Seguidores

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

NETOS DE UM DEUS MENOR

Uma papoila crescia, crescia,
Grito vermelho
Num campo qualquer.
Como ela somos livres,
Somos livres de crescer.


Parecem bandos de pardais a solta
Os putos, os putos
São como índios capitães, da malta
Os putos, os putos
Mas quando a noite cai
Vai se a revolta
Sentam ao colo do pai 
E a ternura que volta

                                      
   Atirei o pau ao gato, to, to,
Mas o gato, to, to,
Nao morreu, reu, reu
Dona Chica, ca, ca
Admirou se, se
Do berro, do berro que o gato deu
Miau!!!  


Poderia assim ser...
Cantarolar alegre das criancas em pleno seculo XXI, ano de 2015 em Forninhos.
O que aparenta ser um lagar de vinho comunitário e a céu aberto, tem o nome de futuro parque infantil de uma aldeia milenária de Forninhos, quase talhada na rocha em homenagem porventura a mouros ou romanos, pois aqui nem escola primária, nem crianças.
Porventura em Agosto, uma ou outra virá, mas aqui neste local sórdido, sem flores, plantas e árvores, olhando em volta as ruínas decadentes de galinheiros de outrora, fica a revolta!

La vai o tempo em que Forninhos era um jardim...

Fotos de Santos Lopes.

42 comentários:

  1. Olha Xico, se Forninhos tem um parque infantil inserido no parque de merendas, situado perto dos Valagotes, é certo, por isso já fica um pouco afastado do povo, para quê este futuro parque infantil? Hoje até quase toda a gente tem carro, portanto, os pais podem ir com os filhos pequenos e menos pequenos até lá...lá a paisagem ao redor é totalmente diferente desta!
    A ânsia de querer fazer... de “modernizar"... leva esta gente - as pessoas que têm o poder de decisão, como são os políticos que ocupam os lugares nas autarquias - a fazer este tipo de obra!
    Porventura em Agosto, uma ou outra criança aqui virá e atirará o pau a um gato!
    Bom post!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reflecti bastante sob forma em como riria fazer este post, atendendo a esta aberracao da natureza. Ria, chorava, chamava nomes improprios e calados por educacao . Fiquei pelo pelo ceu por cima do inferno. Sonhos...
      Sei que os alto dignatarios da moral e bons costumes forninhenses, juntam nos faces a tropa fandanga. Calculava pois que iria ser uma noite mal dormida, para eles.
      Uma coisa digo, isto colocado a circular, ficava viral...isto em Portugal, 2015!
      Espertos os que pagam la no alto, sempre valorizam o que e deles, burrinhos os de baixo que tal como outrora e se acabarem o Parque dos Sonhos, terao de o cobrir tal como os tanques da Lameira por causa das chuvas e geadas, mas,
      Quem sabe se os netos de Forninhos nao terao ali um concerto da Violetta!!!
      Continuo na minha, montaram o andor...

      Eliminar
  2. Beleza de texto,faz pensar,Xico e pena que as coisas já não são apenas românticas e saudáveis como outrora... Já não tem pau no gato, nem as cantorias. Tomara voltem! abraços, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beleza com imensa tristeza e muito maior a vergonha de quem se vangloria de tudo fazer pela terra.
      Este pretenso parque, alem de ignobil, destila em cada pedra um desprezo total para a comunidade forninense.
      Olhe Chica, se um dia o pau voltar, nao ira para o gato...
      Beijos e abracos.

