Seguidores

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Alecrim - Planta da Alegria

"Alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado...." Quis pois a tradição que se fizesse uma música sobre a planta que hoje decidi mostrar-vos - o Alecrim, que significa Alegria.

Conheça mais sobre esta planta, que surge um pouco durante todo o Inverno e parte da Primavera.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Alecrim

Sorrir, sonhar, viver plenamente! Todos deveriam seguir estas três regras! Seria tudo bem mais fácil. Bom fim-de-semana, beijos, com aroma de alecrim!!:))

13 comentários:

  1. O alecrim é um arbusto muito comum na nossa região.
    Este arbusto tem várias utilidades : na àrea da culinária, na saúde e na actividade religiosa.

    • No âmbito da culinária, o alecrim é utilizado para dar um sabor mais requintado às carnes ;

    • Para fins medicinais, este arbusto é utilizado como estimulante para as pessoas com debelidade, ajuda na digestão, combate algumas febres, e é ainda um relaxante muscular e activador da memória;

    • Na religião, o alecrim é o simbolo mais marcante no "Domingo de Ramos" e em algumas igrejas é queimada como incenso.


    Um abraço
    Iracema :)

    ResponderEliminar
  2. "alecrim, alecrim aos molhos, por causa de ti choram os meus olhos...."

    ResponderEliminar
  3. A acrescer ao descrito acima, esta planta de singelas e belíssimas florinhas azuis, tem muito simbolismo. Hoje em dia, certos hábitos antigos, de grande beleza e simbolismo, estão em extinção. A linguagem das flores, por exemplo, é uma delas. As pessoas hoje em dia parecem conhecer apenas o simbolismo das rosas e dos cravos, mas poucas flores possuem tantos significados como a do alecrim. Na linguagem das flores, oferecer um buquê de alecrim, significa um agradecimento pela felicidade.

    Um semana com muito alecrim para todos :)

    ResponderEliminar
  4. O alecrim para além de ser utilizado para fins culinários, medicinais e religiosos é tambem usado na perfumaria pois o aroma a alecrim é muito agradável.

    ResponderEliminar
  5. O Alecrim é uma planta discreta
    De aroma agradável e intenso
    Que a todos desperta
    E ninguém lhe fica indiferente

    Andei a exercitar a minha veia poética para ver se saía alguma coisa, mas acho que não tenho lá grande jeitinho ;)

    ResponderEliminar
  6. “Ó meu amor quem te disse a ti, que a flor do mundo era o alecrim?....”

    Também na culinária se usava
    Pragas e raios afastava
    Para alem de cura e alegria
    Depois do ramo benzido
    Para casa era trazido
    E muita coisa se fazia


    Em Forninhos tem por companheiro
    E convivem o ano inteiro
    O não menos famoso rosmaninho
    O seu aroma é tão intenso
    E no monte é jardim imenso
    Que merece ser olhado com carinho

    Eduardo santos

    ResponderEliminar
  7. Apenas um comentário ao último comentário(pedindo compreensão por este pequeno desvio do tema central do post):

    Ter o dom de fazer poesia é um privilégio que não está ao alcance de todos (eu sei o que isso é :D) e nós somos uns privilegiados por podermos usufruir da sua poesia (falo por mim) ed santos.

    Por esse motivo, mais uma vez sublinho para a importância de realização de saraus de leitura e reuniões temáticas, não só para recolha de testemunhos vários, mas também para uma melhor aprendizagem juntos dos mais velhos. Seria, pois, uma forma das gerações mais novas também elas poderem aprender um pouco daquilo que foi a vida dos seus pais, avós, bisavós…tipo: “conta-me como foi…”.

    Beijinhos *.*

    ResponderEliminar
  8. Olá a todos.

