Seguidores

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Uma Rota dedicada à "Natureza"

Chegou o tão esperado dia. O dia (ou tarde) de mostrar os momentos da 6.ª "caminhada na natureza" desta feita, vista pelo forninhense XicoAlmeida que captou o que de "melhor" se viu neste percurso:


No Parque das Merendas - Valagotes - começa a caminhada a ganhar forma


Pois já vemos alguns caminheiros a cumprir o horário (do cartaz, pois claro!).


09h40: Discurso do Sr. Presidente da Junta que disse a todos que a poucos metros vamos ver uma gravação muito interessante, mas que não tem leitura para ela. De seguida, povoado de S. Pedro, marco geodésico, Igreja Matriz, Forninhos, voltando ao Parque, nos Valagotes. Também sugeriu, acho que ouviram, não fazer desta caminhada uma corrida e para ninguém o ultrapassar! De seguida: abreeee...



Contagem: começa a contagem deste ano e...poucos participantes :( 
As fotos não mentem


Junto ao penedo com inscrição/gravação


Se alguma coisa se consegue ler, na última linha, parece a palavra "JOSUA" que como sabem é o nome Judaico de Jesus, mas pode não ser, atenção!


Será que os tantos arqueólogos que passam e entendidos em "epigrafia" não decifram a gravação e nem sabem explicá-la adequadamente?


E, enquanto tentava explicar o meu ponto de vista, à luz da manhã deste dia inesquecível,


eis que, às 09h53, nos apercebemos que quem ía à frente, a correeer, já chegava a S. Pedro e sem placas indicativas, ninguém sabia que caminho seguir...
Ligações, via telemóvel, se fizeram para o Sr. Presidente e «nestum». Nem tuche, nem muche!


Estas imagens e seguintes, relatam momentos que falam por si...


Tudo ao molho e fé em Deus...


Por atalhos...


E desfazendo nagalhos


No sítio de S. Pedro procura-se a sombra dos penedos


E espera-se por quem perdido ficou para trás...


Ainda assim, há momentos de boa disposição


e descontracção


E a "caminhada" lá continua...


Sem respeitar miúdos e graúdos...


Pronto...era de prever: nova espera, desta vez à sombra dos pinheiros...


Ficou esquecida a prevista visita ao marco geodésico e também os caminheiros não visitaram a Igreja que, presumo eu, seria para mostrar "obra feita" - o restauro da Santa Bandeira...
Mas o calor, sede e cansaço falou mais alto!


Uns por um lado...


Outros por outro...


chegou-se à aldeia, i.é, à Fonte da Lameira, junto à Sede da Junta de Freguesia 





 E sorrisos :)))))) à volta da mesa? 


A subida ao Parque das Merendas fez-se pelo carreiro da Pardameda, mas até parecia feita de nuvens lol já que tudo desapareceu.
Eu e outros lá seguimos, via Santa-Maria - Senhora dos Verdes - e a partir daí fizemos o restante percurso pela estrada de alcatrão muito quente e pensava eu para "os meus botões" se caminhar na natureza era isto...parece que antes de chegar ao Santuário da S. dos Verdes, devia-se seguir por um caminho rural, mas sem placa indicativa...quem é que sabia o caminho?
Para finalizar, por protestar contra a falta de orientação ainda me quiseram agredir e fui intimidada a ter cuidado com o que iria escrever. Por incrível que pareça, isto no pós-25 de Abril.

30 comentários:

  1. Que beleza de passeio e caminhada. Deve ter sido muito proveitosa e bem divertida! Animada,foi! Lindas fotos e o dia, com céu azul, luz brilhante, contribuiu. Valeu! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Então, não foi animada? Tudo se perdeu a rir :)))
    E realmente o nosso "fotógrafo" fez fotos belíssimas e fica assim demonstrado que, Forninhos ainda tem beleza...na natureza.

    Beijos **

    ResponderEliminar
  3. LINDA CAMINHADA, TIRANDO OS CONTRATEMPOS, NÉ PAULA E XICO?...
    Gostei muito das fotos... A natureza é linda demais!

    Um abraço... MUITA PAZ P VOCÊS...