      Eliminar
  3. Forninhos na sua modernidade. Escolas fecham por falta de crianças, mas fazem-se parques infantis para as moscas. Por enquanto está a ser pago pela Câmara Municipal mas parece-me que os apetrechos, ou seja escorrega e baloiços, vão ser custeados pela Junta de Freguesia. Isto em tempos de crise, gestão de mentalidades modernas, desmedradas. Se calhar vai ter uma placa benemérita daqueles senhores de lá de cima, á custa de mais um baldio. Meu querido Forninhos, que governantes arranjaste. Lá dizem os antigos" mais vale estar quieto, que fazer arneira", mar enfim, pelas minhas contas, já vamos no quarto parque infantil (Fonte da Lameira, Escola Primária e Sr.a de Fátima e claro, este). Será que ainda virá por aí coisa pior? Sei lá, em Forninhos já espero de tudo. Terra sem leis, normas e regras, é o que está a acontecer, atualmente. Por ISTO, as pessoas estão a fugir, já não chegam a 200 habitantes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este "parque infantil" faz parte integrante do projecto "Largo da Lameira" que, dizem, é uma obra da Câmara Municipal de AGB, logo paga pela mesma!
      Mas, também ouvi dizer que aquando das eleições autárquicas de 20013 a candidata a Presidente de Junta - que entretanto ganhou a Junta - a respeito do parque infantil disse, alto e em bom som, que a Junta tinha dinheiro para pagar o parque (o que quer dizer que era a Junta a pagar tal...). Ah, e que o mesmo era preciso para os que vão, para os que vêm e para os que ficam! Isto porque, na altura, já se questionava esta futura obra, claro!
      Se tal é verdade ou mentira, não sei...(estou a vender a coisa, tal como a comprei), mas o que sei é que nunca foram capazes de afixar o projecto da Lameira - nem que fosse em folha A4 - nos lugares do costume: cafés, Sede da Jf, Paragem da Lameira...!
      Agora, claro, se a Junta tem dinheiro de algum lado veio e algum terá vindo daqueles senhores lá de cima, pois quando estavam em campanha eleitoral um baldio já estava vendido (o tal dos quase 6.000 m2) que agora vieram dizer compraram em 1980!!!
      Não me admirava nada ver lá colocada uma placa benemérita, pois em Forninhos já virou moda.
      Pelas minhas contas também já vamos no quarto parque infantil. No primeiro ainda eu na meninice lá brinquei. Eu muiiiitasss crianças. O terceiro, na S. de Fátima, é um bom parque e não havia necessidade de fazer um quarto parque...mas como a Junta é ganha à custa duma clientela fanática...são estes os governantes que temos e são os melhores ;-)
      Abraço.

      Eliminar
  4. Faço estes comentários, críticos, com o intuito construtivo. Sou natural de Forninhos, residente e com impostos canalizados para as Finanças de Aguiar da Beira. Tenho todo o direito de discordar com muita coisa que se está a passar atualmente na Freguesia. Deixo aqui mais um reparo, estive recentemente na aldeia, dia 24 de Janeiro, reparei que as arvores públicas tinham sido podadas com cortes ao toro. Dia 1 de Fevereiro, dia em que me vim embora, reparei que os cortes ao toro continuavam, passados 9 dias. Caramba, não houve um membro da Junta que tivesse a hombridade de os juntar junto a uma parede onde não estorvasse. Ou alguns membros só vão para as listas para receberem o valor monetário das reuniões das Assembleias? Ou já não há verba na Junta para os Cantoneiros do costume, sempre os mesmos, claro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A verdade da realidade das coisas aquando ditas como dizes com intuito construtivo, custa a aceitar e muito mais assumir.
      Permite que disserte um pouco para enquadrar determinadas coisas.
      Recuo aos meus dezoito anos em que nas primeiras eleicoes estive na escola de baixo, na mesa, como escrutinador e o modo como tais decorreram, sem rei nem roque, depois vim para Lisboa e acompanhei um pouco de modo cultural e politico a Revolucao, campanhas, manifestacoes, etc. Ainda bem...
      Sabes que andei por motivos meus, um pouco arredado de Forninhos, mas deixa que diga, continua exactamente igual ao que era na decada de setenta, sessenta ou cinquenta, tirando agua, luz e menos gete na igreja.
      O quero, posso e mando esta entranhado.
      Por tal te tiro o chapeu pela coragem que demonstras em abertamente te manifestares, pois tal nao tem, como nunca aqui tivemos, denegrir os forninhenses, terra aonde nascemos, nos, sim, nascemos ca e SABEMOS O RESPEITO QUE ESTA TERRA MERECE.
      Cambalachos atras uns dos outros, misturas ecumenicas com deveres sociais e ambos de mao dada com autarquia, tudo rumo ao mesmo saco.
      E a cobardia de muitos, vendidos a troco de comezainas.
      Ser do contra em Forninhos, tem significado de martir, do ser contra e pergunto do que...
      A maioria desta tropa, foi criada com filhoses feitas com agua e agora que mamam a teta dos outros, sao fidalgos.
      Forninhos tem pelo menos uma coisa, a fidelidade partidaria!
      Por tal e como o governo, havera necessidade de estado de emergencia, caso contrario, vai tudo para a mao dos mesmos, sendo que ali nao temos submarinos, mas temos baldios e luvas para o frio...
      Pergunto para terminar por agora QUAL O MOTIVO PELO QUAL A JUNTA DE FORNINHOS NAO PUBLICA NA SUA PAGINA OFICIAL AS ACTAS DA ASSEMBLEIA EM QUE DUVIDO CONSTE A TRANSPARENCIA,DOS SEUS ACTOS E ATE O MOTIVO DESTE MONUMENTO A QUE CHAMO PARQUE DOS SONHOS...
      Como foi adjudicado, a quem e como e suportado e em que moldes...
      Se isto consideram ofensivo, pior sera e mil vezes aquando aqui se vier a falar de coisas ainda nos segredos divinos...
      Eu, Henrique, estou a vontade, fui banido da pagina oficial da Junta de Freguesia e do Centro Social, por ofensas, dizem, mas para me calarem apenas tal sera de modo cobarde e pela calada!

