Seguidores

domingo, 30 de agosto de 2015

Os restauros da Capela

No remanso das festividades, revi os altares da secular Capela de Nossa Senhora dos Verdes, um património que gosto de admirar, e retive-me nas imagens restauradas que estão nos altares direito e esquerdo, no qual se veneram a Nossa Senhora do Leite e Nossa Senhora do Rosário, até porque em 2013 fui membro da Comissão que decidiu comparticipar o restauro da Senhora do Leite. Gostei muito de ver, pois não modificaram as suas cores. 
Para comparação:

N.S. do Leite, foto tirada em 15-08 2010
Foto tirada em  15-08-2015
Além da cor da base, as diferenças que se notam é na coroa e no cabelo, loiros, a emoldurar o rosto da Virgem, criando à volta da cabeça mais luz.
Em ambas as imagens a Virgem segura no braço esquerdo o Menino Jesus, enverga um vestido cor de rosa e um manto azul, debruado a ouro.
Nossa Senhora do Leite é uma homenagem à Virgem-Mãe; a Virgem e o Menino simbolizam a maternidade e a fertilidade.

 N. Senhora do Rosário, foto tirada em 15-08-2010
Já a imagem restaurada da Senhora do Rosário de nenhum modo se pode comparar com a de 2010! Eu não gostei e gostava que ou menos desta vez alguém possa explicar/informar qual a razão da transformação, o porquê de pinturas diferentes, o porquê da não manutenção da cor original ou de gerações!

Foto de 2015
Numa próxima visita à capela para além das orações à Senhora dos Verdes façam os olhos percorrer calmamente os altares e vão reparar que existem também anjos e querubins e existem portas que se dissimulam na decoração, servindo para ser mais fácil o seu arranjo e manutenção, no entanto o tempo não perdoa e os elementos decorativos, que outrora seriam belos, são quase invisíveis. 
Também podem ver aqui a imagem restaurada da Nossa Senhora dos Verdes e comparar.

37 comentários:

  1. Santa ignorância, a minha!!!
    Desconhecia a existência da Senhora dos Verdes e da Senhora do Leite.

    É de louvar o restauro da nosso tão rico Património Religioso.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Segundo a wikipédia, de acordo com suas aparições, Nossa Senhora possui mais de 1100 nomes conhecidos!
      E, pelos vistos, há capelas que têm mais de uma Nossa Senhora. A de Forninhos, por exemplo, tem a Nossa Senhora dos Verdes, Nossa Senhora do Leite e Nossa Senhora do Rosário.
      Porquê, não sei!

      Beijinhos.

      Eliminar
  2. Restaurar é legal ,lindo, mas manter cores da original, me parece válido! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, mas agora são capazes de dizer que a cor original da Senhora do Rosário é a do presente e nós nada podemos fazer, pois a maioria acredita que quem o diz fala verdade!
      No entanto, salta à vista que as cores aplicadas pelo 'restaurador' são as mesmas da imagem restaurada da Senhora dos Verdes e isso para mim quer dizer que alteraram em ambas as cores originais.

      Bjos e boa semana.

      Eliminar
  3. Nunca tinha ouvido falar da Nª Senhora do Leite.
    Pena terem alterado as cores originais.
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pelo menos as cores da N.S. do Leite não foram alteradas e aqui já não podem ou convém dizer que não eram as cores iniciais! Dá que pensar...

      Um abraço tb.

      Eliminar
  4. Não conhecia estas imagens!
    Quanto ao restauro não sei que diga...pois entendo o lado do "artista"...(nós também mudamos de visual)...provavelmente é esse o tal lado da criatividade que eu respeito mas...que por vezes não se entende!!! Boa semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esse lado do 'artista' acho que todos entendemos e por esse lado está tudo bem, porque pintado de fresco está tudo muito bonito, o que eu não entendo é porque então dizem (porque é isso que disseram aquando dos restauros da Igreja Matriz, em 2013) que após raspagem de camadas de tinta descobriram que as cores actuais é que são as originais!!!

      Boa semana tb.

