Seguidores

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Forninhos: Páscoa 2011

As minhas desculpas pela ausência, acontece que em Forninhos não houve internet nestes dias, dizem que por culpa de sobrecarga, pelo que não foi possível entrar neste espaço. Mas vi que o fermento dos bolos fez a participação aumentar.
Para este Post que intitulei "Forninhos: Páscoa 2011" escolhi alguns momentos para os que não puderam estar nesta Páscoa em Forninhos recordar, pois mesmo repetidos nos anos, nunca são iguais.


No Forno Grande assim começou o dia 23 de Abril de 2011 (Sábado)







As memórias do forno/ou/fornos davam uma enciclopédia. É um desafio que fica.


Os 3 momentos seguintes foram registados na freguesia de Dornelas e respeitam à Vigília Pascal que se celebrou pelas 21H00. Muitíssimos Parabéns à Comunidade Cristã de Dornelas, sem dúvida, uma das Celebrações mais bonitas a que assisti.


Apagaram-se as luzes e todos foram convidados a iniciar a celebração no adro da Igreja. O Sr. Pe. Paulo abençoou o fogo e as brasas e este fogo foi utilizado para o incenso da missa e foi aceso o círio pascal do ano 2011 depois de ser abençoado. O recém abençoado círio será utilizado todo o ano, nas várias celebrações, como baptismos, assim como a água benzida neste dia (Sábado Santo):



O círio representa Cristo que com a sua Ressurreição vem trazer a luz à terra.

No dia de Páscoa que este ano calhou no dia 24 de Abril, as pessoas começaram a chegar à Igreja, por volta das 13H30, para assistir à missa, ficando pelo adro a conviver.


O início da Procissão da Adoração do Santíssimo, aconteceu antes da celebração litúrgica, que foi celebrada pelo Sr. Pe. Paulo.


A vida é feita de pormenores com história e com gente que os protagoniza. A D. Augusta (Joana) alindou as janelas com as melhores colchas da casa para, assim, abençoar todos os passeantes.




Depois da missa iniciou-se a Visita Pascal pela freguesia






E...antes de partirem a sua caminhada pascal para o Bairro da Eira, sempre com boa disposição, o Sr. Pe. Paulo, o Sr. Adriano Moreira e restantes elementos (Marco, Miguel e Pedro) pousaram para a fotografia. Bem-Hajam!

12 comentários:

  1. boa noite.
    Ora cá está mais um lindo e emblemático post, a Páscoa da nossa terra e da Aldeia vizinha, Dornelas, são estas imagens que nos fazem recordar esta terra maravilhosa.
    Que tenha sido um boa Domingo para todos.

    ResponderEliminar
  2. É verdade serip, são este tipo de imagens que nos fazem recordar esta nossa bela terra e suas tradições. Tenho pena de não ter publicado algumas destas imagens no Sábado, mas quando é assim há que saber esperar e nunca é tarde para fazer o melhor que sei por Forninhos e...como dizem que até à Pascoela ainda é Páscoa o Post ainda está em tempo. Por isso, continuação de Boa Páscoa e tudo de bom.
    De outras coisas falaremos delas amanhã.

    ResponderEliminar
  3. Bem haja por partilhar connosco estas fotografias, a documentar que as tradicoes continuam a repetir-se, nesta linda freguesia da nossa Beira.
    Espero que tal como prometeu tenha ido a Santa Eufemea, e se sim, se nao tera feito ai uma prece por este seu amigo.

    Um abraco e continuacao de Boas Festas Pascais.

    ResponderEliminar
  4. Olá!!!
    Lindas imagens!!!
    a vontade de conhecer Forninhos cresce a cada dia que venho aqui no blog.
    abraços
    Tina (MEU CANTINHO NA ROÇA)

    ResponderEliminar
  5. Oi,

    Lindas imagens a começar pelo pão. Tá com uma cara de muito gostoso.
    Que lindo todo o trajeto das celebrações. O lugar é muito lindinho. A Igrejinha muito aconchegante.
    Os lençois nas janelas, eu nunca tinha visto.
    Em algumas cidades brasileiras eles enfeitam as sacadas com toalhas, flores e as imagens dos Santos.
    Espero que a internet em Forninhos não lhe deixe mais longe de nós.
    Abraço