      Eliminar
  5. Antes de ler o texto, era esta a leitura que fazia. Até que num relâmpago me vi nas suas palavras , querido amigo Xico. Tudo muito lindo...se é! Antes era tudo bom...se era! O pior é que estamos num país fantasma onde se acoitam e vagabundeiam lesmas e ratos e o que de mais belo existe numa sociedade florescente são precisamente as crianças! Não será por acaso que Ele já dizia "Deixai vir a mim...." Sem elas tudo é triste e mudo!
    Grande postagem, meu amigo!!!
    Fraterno e grande abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que mais lamento, tem como pano de fundo o mais elementar empedernimento das mentes dos mais velhos, legitimo da parte deles pois assim foram criados em vidas madracas para dar mais do que porventura receberam aos seus. Muito mais.
      A ignominia parte de quem de tal se aproveita da honradez destas pessoas, que mesmo olhando o mundo pela televisao, de tal duvidam e louvam quem traz algo de novo para mostrar, como deuses, ignorando por tal ser escondido que os dinheiros nao lhes pertencem mas sao donos dos mesmos para se reclamarem de algo, afinal sem sentimentos.
      Tais houvera e nem que fosse apenas para uma crianca, trariam mais que nao fosse um pequeno parque florido. Uma arvore, umas plantas, umas rosas, umas flores...em local condigno.
      Fico triste e com saudades da minha liberdade de puto, eu e os outros, que apesar do tempo da outra senhora, faziamos em liberdade o que dava na real gana.
      Beijinho minha grande amiga.

      Eliminar
  6. Parece que essa demagogia de se construir logradores públicos desse gênero, aí exposto - um parque infantil - fazer-se a inauguração e depois de algum tempo ficar abandonado, não é "privilégio" só de Forninhos. Aqui no Brasil, acontece muito: um político lança um projeto, constrói sem planejamento, sem consultar a comunidade e depois vira "elefante branco". É gasto uma enorme verba, para depois ser abandonado. Tão bom seria que as crianças voltassem, mas não atirassem o pau no gato...apenas brincassem!

    Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A humanidade parece uma lebre encandeada pelo farol dum automóvel apocalíptico. De um lado, sombra; do outro lado, sombra; e no meio da estrada, inexorável, o mortal foco de luz. Nada que guie, esclareça, ilumine. Apenas um clarão paralisa-dor, que só dura até que as rodas esmaguem a razão deslumbrada.
      (Miguel Torga)

      Assim velo a minha aldeia, encadeada (esventrada) pela luz que as engana com festas e assobios, em masmorras com projectos dourados e adiados em conformidade com a ambicao de quem tais tutela. Pessoal, claro.
      As consciencias chegaram ao ponto de estarem em saldo...
      Um beijinho, Lucia.