    ResponderEliminar
  4. É verdade, Forninhos tem beleza e natureza sobretudo em seu redor, e a encimar uma belíssima serra onde só não abunda a sua beleza, mas também os seus mistérios.
    Este foi o primeiro ano que não participei na caminhada de Forninhos, já aqui o disse e repito, Forninhos tem tudo para fazer aqui um dos passeios pedestres mais bonitos e interessantes do país, não só pelo encanto da serra, mas também por toda a zona circundante que nos pode proporcionar lindos passeios ao longo do ano, com variados motivos de interesse e lindos, mas não se faz por mudar nada.
    Todos os anos assistimos a mais o mesmo; horas desproporcionadas, percursos escolhidos sem critério, sem indicações de direção, sem se ter em conta grau de dificuldade em que se passa em determinados locais tendo em atenção a posição do sol, etc.
    E se falarmos em percurso de alcatrão em hora de calor, então é de bradar aos céus!!!

    ResponderEliminar
  5. Sr. Eduardo,
    Tendo em conta que a última foto desta postagem foi tirada às 11h12...imagine o calor que se fez sentir a partir dessa hora!
    A caminho da Sra. dos Verdes vi eu e mais pessoas, uma menina deitada no alcatrão, desmaiada!
    Enfim...um percurso feito em "cima do joelho", que nunca começa à hora marcada (09H00) que já não é cedo e muito mais "coisas" que nem vale a pena falar!
    Ainda hoje queria perceber o que fomos fazer à aldeia de Forninhos?!!!
    Uma pessoa tem esperança e luta por uma aldeia melhor e depois ainda nos pagam com ofensas e ainda desvalorizam o nosso contributo cultural e histórico. Façam melhor, se é que querem melhorar alguma coisa!
    Depressa percebi, junto ao penedo da inscrição/gravação que a única preocupação desta gente não era explicar sequer a sua leitura. Em S. Pedro a mesmíssima coisa. Tem mais valor uma tira de entremeada. Isto que digo não é novo, bem o sei,sempre foi assim.
    Depois vão logo buscar as politiquices, como se soubessem o sentido da palavra "política"! O que mereciam era que alguém lhes chapasse na cara que se estão onde estão a Forninhos o devem, mas agora...o pão já não os satisfaz...preferem a bôla!
    Temos uma terra tão airosa, abrigadinha, com um clima, cultura, ambiente natural lindos e depois, em vez de, uma maneira de ser e estar agradável, vemos gente ao nosso redor com uma mentalidade mesmo estúpida!
    Um dia, as pessoas hão-de perceber, que as politiquices baratas só têm acabado com o que há de especial neste povo, mas já vai ser tarde para esta terra.

    ResponderEliminar
  6. Maravillosa caminhada llena de Naturaleza...Lo peor caminar por asfalto en estos días de tanto Sol y calor.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  7. Paula; por Forninhos não andaram judeus? Isto no que concerne à pedra.
    Não pretendo avançar com qualquer explicação epigráfica... Deixo para um qualquer epigrafista a explicação.

    Abraço
    Francisco

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que sim, Francisco, que a comunidade judaica também teve uma assinalável presença em Forninhos, pois já vi algures escrito que a freguesia possui marcas cruciformes em ombreiras de portas, só que creio que foram destruídas aquando de alguma reconstrução, pois já percorri a aldeia "de ponta-a-ponta" e não encontrei quaisquer gravações. Mas não digo que não haja, digo que acredito mais que já não há.
      Sobre este penedo, com gravação, misteriosa gravação, acho eu que tem-se debruçado sobre...curiosos e entendidos de arqueologia, mas ninguém até hoje soube explicá-lo adequadamente.
      Eu digo que na última linha está gravado talvez o nome de Josua. Outro olhar pode ler:
      j.SVA ou joSVA.
      Também deixo melhor explicação para entendidos em epigrafia.