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde a todos!
    Aproveito a oportunidade para agradecer aos utilizadores deste blog as mensagens que deixaram durante todo o fim-de-semana.
    De facto aconteceu que a Internet falhou, mas vamos aos momentos que quero partilhar convosco, os quais vou dividir em 2 (dois) comentários.
    Todos os que nasceram, viveram e vivem nas nossas aldeias da beira bem conhecem a azáfama vivida todos os anos nos fornos para confeccionar o Bolo de Azeite, doces e biscoitos que adocicam os paladares de todas as famílias.
    Enquanto o forneiro deita a última lenha para dentro do forno tende-se os bolos, dividindo a massa em bocados que, já dentro do tabuleiro (vidé 1.ª imagem), adquire a forma de bola.
    Antigamente polvilhava-se com farinha e colocavam-se na pá. Hoje usa-se um papelinho…passado algum tempo já cheira a bolo.
    Da Vigília Pascal, em Dornelas, guardo a imagem das luzinhas das velas, assim como retenho toda a cerimónia religiosa. Aproveito esta oportunidade para novamente felicitar toda a comunidade cristã de Dornelas pelo espírito de organização. Foi simplesmente admirável!

    ResponderEliminar
  7. Da tradicional procissão de Domingo de Páscoa mereceu, neste artigo, especial destaque as colchas que alindaram nas janelas, bem como os tapetes de flores aromáticas.
    No final da Eucaristia o nosso Pároco informou a comunidade cristã que por sua iniciativa agendou para o dia 3 de Maio, pelas 9H00 o tradicional Voto à Sr.ª dos Verdes. Tendo também informado que realizará como habitual a festa religiosa do Espírito Santo e da Sr.ª dos Verdes (15 de Agosto), se há baile ou não há baile é tema que não diz respeito à Igreja, pelo que pediu a união da comunidade cristã para a realização dos festejos.
    As festas religiosas são sempre um importante marco na vida religiosa e social da aldeia e são poucos os que lhe ficam indiferentes. Não faltaremos à verdade se referirmos que cabe a todos que se interessam por um legado que não se perde na memória, mas que engrandece o património e cultura de um povo, resolver, dinamizar e concretizar para que as nossas festas não acabem.
    Por fim, decorreu a Visita Pascal. O Sr. Pe. Paulo e o Sr. Adriano sempre bem dispostos abençoaram os lares e é nossa vontade voltar a vê-los assim no próximo ano. Em meu nome e acho que em nome de todos os forninhenses, agradeço a todos os elementos que acompanharam o Sr. Padre na concretização da Visita Pascal, uma tradição que, não existindo documentos que o comprovem, deve ser muito antiga.

    ResponderEliminar
  8. Boa tarde a todos

    Como vemos nas fotos, a pascoa em forninhos ainda teve um cheirinho a tradição, mas na maioria das localidades podemos dizer mesmo, que a tradição já não é o que era, mesmo nas aldeias de interior, como é a nossa.
    Já não se vê as crianças atrás do compasso, sempre á espera que o pároco distribuísse as amêndoas que ia recolhendo nas mesas das casas que visita.
    Aquele grupo de homens de opas vermelhas, com cestas para recolher os bolos de azeite, outras para os queijos, outras ainda para os ovos e alguma coisa que interessasse, foi substituído por um só, sem opa, que apenas leva um saco para recolher os envelopes.
    Mais das vezes já não vai o padre, é substituído por um seminarista e em alguns lugares por uma pessoa qualquer, quanto a mim, mais com o propósito de recolher o envelope do que levar a fé a casa das pessoas.
    Sem querer ser um dos “velhos do Restelo”
    Sinceramente, já perdi o encanto pela pascoa.

    ResponderEliminar
  9. Foram poucas as vezes que passei a Páscoa nessa bela terra, mas pelo menos agora já existe o Domingo de Páscoa em Forninhos, é que antigamente ( há cerca de três anos ), só existia a Segunda feira de Páscoa, era assim porque o anterior pároco divia os fieis em 1ª e 2ª categoria, mas isso são contas de outro rosário, mas ainda bem que ainda se continua a celebrar esta quadra com todo o sentimento que ela representa, outras terras existe que a Páscoa é só uma mera lembrança de alguns.