      Eliminar
  7. O interessante e o desejado é que se preserve o que de belo e antigo se tem e se crie condições para modernizar...numa perfeita harmonia!
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Graca por esse optimismo e esperanca, mas...
      Mais facil sera este monte de pedras servir para eventual cenario de filme de terror para maiores de 18 anos, do que para criancas brincarem ate porque aqui teriam medo...
      A envolvencia assusta.
      Abraco.

      Eliminar
  8. Muito bem escolhidos os excertos das músicas, a acompanhar imagens um pouco desoladoras do que pelos vistos está pensado vir a ser um parque infantil...
    Quem sabe? Parece haver gente com imaginação suficiente, para de um antigo lagar de vinho, fazer um parque infantil...ou um salão de baile... A vista para galinheiros decadentes deve ser uma imagem inspiradora para quem não se cansa de ter ideias absolutamente peregrinas, porque segundo aqui ficou dito, já existem zonas para as crianças, e crianças até parecem existir muito poucas!
    Que posso dizer?...Que talvez fosse bom ouvir de vez em quando as populações.
    Boa semana!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Digamos que a escolha teve por objectivo o contrate real entre colorido da vida e o preto e branco da realidade, quando tal deveria ser o contrario.
      Mas Forninhos nao parou no tempo, apenas tenta a todo o custo regredir e assim manter as suas tropas fandangas no controlo de sentimentos, costumes e ideologias arcaicas, atrevo a dizer, fundamentalistas.
      Eles, mandoes modernos (apenas ali) e acolitados sempre pelos mesmos e mesmas que na mediocridade, para nao dizer inanidade, sentem ainda e por incrivel que pareca, o seus objectivos pessoais conseguidos. Ate aqui e na semelhanca, o oposto de uma aldeia gaulesa...de Asterix, sendo que a unica semelhanca sao as festarolas em que se vestim de Obelix e os seus javalis, aqui trocados por porco assado, vai dar no mesmo, a preto e branco.
      Tenho vergonha Laura, permita que diga, nao pela minha terra, mas por esta ter parido gente obtusa e ditadora, indiferente a tudo e todos e que a seu belo prazer poe e dispoe. Se questionar passa a divisor ou comunista, antes que salazarista, digo eu e alvo de condenacao em praca publica.
      Deixe que diga sem ser enfadonho. Os circos mudam de lugar, os ciganos (meus amigos), mudam o acampamento, ambos saltibancos.
      Na minha Aldeia, mudam coisas de raiz para mostrar servico, de que fazem algo em prol da comunidade. E acredite que as pessoas acreditam!
      Sei o risco que corro em ser frontal, sendo que ate hoje, nada do que aqui foi dito e transcrito, foi desmentido, a nao ser apenas a ultims coisa que resta a esta gentalha, a censura e por tal me terem proibido o livre acesso na pagina oficial da edilidade, mas sabe, o que me conforta fica na esperanca do dia (proximo) em que havera contas a prestar pela gestao familiar de uma Junta de Freguesia, embora o proximo se reduza ao apos das proximas legislativas e entao em Forninhos se va ouvir cantar ..Uma gaivota voava, voava.. somos livres...
      A populacao sempre foi ouvida, verdade seja dita, pena que para receber comentarios apos coisas consumadas e claro, o ardil vem com mais um aconchego ao estomago...
      A populacao tem MEDO, por nao haver destrinca entre o Centro, a Junta e a Igreja e as pessoas mais idosas pensarem que nao podem falar contra nenhuma delas pois pensam, apoiadas por filhas, que tal fica mal e seria pecado.
      Fica mal e feio. E as criancas...
      Sacrificadas em ritual pagao em honra das divindades, porventura neste altar que nao chegaram a usufrui e dele nem necessitarem...
      Desculpe o desabajo, mas ja me vai conhecendo.
      Beijinho, Laura.

      Eliminar
    2. Ah o medo !...Tolhe tanta gente...
      xx

      Eliminar
  9. Boa tarde Xico, leio, comovo-me e fico com um nó na garganta!
    Penso que as fotos e as suas palavras dizem tudo!
    Que a esperança não falte!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E lagrimas nos olhos, porventura.
      Custa o ultraje, doi o menosprezo pelo alancar um pouco de respeito que deveria pelo menos ser uma salvaguarda dos poucos resistentes, residentes.
      Chegou o tempo extremo de se esmagar o rabo da cobra...
      (coisas de gentes da beira alta...).
      Bijo, Ailime.