      Abraço.
      Paula

      Eliminar
  8. Boa tarde.
    Vamos dissertar um pouco sobre a caminhada que ainda me incomoda no sono. Acordava a pensar nos centuriões romanos que também ocuparam o lugar de S. Pedro, impondo regras pessoais tal como o edil de Forninhos: "Ninguém me passe à frente".De acordo, alguém se impunha na salvaguarda da organização e fluir sereno e contemplativo da natureza.
    Perdoem, foi uma desgraça!
    Como ontem comentei no sitio "oficial" da Junta, o pastor perdeu as ovelhas, as ovelhas procuraram outros guardiões, na desorientação previsível que antes de ser já o era.
    Sejamos claros, em definitivo: pessoas que nem sequer foram nados na nossa terra natal, querem ter a presunção de transmitir o pseudo conhecimento, mesmo recorrendo e pagando a "peritos". Isso de pagar e nem se verem resultados, tem muito que se lhe diga!!!
    Tive o privilégio, associado ao cansaço de ser talvez a pessoa que mais quilómetros palmilhou, fotografar da maneira possível e partilhar convosco estas imagens,escolhidas de entre muitas outras dezenas.
    Digo isto, porque deu para tomar o pulso deste evento em que cada um estava por sua conta e risco, indo à frente, correndo para trás e registando em foto e nos ouvidos o desagrado desta trapalhada.
    Até a serra devia estar agoniada pelo despudor e falta de respeito que a ela é devida.
    Adiante:
    Passa pela cabeça de alguém, mesmo o mais atrasado mental, vir a Forninhos quase no pico do calor, "comer" mel e azeite e beber uns copos de vinho branco e a seguir voltar aos Valagotes?
    Não seria porventura melhor, então, iniciar a caminhada com este momento e ir já fortalecidos por essas iguarias para o percurso?
    Enfim, o sacrifício de voltar a palmilhar caminho para o ponto de partida, pelo alcatrão quase derretido, isto numa caminhada, imaginem, estava na ânsia dos petiscos, pois gente haverá que não vai em espírito, mas sim pelo relógio da barriga.
    E depois, a COBARDIA mostrou-se no seu melhor, com o cheiro nauseabundo e pidesco da intimidação de quem porventura nem sabe contar até três e procuram no orgulho de Forninhos, serem genuínos filhos da terra, remetidos à vaidade pessoal que lhes colhe a razão, caso contrário, teriam aceite as críticas construtivas e fundamentadas que lhes foram dirigidas.
    Presunção e água benta, cada um toma a que quer!

    ResponderEliminar
  9. Olá,
    que alegria ver essa caminhada cheia de boas energias e camaradagem, fico feliz de ver essa maravilhosa tradição preservada. A festa foi grande quando chegaram ao destino, todos secos por uma deliciosa refeição. Um dia irei ai fazer essa caminhada conhecer o belo cenário e o povo hospitaleiro desta linda terra, Forninhos. Desculpe o sumiço, andamos por aqui encarangado com frio que este ano veio mais forte e duradouro. Estamos que nem urso preso na toca.
    Bjos e tenha um ótimo dia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amiga Anajá,
      Nós não queremos mais participar nas caminhadas desorganizadas de Forrinhos, preferimos ficar na "toca"a fazer tricôt, apesar do calor sufocante..
      Se por acaso alguém por lá nos vir, será somente para fotografar os caminheiros e tão belo património, ou seja a descoberta do que supostamente existe mas ainda não não está acessível. Uma caminhada tem de ter espírito de aventura. Mas esta caminhada não acabou ali naquele petisco mas, mais acima continuou com frango assado e entremeada, tudo regado com o melhor vinho da aldeia.
      Se cá vier, pode vir na certeza de que a organização desse passeio natura, terá acima de tudo como objectivo primordial, a salvaguarda do verdadeiro espírito:
      usufruir, contemplar e porque não saborear esta paisagem única, ainda ausente de poluição.
      Um abraço.

      Eliminar
  10. Bela caminhada, parece que enfrentaram adversidades para conseguir realizar, a quantidade de pessoas não importa e sim a qualidade das pessoas que se propuseram a participar.
    Só não gostei da parte de quererem te agredir!!
    Boas fotos para termos noção de como foi a caminhada.
    Abraços. Sandra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sandra,
      A referência à contagem foi de propósito. Fi-lo sarcasticamente, porque todos os anos se gabam que a Caminhada de Forninhos é a maior, quando se deve dizer que não o é, pois quantidade não é sinónimo de qualidade!
      Quanto às intimidações e agressões que acabaram por ser só verbais, tenho para mim que me foram dirigidas por não ser eu um homem e ter criado este blog que lhes faz mossa. A cobardia tem destas coisas.
      Deles nunca copiei nada, mas "eles" até o copiam de mim. Portanto, o que escrevo até lhes dá jeito.