      Eliminar
  5. A restauração é importante sim, mas os cuidados com a conservação original são valiosos!... Trabalho de arte não deve ser modificado sem um certo tato, cuidado!
    Uma boa segunda-feira, querida Paula...
    Muita paz e abrações...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na restauração de arte sacra nem sempre há o cuidado devido, embora as imagens cheguem até nós bonitas, só que é de estranhar tanta alteração de cores, é que daqui a uns anos ninguém sabe o que é original e o que é o falso!
      Grande abraço meu.

      Eliminar
  6. Permite que acrescente aos restauros da Capela a da Igreja Matriz.
    Da Capela, o que havia de valioso, foi dado, vendido ou comprado e gente ainda viva de tal recordam e por medos, esses que ainda vejo bater no peito antes de comungarem, se calam por fazerem parte da "Comandita", termo usado nos tempos dos meus avos para os "Sacripantas".
    Alguem me explica o venerar na Capela da Senhora dos Verdes, a Senhora do Leite e o motivo por tal?
    Tanto quanto sei por investigar, o tema iconográfico da Nossa Senhora do Leite é muito antigo encontrando-se representando desde o século II nos frescos das catacumbas romanas..
    Coisas estranhas que foram acontecendo na Capela, os roubos dos Serafinzinhos e Santa Rita (recuperada num antiquario em Espanha), quase levam a crer que as restantes imagens ainda se encontram na paroquia quase por milagre e por tal sob a influencia junta do poder clerical, as vao colorindo como se fossem entendidos...do nada!
    Temos de assumir em definiivo que Forninhos...Todos... nao sabe guardar e honrar o legado dos seus antepassados. Entregam a suas memorias a desconhecidos, que restauram trabalhando por hora.
    Uma palavra de agradecimento ao nosso padre Paulo que no dia da Festa do Espirito Santo, na Senhora dos Verdes, me convidou a ver resquicios de pinturas muito antigas na nossa Igreja Matriz, na zona do altar e depois d muitos restauros posteriores.
    Irei brevemente, padre Paulo.
    Fui longo, mas apenas uma coisa, um restauro mal feito, pode apagar memorias...um puro, sabe a renascer!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Forninhos...Todos...não sabe guardar e honrar o legado dos seus antepassados, mas o concelho tem uma Associação de defesa do património, a tal Aquilaris, que tem hoje o dever de o defender!
      Quanto à veneração da N.S. do Leite, "possivelmente" (como diria o historiador do Forninhos a terra dos nossos avós) já era venerada naquela capela "em certo período impossível de precisar", mas com certeza anterior a 1720, data do milagre ocorrido nos campos da região!
      Ou, então, encontraram a imagem nas catacumbas da casa de um senhor romano, na villa da Pardamaia e trouxeram-na para a Capela. Não foi assim que foi parar à Capela do Santo António dos Valagotes uma base de coluna romana?

      Eliminar
  7. Faz pena que os artistas antigos, com prática, fazem boas obras e os oportunistas teóricos modernos, as estraguem. Foi o que aconteceu com a Capela da Nossa Senhora dos Verdes e os seus Santos. Alguém se lembrou, de repente, restaurar o património religioso de Forninhos. Alguém, anteriormente, angariou verbas, sabe-se lá a que custos, e outros, na desportiva, vamos lá ficar com o mérito da renovação, não importa bem ou mal feito.
    Publiquei, recentemente na página do Forninhos Transparente, a imagem de Santa Marinha, antes e depois de ser restaurada. É de estremecer, cada Forninhense, tire a sua conclusão, basta olhar para a pintura que está na Igreja Matriz por cima da Talha Dourada, do Arco Ogival. Obra dos que põem e dispõem de tudo de Forninhos. E o que mais me magoa, são as pessoas com conhecimento e cultura sobre o assunto, quer na aldeia, quer migradas, se calem ou o assunto lhes passe ao lado. Não é só nas festas ou nos funerais, comentarem o que foi mal feito, é dize-lo aos mentores, penso eu de quê.
    Forninhos em decadência.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Queria dizer, fizeram boas obras.