    Esta ideia da Paula em criar estes saraus ou serões de aldeia ou outra coisa assim, é excelente. Aliás, já aqui foi aventada neste blog, na ocasião foi sugerida a casa que foi da família do ti Ilísio.
    Esta iniciativa ficaria também muito bem na A.R.C.F. desde que esteja vocacionada para o efeito, e claro, com o apoio da Autarquia.
    Seria uma boa maneira de os mais “jovens” com mais de 60 contarem as suas histórias vividas e ouvidas dos seus antepassados,.que serviriam para ligar de certa maneira o passado com o presente e o futuro.
    Quanto a mim, dava-me enorme prazer porque reviver também é viver, e como em Forninhos, pode não haver nível de vida, mas há de certeza muita qualidade e também há ainda alguns “jovens” mais perto dos 100 do que dos 50, e muita esperança de lá chegar, eu por exemplo que já fiz 66, e como ainda ando de bem com a vida, e a qualidade em Forninhos também é excelente conto virar os meus numero (99) he he he.
    Também como já foi sugerido, a J.F. poderia tirar muito proveito para preparação da monografia que tenciona fazer da freguesia.

    Um abraço a todos.

    ResponderEliminar
  9. Que bom entrar aqui e sentir o cheirinho a alecrim e esta poesia alegra e contagia.

    Bjs

    ResponderEliminar
  10. E por minha conta acrescento:

    A planta do Alecrim,
    Lembra o Rosmaninho e a Alfazema
    Cresce nos montes, jardins e vales
    E é remédio para muitos males

    Que tal, hein!

    ResponderEliminar
  11. Os Forninhenses conhecem bem.
    As virtudes que esta planta tem,
    Breve, á missa vai em ramalhetes
    Com aroma intenso enaltecido,
    Por gentes da cidade desconhecido,
    A não ser em frascos e sabonetes


    Na foto inserida no post, sobressai a flor da planta, no entanto, e quanto a mim, a flor passa um pouco despercebida, a não ser, quando se faz o ramalhete para domingo de ramos se levar á igreja, que depois de benzido, era normal colocar uma parte do ramo atrás da porta para afastar as trovoadas e outra parte colocava-se em cruz nas sementeiras no dia de Sta Cruz para afastar as pragas, creio que estas práticas estão em desuso.

    Um abraço a todos

    ResponderEliminar
  12. LENDA DO ALECRIM

    Existe uma grciosa lenda a respeito do alecrim.
    Quando Maria fugiu para o Egipto, levando ao colo o Menino Jesus, as flores do caminho iam-se abrindo à menina que a Sagrada Família passava por elas. O lilás ergueu os seus galhos orgulhosos e emplumados, o lírio abriu se cálice. O alecrim sem pétalas e sem beleza, entristeceu não podendo agradar o Menino.
    Cansada, Maria parou á beira do rio e, enquanto a criança dormia, lavou suas roupinhas. Em seguida olhou ao seu redor, procurando um sítio para estendê-las.
    " O lírio qquebrará sobre o seu peso e o lilás é alto demais. Colocou-as então sobre o alecrim e ele suspirou de alegria, agradecendo a oportunidade e as sustentou ao sol durante toda a manhã.
    - Obrigda gentil alecrim - disse Maria.
    Daqui por diante ostentarás flores azuis para recordarem o manto que estou usando. E não apenas flores te dou em agradecimento, mas todos os galhos que sustentaram as roupas do pequeno Jesus, serão aromáticos. Eu abençôo folha caule e flôr, que a partir deste instante, terão aroma de santidade e emanarão alegria!

    ResponderEliminar
  13. OLÁ A TODOS
    O Alecrim é natural do mediterrâneo e foi largamente difundido durante a Idade Média por todo o Ocidente, onde vem sendo amplamente empregado na Medicina Natural.

    Uso medicinal do Alecrim
    O Alecrim é usado no tratamento da asma, anemia, bronquite, palidez, dismenorréia (menstruação dolorosa) , estresse, esgotamento nervoso, digestão difícil, febre, gases intestinais, gastrite, gripe, leucorréia (corrimento vaginal), nervosismo e tosse. Atua como tônico cardíaco e do sistema nervoso.
    É um fortificante e estimulante sexual feminino, promovendo o aumento do fluxo sanguíneo nos órgãos do sistema reprodutor.
    Alecrim – Modo de usar;
    Dose – Chá, por infusão, 4 a 5 xícaras por dia; ou
    - Cápsulas, tomar 2 a 3 ao dia, antes das refeições.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.