      Eliminar
  11. Bela caminhada, parece que enfrentaram adversidades para conseguir realizar, a quantidade de pessoas não importa e sim a qualidade das pessoas que se propuseram a participar.
    Só não gostei da parte de quererem te agredir!!
    Boas fotos para termos noção de como foi a caminhada.
    Abraços. Sandra

    ResponderEliminar
  12. Boa noite, Sandra.
    Foi uma boa caminhada de facto mas, o maior contributo é-nos oferecida pela mãe natureza que nos oferece esta paisagem única, a rudeza da penedia misturada com o aspecto selvagem da floresta. E este ar...
    Realizar este passeio, não deverá ter sido difícil, mas orientá-lo no terreno, valha-nos Santa Bárbara.
    A boa notícia é que apesar de gente andar meia perdida por montes e vales, no dia seguinte ninguém reclamou a falta de alguém, se bem que se andou por lá perto.
    De acordo, a quantidade não traduz qualidade. Ponto final!
    Quanto à vilania da tentativa de agressão e intimidação, uma vergonha que pesa com certeza na consciência de quem a praticou.!
    Um grande abraço.:

    ResponderEliminar
  13. Parabéns, muito bem detalhada e poética essa postagem. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  14. Boa tarde, assim foi mais uma caminhada por terras de Forninhos, pena foi que a meio do percurso metade dos caminhantes se tenham desviado do percurso, que estava estipulado por alguém, mas que por descuido não foi sinalizado, como aconteceu no ano anterior.
    Mas valeu a pena ter participado nesta caminhada, pois a paisagem e a beleza da serra tudo fez esquecer, a fase final é que foi a mais complicada uma vez que a subida era "forte" demais para alguns dos participantes, nomeadamente aos mais idosos e alguns mais jovens.
    A meu ver este ano pecou devido à falta de sinalização e por não se esperar que o grupo se agrupasse para então ser dado o breve esclarecimento quer da gravação quer do local de s. Pedro, por quem o fez, já a descida até à localidade de Forninhos foi desnecessária uma vez que por lá nada se fez ou visitou, tirando a prova do azeite e do mel, que poderia muito bem ter sido feita em S. Pedro.

    ResponderEliminar
  15. O que foram fazer a Forninhos foi o mesmo que foram fazer aos Valagotes: Comer! Porque isto é que é o mais importante...
    E a propósito de S. Pedro, as vezes que a caminhada por lá passou é mais do mesmo, portanto, acho que não querem mudar nada, nem nas caminhadas, nem nas atitudes!
    Se assim fosse, na passagem pelo penedo tinham esperado por todos, fazendo uma leitura, visto que se conhecem letras na última linha. Seguia-se para S. Pedro para ver as ruínas de várias casas tipo dolménico e já que não queriam subir à caverna e castro, para ver das "escavações", mas sim subir ao pico de Forninhos, no cimo do qual está o geodésico, o percurso então devia seguir sentido Forninhos, mas aí terminava.
    Todo o percurso foi mal alinhavado e por dizer exactamente o que o João supra diz, fui alvo de ameaças e intimidações quanto ao que iria escrever. Sempre muito preocupados com o que eu escrevo...esperem então para ler mais...

    ResponderEliminar
  16. Acho que é de elogiar todo o trabalho feita pela Dª Paula e pelo seu amigo Francisco. A sua contribuição tem sido fundamental para as pessoas de Forninhos. Têm uma educação impar e zelam sempre pelos interesses superiores da sua terra, nunca desrespeitando ninguem, sempre a trabalhar pela causa comum!