    Forninhos, terra que sabe manter as suas tradições, assim espero que se mantenha por muitos e bons anos.

    ResponderEliminar
  10. Durante, talvez, 2 dezenas de anos, o Sr. Pe. Flor realizava a Visita Pascal na nossa aldeia na Segunda-Feira da Páscoa, de manhã. Como a Segunda-Feira de Páscoa normalmente não é feriado, notava-se menos famílias reunidas, devido aos seus compromissos profissionais, mas no fundo era um dia que simbolizava o prolongamento do próprio Domingo de Páscoa, assim como o Domingo da Pascoela (Domingo seguinte ao Domingo de Páscoa). Nos dias actuais pouca importância se dá ao Domingo de Pascoela, mas em tempos idos era também um dia festivo da Igreja e dos fiéis.
    O Sr. Pe. Paulo tem realizado a Visita no Domingo de Páscoa e tem feito neste dia, a meu ver, um trabalho mais organizado, mas o espírito de organização devia ser geral. Forninhos fica muito aquém de terras como Dornelas.
    Quanto às nossas tradições, este blog continuará a divulgação. Uma palavra de agradecimento aos contribuidores deste blog pelo contributo que semana após semana aqui prestam e que espero continuem a enaltecer e enobrecer com os seus comentários este pedaço de terra – Forninhos.

    ResponderEliminar
  11. Uma vez mais, boa tarde a Forninhos.
    A época da pascoa já passou, pelo que me deu a aperceber hontém quando efectuei uma visita de mèdico em Forninhos.
    Cheguei e não vi vivalma, isto cerca das 15H30, só á noite vi alguns amigos, no café do Zé Coelho" como sempre, e estavam bem animados..., só o Tónio Lopes, como sempre na sua azafana Agricola.
    mas logo tive que regressar.

    ResponderEliminar
  12. Quase toda a gente cozia bolos em forninhos , quase ninguem emigrava , e por isso havia muita gente na aldeia. Em quinta feira santa so se trabalhava meio dia , de tarde iamos a igreja a cerimonia de lava pes . Algumas pessoas ja coziam os bolos para mandarem aos familiares de Lisboa, No dia seguinte quase ninguem trabalhava , iamos novamente a igreja ouvir as leituras sobre a morte de Jesus , o povo estava de luto nem os sinos tocavam, os fornos nesse dia estavam sempre ocupados era o forno da tia Esperanca, o do tio Luis da Coelha, o do Sr. Amaral, o da tia Purificacao, estes eram privados , depois havia o do lugar e o da lameira o forno grande estes eram do povo. O forno era aquecido com lenha especial giestas, urgueiras, eram as de outras arvores , de pinho nao era boa. Os bolos eram feitos com fermento, ovos, azeite, aguardente e farinha, eram amassados a mao . Estes bolos tem um papel por baixo no meu tempo era farinha que se ponha na pa, depois eram moldados no tabuleiro uns curvos outros redondos de poupa, por cima eram barrados com ovo para ficarem brilhantes. No sabado aleluia continuavam os fornos a cozer os bolos, biscoitos e o pao leve, assim lhe chamavamos. Tambem esse dia se fazia limpeza geral as casas, a noite iamos a igreja ver acender o cirio pascal, terminada a cerimonia vinhamos da igreja ate a lameira cantando ressuscitou aleluia a voz mais alta era e do tio Jose Cavaca . Domingo de Pascoa , havia missa demanha o Sr. Padre com alguns homens iam tirar o folar aos Valagotes, de tarde era no nosso povo, as ruas eram bem varridas e junto as casas fazimos uma passadeira com verduras. La estava uma mesa com tudo o que era bom entrava o homem com a cruz e outro com a caldeirinha da agua benta para benzerem a casa, todos beijavam o Cristo ressuscitado, entao escolhiam uma coisa da mesa para o Sr. Padre levar para casa, agora levam o envelope.
    Parabens a Ema eao Samuel pelos bonitos bolos que cozeram.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.