      Eliminar
  10. A desertificação é uma amarga e cruel realidade.
    Um abraço, Xico.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muita culpa do obscurantismo do poder local, daqui e de outros povos do interior, pois a migracao para o litoral como desculpa esta gasta.
      Contunuam a desenvolver cinturas industriais em volta das sedes de concelho, sem irem ao embriao que sao as aldeias e nestas os caciques mandam e a justica desconhece o modus operandi...
      Beijo, Nina.

      Eliminar
  11. Olá Xico, estou aqui me imaginar andando nesta linda e querida cidade, que já faz parte de nós, a amada Forninhos. E tu está a me visitar. Pois aqui também passamos pelo mesma agonia da falta de risos e brincadeiras das crianças. Aqui em nossa família não tem criança, estamos uma família de velhos rabugentos.
    Mas mudando de assunto, falamos em ti. Estamos planejando para este mês fazermos um novo acampamento em Bojuru, estava olhando as imagens do ultimo acampamento e nos bateu uma vontade de sair nos aventurar. Que pena que tu moras tão longe, tu ias gostar muito de pescar lá. Na bagagem levamos pão e vinho para acompanhar o peixe. Lá é um fartura, temos que devolver ao mar o que não se consome pois é uma covardia se pega quase com a mão os peixes.Olha que não sou pescadora e nem contadora de casos. hahah Lá não tem energia elétrica, o fogo é de chão. Uma aventura primitiva. Quem sabe um dia tu venhas para conhecer e pescar em Bojuru.
    Dê um beijo na Paula e tenham uma ótima semana. Ta muito frio ai? Aqui o sol racha a terra, estamos passando por uma grande seca.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com sorte e saude, quem sabe se nao iremos...
      Tu continuas a chamar Forninhos de cidade e apesar de uma aldeia rural, ainda vai tendo mais dignidade que muitas, pena que o amorfismo intelectual, cimentado e arreigado no genes salazarista, atrofie o seu desenvolvimento geral.
      Digmos que Forninhos tem a imagem de Portugal, um rico com pobreza envergonhada, arvorado nas suas fantasias em ser melhor que os outros, mostrando o que estranhos pagam e claro, com retorno...
      Se e quando tu e o Alfredo vierem a Portugal, talvez a gente acampe na nossa serra de S. Pedro e do seu alto admirem a riqueza historica desta zona esquecida, agora vendida em leiloes camuflados.
      Vinho nao faltara e na falta de peixe, sardinha assada e bacalhau, representam tal condignamente.
      Como dizes e bem, Uma Aventura Primitiva.
      Beijos e abracos para todos.

      Eliminar
  12. A morte do nosso interior mete dó e raiva!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E uma revolta imensa, condensada na alma.
      Rezo para que no limite e antes de ser regiao de mortos vivos, se partam as grilhetas e ecoe pelos vales e serranias o grito de revolta e se escorrasem os barbaros...
      Beijinho.

      Eliminar
  13. O que me dá pena é que em nome do "progresso" estamos a deixar cair património antigo e importante como são as casas de Forninhos. Ao redor do "parque infantil" em construção, não se vê nas fotos, mas há casinhas que por baixo do balcão (escadas) têm o galinheiro, no entanto, a Junta prefere gastar dinheiro numa construção sem retorno válido do que na reconstrução do seu património histórico!
    É sabido que os donos destas casas não as vão restaurar, a não ser que precisem delas, mas a Junta de Forninhos já que tem tanto dinheiro bem podia incentivar os proprietários através duma pequena compensação monetária. E à Câmara de Aguiar cabia outro incentivo: isenção de pagamento de licenças de reconstrução, apoio técnico no projecto e isenção do IMI por "x" anos!
    Mas não... com parques infantis se tapam os olhos a alguns para que não vejam as reais necessidades.
    O problema da diminuição populacional, esse é que é bem mais difícil de resolver, mas também é verdade que até à data, em Forninhos, nada se faz para inverter esta tendência. Quando há eleições autárquicas há jovens que mudam a residência para Forninhos, mas quantos é que se mudaram para lá? Nenhum! Portanto, provado está que só mudam a residência para lá votar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Respondo simplesmente ao que referes e bem acerca do desmazelo urbano e a compra de votos,
      A anterior e actual Junta de freguesia de Forninhos tem por moeda o Gold Dourado e por tal a transformaram em OFFSHORE!