      Eliminar
    2. Também publicamos em 17 de Julho de 2014 a imagem de Santa Marinha, antes e depois de ser restaurada, mas já na altura sobre a mudança nas pinturas das vestes os responsáveis pela alteração preferirem ficar pela leitura!
      Já agora Henrique, lembras-te quando enfeitamos os andores para a procissão do 15 de Agosto uma pessoa dizer que a imagem de Santa Marinha (restaurada) ia voltar à casa de restauros porque ainda iam aplicar umas pedrinhas brilhantes no manto? Entendi que a imagem tinha vindo 'às pressas' para a procissão do dia 18 de Julho de 2013, por isso incompleta, mas estamos em 2015 e ainda estão por aplicar!
      Por acaso nas fotos antigas vê-se que o manto possui uns motivos (em flor?) e devia ser aí que seriam aplicadas as tais pedrinhas. A ser verdade poderá querer dizer que alguém retirou as pedrinhas do manto e fez a pintura das flores?
      Ah, tal pormenor parece descobriram na restauração feita em 2013!
      Estamos a assistir, em Forninhos, a situações hilariantes.

      Eliminar
    3. Quando fui mordomo das festas de Forninhos, juntamente contigo, aprendi muito sobre a vida da aldeia. Deu para perceber quem são as pessoas que levam o guião da vida da povoação. Nada de inovações de ninguém, a não ser que seja delas. Na nossa Comissão de Festas, tentamos fazer com que os mordomos, no meio do mandato, fossem renovados, para transmissão de conhecimentos, resultado comissão desmembrada, restou-nos a obtenção de um espaço, semi-privado para os mordomos guardarem parte dos bens materiais para as festas. Cheguei a questionar, porque razão decidiram renovar os Santos da Capela sem dar conhecimento aos mordomos eleitos, que festa iríamos fazer sem os Santos para venerar. Pois, que acendalha mandei para a fogueira! Que foi divulgado na missa, que foi acordado com o Sr. Padre... cala-te Henrique, mas, a Nossa Senhora dos Verdes chegou meia dúzia de dias antes do dia da festa. Valeu-nos isso
      Vi os valores do restauro de cada imagem, na entrada da Igreja, valores bem altos, mas foram patrocinados todas, mas posso afiançar que dentro de meia dúzia de anos vão ficar bem piores do que estavam. Na nossa comissão, os Santos foram de trator para cima, mas para baixo, vieram de automóvel embrulhadas em cobertores. Este ano, tratores para cima e para baixo, vão durar muito!
      Olha. Paula, já ponderei desligar-me disto tudo, só estou a criar inimigos com a frontalidade que tenho, mas no reverso, penso, se ninguém colocar sinais no caminho, vai ser sempre prego a fundo para aqueles "do guião".
      Boa continuação.

      Eliminar
    4. Nisso reparei eu!
      O mais incrível é que há uns anos atrás todas as pessoas diziam que os santos andavam todos partidos por irem para a Senhora dos Verdes nos tractores, restauram-nos, os restauros não foram baratos e depois volta-se ao mesmo e ainda por cima acham bem feito!
      Deixá-los andar...por este andar não vai tardar muito que um caia ao chão se é que já não caiu!
      Estas imagens da Capela que aqui apresentamos é que são capazes de durar já que não andam nos tractores!
      Quanto ao que escreveste a final, o que te posso dizer?
      Os 'post's' que apresentamos são para que todos possam conhecer melhor o passado de Forninhos e ver o que se passa por lá e nós estamos com todos desde que aqui chegamos...quem quiser apanhar o comboio, apanha, quem não quiser fica para trás, os tais "do guião" até agradecem as aparências, as habilidades e o medo de falar!

      Eliminar
  8. Oi Paula!
    Claro que o restauro é preciso e importante para se preservar as peças sacras,mas acho que tem que se procurar manter o mais próximo possível do trabalho original. As imagens são lindas e uma verdadeira obra de arte.
    Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, são lindas e sabemos que as verdadeiras obras de arte também precisam de restauro, mas é como a Fátima bem diz, deviam ter mantido o mais próximo possível a cor original.
      Beijos.

      Eliminar
  9. Um belo trabalho minha amiga e como é grande a diferença entre o antes e o depois do restauro.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Francisco.

      Quanto às várias* imagens que vieram com cores diferentes acho que o pároco não sabe que teve a sorte de contar com um conjunto de beneméritos que têm gosto no seu património religioso e é pena...

      (*entre 2013 e 2015 foram levadas para restauro todas as imagens da nossa igreja e capela e pelo menos três vieram totalmente diferentes).

