre e o altar enfeitado.
    Gostei da procissão e das barracas de comidas etc. Outro dia, fui á uma feira e lá estava uma simpática senhora portuguesa vendendo caldo verde. Eu comprei e trouxe pra comer em casa. Amei matar a saudade dessa comida tão gostosa.
    As fotos ficaram lindas! Obrigada aos que contribuíram para tão belo post.
    Lindo final de semana! Beijos

    ResponderEliminar
  23. Só uma pequena achega à parte inicial do texto. O Voto - a Romaria no dia do Espírito Santo e as Ladaínhas feitas no dia de Santa Cruz (3 de Maio) são uma tradição antiga e constante que, pelo menos, desde o Séc. XVIII marcou a vida rural de Forninhos e das populações ao redor. Na resposta ao inquérito paroquial (ponto 14 das chamadas memórias paroquiais) o Padre Cura, em 20 de Junho de 1758, refere que, ao tempo, já existia a Capela da Senhora dos Verdes e são obrigados à capela várias procissões em alguns dias do ano, nos dias santos do Espírito Santo, principalmente. A história desta devoção a Nossa Senhora dos Verdes está perpetuada num quadro que é colocado numa das paredes laterais da capela e que exibe a seguinte legenda:

    MILAGRE QVE FES N.S. DOS VERDES EM AS SEARAS DESTRVIDAS DOS BICHOS E FAZENDO HVA MVI DEVOTA PROCIÇAM OS MORADORES CIRCVUMVEZINHOS, FOI NOSSA SENHORA SERVIDA QVE SE APLACASSE ESTA PRAGA. ERA DE 1720.

    Pelo que, a meu ver, o Voto e Romaria merecia um lugar de maior destaque que este simples local dum blog. E refiro isto porquê? Porque a monografia do nosso concelho (páginas 379 a 381) dá relevo à Capela da Senhora dos Verdes, sim Sr.!, mas vá-se lá saber porquê refere que este povo faz-lhe uma romaria anual, a 15 de Agosto e que em tempos mais recuados, esta romaria fazia-se nos dias santos do Espírito Santo!
    Em tempos mais recuados?????
    Como se diz lá na minha terra: “VALHA-ME DEUS!”

    Haverá de certeza por parte dos autores da monografia de Forninhos um outro cuidado, o de incluir a “Romaria e Voto” à Senhora dos Verdes. Digo eu!

    ResponderEliminar
  24. ERA DE 1720

    "... em as searas destrvidas dos bichos... foi Nossa Senhora servida qve se aplacasse esta praga...".

    Os séculos foram passando dolentes na ruralidade de quem trabalha e trabalhou os campos e ali, na capela pediam e davam, na fé e devoção, no "agarrar" de dias sem falhas nas searas, da vinha, da batata e do azeite, entre outras
    coisas.

    ERA DE 2013!

    A nossa querida Senhora dos Verdes, faz o alerta, qual Senhora de Fátima que a praga não estava extinta.
    Qual milagre, estava viva e ali, para todos verem que era real.
    Com a ajuda Dela, o milagre voltará a acontecer.
    E a praga aplacada!

    ResponderEliminar
  25. Quem esteve presente nesta festa de romaria, pois disso se trata, sem obrigação mas por devoção, não necessita de publicidade no calendário de festas, pois esta ultrapassa as raias do concelho.
    Ouvi a uma senhora de mais de oitenta anos que lhe contavam que já o seu avô ali vinha, a pé de Esmolfe.
    Em termos de monografia merecia e merece maior destaque, pelo que representa junto das povoações circunvizinhas, em que será das poucas vezes que se reúnem, se calhar de ano a ano
    naquele local de culto, em que falam do passado, das agruras do presente e do medo do futuro.
    Ali se ouvem lições de vida, mas no Voto agradecem.
    Pergunto: quantos locais têm esta singela paixão desprendida?
    Qual o motivo pelo qual não é propagada, se é tão linda e tão devota?
    As festas do verão são faladas pelos conjuntos musicais, mas esta não merece o destaque e apoio que lhe é devido, por mérito próprio. Porquê?
    Será por os devotos serem de modo geral mais simples e puros?
    Tomara tanta localidade do mundo ter esta referência.

    ResponderEliminar
  26. Que bela reportagem.
    Parabéns!
    Beijo

    ResponderEliminar
  27. Obrigadão,Xico e curte bem teu filho também.Nós estamos nos divertindo muito! abração,chica

    ResponderEliminar
  28. Obrigada pelo testemunho, Xico.
    Abraço

    ResponderEliminar
  29. Olá Aluap e Xico, venho desejar-lhes um restinho de bom domingo e uma semana bem agradável. Agradeço o vosso carinho lá nos meus cantinho.Beijinhos Ailime

    ResponderEliminar
  30. Olá querido amigo Xico!
    E que bem me soube ver estas fotografias que me lembraram também as nossas gentes do Gerês mais profundo, tão belo pela rudeza de tanta coisa ainda.
    Tudo com a marca do português tão suave que começa a querer desvanecer-se com a miscelânia que lhes impigem.
    E nada é tão puro, mas ainda há muito caráter.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuela amiga,
      Apesar de ter estado "in loco", revejo as fotos para matar saudade e ganhar novo fôlego.
      Foi bom ver tanta gente que perserva a singularidade do seu quotidiano de tantas décadas e a fé da sua religiosidade.
      Um beijo grande.

      Eliminar
  31. Um forte abraço à vocês nessa comunhão com o Santo Espírito! Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  32. Agradeço e fico sensibilizado com o vosso carinho, mas de facto quem está de parabéns por este excelente blog é a Paula.
    A ela sim, devemos estar gratos por ser a mentora e grande obreira desta obra.
    O fazer renascer uma aldeia do interior, das suas próprias cinzas, contra ventos e marés.
    Obrigado e um forte abraço a todos.

    ResponderEliminar
  33. A nossa história, Xico, se não fôr preservada cai no esquecimento. Nem sempre é fácil mantê-la "viva" e costumo dizer que só me meti nesta "empreitada" por Forninhos e pela gente antiga...pois se me preocupasse somente com os do contra, sabia bem que parâmetros devia "perseguir"!
    Mas como se diz também lá na nossa terra:

    PARA A FRENTE É QUE É O CAMINHO.

    Portanto, uma boa caminhada é meio caminho andado e dá saúde...

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.