      Eliminar
  14. Quer dizer, quando há eleições autárquicas os políticos são os primeiros a abordar e incentivam as pessoas a mudar a residência para Forninhos; depois das eleições ganhas, não os incentivam a ficar..a viver em Forninhos, porquê?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Politicos!!!!
      So para rir e animar o dia.
      politicos......

      Eliminar
  15. Uma realidade áspera e reflexiva! Torço por tempos melhores!!
    Bom texto, Xico!...
    Um grande abraço nesta 4ª feira...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Anete.
      Ca vamos lutando como podemos em homenagem ao passado e no presente tentar melhorar o futuro, sendo que apesar de tudo, agua mole em pedra dura, tanto bate ate que fura.
      E ja demolimos alguns muros...
      Abraco.

      Eliminar
  16. Tempos atrás, ouvi dizer, que iam retificar as paredes do dito parque infantil, que iriam deixar de tapar a entrada da casa do Teixeirinha(penso que se chama assim) mas pelo visto, foi boato. Disse ao Sr. Presidente, na altura, que achava mal, o projeto de toda a obra da Lameira, não ser exposto, pelo menos na vitrine da Casa da Junta, antes do inicio das obras. Ainda hoje não compreendo o porquê. Mas voltemos ao parque infantil. Em Forninhos, todos os casais recentemente unidos, estão a constituir família no estrangeiro. Em Forninhos, encontro somente duas crianças que eventualmente possam usufruir do dito parque, isto se o parque não demorar uma eternidade, como já se prevê. A única altura, que vejo que possa ter utilização, é o mês de Agosto, com o regresso dos filhos dos emigrantes, mas justifica-se, já havendo um na Freguesia?.
    Quanto aos dinheiros da Junta de Freguesia, foi-me dito por membros atuais, que são poucos.
    Receberam meados de 2013 os tais vinte e quatro mil euros da venda do PRIMEIRO baldio e já não há dinheiro. Será que o Livro levou a verba quase toda. SE for o caso, mal empregado dinheiro. Mesmo com menção honrosa não se justifica tamanha verba.
    Verbas solicitadas indevidamente à Segurança Social, Pelo Centro - Venda de Baldios registados ilegalmente e obras sem fundamento, são causas que não deixarei de criticar negativamente e farei o que estiver, dentro das minhas possibilidades, para pôr tudo a limpo. Os atuais membros da Junta, que não me levem a mal, mas é um direito a que me assiste. Não direi nada, que não tenha provas. Não critico por criticar nem ando a fazer comentários pelos cafés ou pelas costas dos visados. Eu dou a cara, não falo por trás, como muita gentinha, que vai ao café, ao fim do almoço,só para por as novidades em dia. CARRAÇAS é o que esta gente é.
    A causa, do Centro e a venda ilegal do baldio, estão atravessados no meu ser. Nunca, de todos os Presidentes de Freguesia, que conheci, vendeu baldios. Está-se a começar a desfraldar o património de Forninhos. Como disse atrás, hei-de esgotar todas as possibilidades para tirar tudo a limpo. A minha compra dos pinheiros queimados ainda não está esquecida.
    Ainda agora, quando estive na Freguesia, ouvi um comentário de quem precisar de lenha, vai aos baldios e pode cortar pinheiros mesmo resinados que a Junta não tem moral para dizer NÃO, pois já abriu exceções. Provas, tenho-as comigo, mas presentemente estão á vista de todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Retificação, queria escrever defraudar.