    ResponderEliminar
  17. Bem-haja "João Abreu" pela visita e comentários educados a que nos já habituou;) que são todos de elogiar também!
    A nossa contribuição tem sido fundamental para as pessoas de Forninhos, mas também para as pessoas que lá não nasceram (presumo eu que seja o seu caso) e que através do blog dos forninhenses, lêem e extraíram quanto já lhes interessou...em prol da causa comum, pois claro!
    E ainda bem que fica feliz com a minha presença numa lista às eleições, mas se quer discutir autárquicas, listas e "politiquices" aconselho-o a ler melhor o blog dos forninhenses e decerto vai perceber que este espaço não é, nunca foi, nem será, a Assembleia de Freguesia, essa sim deve ter oposição, para ver se alguma coisa melhora, ser participada por todos, porque é pública, e aí dão a cara e podem debater os assuntos que digam respeito à vida quotidiana da aldeia e da sua gentes.
    Se quiser escrever algo sobre a caminhada na natureza esteja à vontade...

    Saudações forninhenses!

    ResponderEliminar
  18. Concordo inteiramente com a sua visão! Admiro-a muito pelas suas qualidades!

    ResponderEliminar
  19. Admiração recíproca;)

    ResponderEliminar
  20. Venho num aparte a este tema da caminhada embora no mesmo post agradecer ao Sr, João Abreu, tão comoventes e desinteressadas palavras de elogio, que nem os naturais de Forninhos (salvo alguma excepção), são capazes de reconhecer, fruto deste trabalho no qual tento andar desde o início do exd-libris de comunicação desta aldeia.
    A sua visão deste trabalho isento, só vem demonstrar, o que muito me orgulha, que ainda existe por esse mundo fora, gente com a sua perspicácia e cultura muita acima da média.
    Pelo dedução que tirei dos seus comentários, seria talvez, se de cá fosse, a pessoa indicada para estar no futuro a gerir os altos interesses da freguesia.
    Paciência, não se pode ter tudo, assim remediamos com a prata da casa, aonde felizmente ainda pontuam valores.
    Assino como XicoAlmeida e penso que Francisco, esse amigo da Dª Paula e sobretudo de Forninhos, seja eu, Francisco de Almeida.
    Como tenho por hábito saber a quem agradeço e neste caso tão simpáticas palavras, gostaria de saber quem é na realidade o senhor, para possívelmente um dia lhe poder agradecer e falarmos sobre a minha terra.
    Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  21. Há um dito, que se ouvia muito em Forninhos no tempo dos nossos avós: "É bom que se atire a pedra, mas que não se esconda a mão.".
    Mas uma geração bastou para o modificar!
    E é esta geração que parte do povo de Forninhos ainda elogia!!!
    Mas já há 2 mil anos Pôncio Pilatos perguntou à multidão:
    - Qual destes quereis Vós?
    E o povo respondeu:
    - BARRABÁS O LADRÃO.

    ResponderEliminar
  22. Xico, qualquer dia apareço!
    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por ca te esperamos, Nina.
      Beijos.

      Eliminar
  23. Obrigadão,Xico! abraços,chica

    ResponderEliminar
  24. Olá Paula, apesar do trajecto não ter sido bem planeado, parece ter sido um passeio óptimo para descontrair, relaxar e apanhar ar puro nessa vossa região tão cheia de encantos e pelo que observo com tanta coisa interessante para analisar e tentar identificar! Que muitos mais passeios se realizem. Beijinhos Ailime

    ResponderEliminar
  25. Claro que sim, Ailime. Nem nós nunca precisamos destas intituladas "caminhadas na natureza" para planear e passear pelos caminhos da nossa terra e usufruir de boa companhia!
    Alguns é que vivem delas desde 2010…mas nem é para observar e conhecer do nosso património ou respirar ar puro.

    Beijos e Bom Fim de Semana.

    ResponderEliminar
  26. Forninhos tem tantos encantos naturais na sua beleza quase unica, reflectida na fauna e flora e entre outras tantas, sublinho o ar que se respira na imensidao de um ceu azul.
    Forninhos nao tem dono, pertence a todo e qualquer um que o goze e respeite.
    Simples!
    Levantem pela madrugada e sintam o respirar dos montes e seus variados habitantes, desde um javali, ate a singela andorinha.
    Vejam o por do sol e o piar da passarada que ali abunda, chamando a recolher.
    Isto sim, um passeio livre, sem regras falsas e abusos de poder.
    Felizmente que os penedos graniticos pesam milhares de toneladas, pois se calhar poucos restariam.
    Gozem o que temos de bom e nem querem valorizar!
    Vale pena, garanto.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.