      Ainda bem que Nossa Senhora do Leite veio com a cor original, ou menos isso!

      Abraço e cont. de boa semana tb.

      Eliminar
  10. Bom dia Paula, regressando aos poucos desejo que estejam bem.
    Os restauros são importantes respeitando os originais e ambas as imagens são lindas, mas na minha humilde opinião e sincera gostei de ver o tom mais vivo da segunda imagem que me parece realçar a sua beleza e nem tanto o tom louro do cabelo da primeira.
    No entanto não é isto que está em causa e por isso continuo a admirar o rigor com que trata os assuntos de Forninhos e assim deverá ser.
    Um beijinho.
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ailime, está tudo bem. Obrigada.
      Eu também gosto do tom vivo, até porque não gosto do laranja, mas como bem entendeu não é isso que está em questão. A questão é o porquê de pinturas diferentes, o porquê da não manutenção da cor original ou de gerações.
      Quando no passado dia 15 de Agosto olhei para o altar esquerdo notei logo diferença, pois estava habituada a ver aquela imagem de cor laranja e é com muita pena que vou deixar de a ver tal como era dantes.
      Beijinhos.

      Eliminar
  11. Todas as rautaurações bem feitas devem respeitar as cores originais, coisa que como vemos, não aconteceu a Senhora do Rosário infelizmente! Esperemos que algo do generous se não volte a repetir e matériel possa ser corrigido!

    Um abraço amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que se passou com algumas imagens foi muito mau e acho que a igreja de Forninhos (no caso, pároco e várias "instituições religiosas" envolvidas) não tem legitimidade para fazer ou mandar fazer alterações, que apesar de ser apenas na cor, não deixa de alterar profundamente a estética das imagens. Bem restaurar acho que não é isto, sendo preferivel restauros como o da imagem de S. Pedro de Verona exposta no Seminário Maior de Viseu!
      Agora na Capela temos duas imagens com cores quase iguais e eu não acho bem e estou consigo, porque se trata de erros crassos era bom que voltassem à casa de restauros para corrigir!

      Um abraço amigo tb.

      Eliminar
  12. Queria ter escrito restaurações e do genero, desculpem o teclado e a minha falta de atenção!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se preocupe, havia entendido e reparo que o seu teclado já tem cedilha ;-)

      Eliminar
  13. Quem tiver interesse acerca da responsabilidade destas atrocidades, pode visualizar em...
    http://www.carloscunha.net/pastoral/normativadiocesana.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, segundo se lê o responsável directo da paróquia é que não devia colocar nas mãos dos outros certos trabalhos, mas sabemos que não é assim, quer em matéria de restauros, de Centro de Dia, de Festas...
      "Ó trabalho vá-te embora, vai lá ter com quem te quer..." Conheces?

      Eliminar
    2. Era bom que os mordomos (os que fazem, já fizeram ou hão-de um dia fazer parte da Comissão de Festas de Nossa Senhora dos Verdes de Forninhos) fossem ler o artigo, principalmente as normas para a celebração das festas religiosas, parte das "Mordomias".
      Leiam, em especial, os artigos: 1.º, 3.º, 4.º, 6.º, 7.º, 8.º, 9.º, 13, parágrafo Único, 14.º a 17.º. Obrigada.

      Eliminar
  14. Olá Paula ! Olá Xico!
    Grandes restaurações essas!... A Sra do Rosário decerto que não se importa, mas que é uma falsidade em relação à sua imagem original, é.
    Também nunca tinha ouvido falar da N. Sra do Leite!...Mas, como disseste, Paula, existem tantas denominações para a Nossa Senhora!.
    Já tinha saudades vossas. Qualquer dia estarei de volta. Não sei quando, e embora sem inspiração, inventarei alguma coisa para dizer. :-)
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Laura!
      Aguardava a qualquer momento o teu retorno para continuarmos a conversar através dos nossos blogs, ainda bem que estás de volta e decerto encontrarás algo que te faça publicar novamente!
      Acho que a representação da Nossa Senhora do Leite ou da Lactação é muito rara e talvez por isso também nunca tenhas ouvido falar.
      Por ser rara,é provavelmente valiosa, pelo que seria uma pena esta peça da nossa capela sofrer alterações. Já a da Nossa Senhora do Rosário é o que se vê...
      Um abraço.