      Eliminar
  17. Esse projecto que tinha como finalidade a divulgação da memória e história local é outro...mal contado!
    Não acredito que os 24 mil euros e tal que receberam da venda do PRIMEIRO baldio foi para o "livro", porque tal dependeu da aprovação de uma candidatura - que foi aprovada - sendo o Investimento Total Elegível de € 12.165,86; e a Comparticipação Pública de € 7.299,52, por isso não venham dizer que o dinheiro do baldio foi para tal publicação. Aliás, tendo em conta que andam a vender uma publicação que não pode ser vendida, estão é arrecadar dinheiro com essa venda!!!
    Mas isso é assunto que quero um dia aqui trazer, desde a candidatura à venda e doação, sem esquecer a adjudicação da obra à empresa EON. É que "adjudicar", neste contexto, significa "acto de atribuição de uma obra ou projecto através de um concurso público".
    Acabaram com o site da Junta, mas eu (repito) tenho guardada muita coisa...!
    Quanto ao "parque" também ouvi que iam rectificar as paredes, devido a essa tal passagem.
    A Junta de Freguesia de Forninhos, neste momento, não tem moral para dizer NÃO em relação ao corte de pinheiros, em relação à venda de baldios, etc. e tal.
    Quando leva à Assembleia de Freguesia (em Dezembro último) a venda de mais um baldio e a seguir os "promitentes" compradores já cortaram os pinheiros, é porque o terreno afinal já lhes pertence!
    Terra sem leis, normas e regras = Forninhos.

    ResponderEliminar
  18. P.S- O projecto da Lameira nunca foi afixado, mas fotocópias da "menção honrosa" até nas portas dos cafés o foi!

    ResponderEliminar
  19. Acabei de receber quase confirmação de reportagem televisiva sobre assunto dos baldios. Alguém se interessou. Agora é esperar e ver por onde a corda parte. Ou se o dinheiro paga tudo.
    Aguardemos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Depois é que vão ter o seu momento de glória, Henrique!
      Do jornal à TV!

      Eliminar
  20. Forninhos está a ficar famoso. Vamos ver o porquê?.

    ResponderEliminar
  21. HAJA CORAGEM E MOSTREM AS ACTAS DA ASSEMBLEIA ACERCA DE PROJECTOS E NEGOCIOS> QUEM NAO DEVE NAO TEME!
    23 h, 10 de Fevereiro de 2015. Publiquei no facebook da Junta , Poder Local, Negocio Local. Logotipo!

    Ando nisto vai muito tempo, demasiado, convenhamos...e farto!
    Farto por chamar aqui publicamente o sr Ricardo Guerra, anterior presidente e continuo mentor da Junta e do Centro. Forninhos ainda tem quem saiba ler, escrever e Lutar! Por algo que parece indiferente a quem nao tem pergaminhos e se tal tiverem, perderam o respeito, parecendo nao ter aprendido com pessoas do concelho, vilipendiadas e outrora idolatradas...
    Nao aprendem, mas deixo o continuo pedido.
    Camara de Aguiar e Junta de Forninhos, tragam a terreiro os negocios locais!
    Nao apenas de Forninhos mas de todas as freguesias na area administrativa.
    Tantos segredos, que incomodam....
    Mas pior continua o silencio ensurdecedor dos habitantes. Queira Deus que uma exposicao mediatica, traga a verdade natural e dentro dessa a cura de mentes manietadas.
    Por estou para dar a cara, pelos meus antepassados, pela verdade e pela honra!

    ResponderEliminar
  22. DESCANSA EM PAZ, VIRGILIO.
    DEIXAS SAUDADES...
    Partiu hoje e com ele um pouco de Forninhos, com ele vai um pouco da nossa alegria, da sua peculiar maneira de ser, independente e solidario.
    Comigo guardo ainda muito bem a imagem de jogador da bola, o terror pelas aldeias vizinhas pelas suas fintas, melhor que Maradona.
    Um abraco para a familia e para ti amigo, um grande bem haja pelo que foste e nos deste!

    ResponderEliminar
  23. Como cantei esta cantiga , quando pequena , a do gato,saudades das
    brincadeiras,crianças não são tão complicadas quanto adultos.
    beijinhos

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  24. O gato, o intrometido, sagaz e malandro, mas que fazia falta por companhis.
    Tanto apanhava com o pau, como recolhia carinhos no colo.
    Saudades, de facto...
    Beijinho.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.