      Eliminar
  15. Os trabalhos de restauro são essenciais para preservar memórias.

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade e agora algumas imagens só a memória as conserva!

      Abr/Paula.

      Eliminar
  16. Li o documento de carloscunha, obrigado a ambos Paula e Xico. A parte que a Paula sugere, deveria ser afixada na Sacristia da Capela de Nossa Senhora dos Verdes, para futuros mordomos saberem dos seus deveres. O Sr. Padre, se tem conhecimento deste documento, esqueceu-se dele na altura dos restauros das imagens. Gostei de ler todo o documento, obrigado mais uma vez, pela informação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens razão Henrique, a parte das "Mordomias" devia ser afixada na Sacristia da Capela, porque muitos mordomos (repito, os que fazem, já fizeram ou hão-de um dia fazer parte da Comissão de Festas de Nossa Senhora dos Verdes de Forninhos) saberem dos deveres. Na verdade, se os conhecessem não cometiam tanta irregularidade.
      Eu duvido que o Sr. Pe. Paulo não conheça o documento em questão, porquê? Porque em todas as festas religiosas mostra que conhece o artigo 21.º, todos os anos, em todas as festas, embirra com o bar da Comissão de Festas!

      Artigo 21º
      Nos recintos ou adros devidamente murados, como prolongamento que são da própria igreja, não devem permitir-se tendas, barracas ou outros postos de negócio.

      Eliminar
  17. A zanga das tres comadres...santas.

    Turbilhava na subida, aquele intenso calor
    Aquando batia no sino, duas e meia da tarde
    No sino da igreja matriz, que antes dera a partida
    A procissao ia meio, na reza e tocar da banda
    Tantas promessas de amor
    Devotas, nas suas santas...
    E a procissao subia, ia
    Por entre hortas e vinhedos
    Naquele cantarolar antigo
    Dos tempos e antepassados
    Num perfeitura divina
    De alegria e sem medos
    Mas eis que ao lado,
    Junto da ultima vinha
    (coisas que so Deus adivinha)
    Ou la coisas do diabo..
    Desviando de uma carrinha
    Para nao tolher alguem
    Bate o trator num calhau
    Que a Santa do Rosario trazia
    Mas nao foi assim tao mau
    Pois que ela ainda mexia
    E parou a procissao
    Nos gritos da multidao
    De um "ai" que Deus nos valha
    A banda calou
    O padre enfonou
    Pois tinha mais missas para dar
    Se calhar ia dormir
    Que a Santa estava a acordar
    Sem contas para prestar
    Parados um pouco acima
    Ria a Rita e Sebastiao
    Outros santos de andor
    Que na sombra dos pinheiros
    Tendo ao lado o pendao
    Com as lanternas na frente
    Descansados no trator
    Ao lado de toda a gente
    Ali na praca sagrada
    Estes nao diziam nada
    Comparados com quem vinha
    E deviam ter chegado, mas porventura
    Estava tudo estraga, pois atras vinham mais duas
    Uma de muito respeito
    Outra que ninguem despeite
    Por ser rainha da festa
    Era a senhora dos Verdes
    A outra senhora do Leite
    Vinham os tratores calados
    Subindo devagarinho
    Ninguem tugia ou mugia
    Na bonita procissao
    Apenas corriam lagrimas
    De ira e devocao ao ponto de ofuscar
    O olhar
    De quem conduzia o trator
    Que a Senhora do Leite trazia
    E quase em cacos a juntou
    A Senhora antes caida
    Atras, a Senhora do Verdes parou
    Mirou naqueles olhares em que ardes
    Para as gentes e comadres
    E gritou, sem medos nem temores
    Que se acabem os tratores
    E tambem
    A partir de hoje, vamos nos ombros de alguem
    Quem nao quiser, fique bem...
    Recolheram ao pinhal
    Enquanto a gente aguardava
    E dizem que houve chapada
    Mas as coisas acalmaram
    Pela altura
    Pois ainda hoje
    A desavenca perdura
    Dizem as beatas da aldeia
    Gentes sem coracao
    Que por manter a tradicao
    Daquilo que nao acreditam
    Vao parar ao inferno
    Espero que fiquem fritas!

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.