Seguidores

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

2.ª Festa do pastor e do queijo no Mosteiro


Faltam poucos dias, é já no próximo domingo!


Não haverá televisões, nem música pimba que arrebanham multidões, nem telemóveis frenéticos a ligar para os concursos, apenas as gentes dos arredores, genuínas e que ainda gostam de sentir o cheiro das "suas" ovelhas, recordando tempos em que os seus antepassados e ainda alguns deles para aqui chegavam com os rebanhos, uns a vender, outros a comprar. 
Serão elas as rainhas no lugar da tão antiga Feira Nova,  em que mostrarão mais uma vez a sua genuína raça. 


Tudo sob o olhar atento e vigilante dos pastor e do seu cão.
Contam também com a protecção divina para que tudo corra a preceito, como sempre foi apanágio destas gentes rudes apenas nas mãos calejadas, mas de uma alma forte como o granito em que foram talhados.

30 comentários:

  1. Que coisa bem boa essa festa e que vontade de ir para um lugar tranquilo assim! Boa festa por lá ! abraços,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Entao...venha!
      Meia perdida por entre montanhas, mas linda...
      Beijo.

      Eliminar
  2. Estou a contar de estar presente mais uma vez, vamos ver, tudo indica que sim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou a ver o filme...
      Tudo acaba no amigo Ze Pequeno.
      Traz fotos de la, Henrique!
      Abraco.

      Eliminar
  3. Uma feira sem "modernices". Genuína!

    Gostava de conhecer.

    As fotos estão belíssimas.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As gentes rurais de terras do antigamente, sao mais genuinas e quanto a mim, ainda bem.
      A festa tem por lugar aonde a gente se sente bem.
      Beijinho.

      Eliminar
  4. Com muita pena minha não posso lá estar no dia 1 de Março, mas quem puder fazê-lo de certeza que sairá satisfeito.
    Desejo os maiores êxitos para este evento e espero um dia marcar presença na Festa do Pastor e do Queijo do Mosteiro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um dia... se entretanto e pelo andar da carruagem e falta de visao empreendorista, nao tiver acabado.
      Bom que te despaches, pois assim, tambem "navegam" os manjares do Ze Pequeno...
      Este dia devia ser feriado municipal ou no minimo, tolerancia de ponto!

      Eliminar
  5. Festa boa essa, Xico! Gostei da frase: "...mãos calejadas, mas de uma alma forte como o granito em que foram talhados."
    Um abraço grande...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anete, o Xico também lhe deixa um grande abraço.
      Não contava lá estar, mas afinal vai estar e assim registar os momentos desse dia que acho é para continuar porque só assim se faz uma tradição com gente rude apenas nas mãos calejadas.

      Eliminar
  6. A festa para celebrar os pastores, as ovelhas, e o queijo. Com um pouco de vinho para saborear o queijo, as mãos calejadas dos pastores e o cheiro ao que a terra com o esforço das gentes dá, é silenciar telemóveis e esquecer o mau folclore que às vezes se forma ao redor do que é genuíno.
    Que a festa seja boa!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Podes crer, Laura, acho que todos começamos a ficar fartos desses concursos e dos artistas habitualmente em palco.
      É sempre um prazer lermos os teus comentários.

      Eliminar
  7. Oi Xico!
    Adoro esse tipo de feira, onde são apreciados os produtos locais, ainda mais queijos, que amo! Ai quem dera poder está ai...
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Fátima, eu não gosto de queijo (nem do cheiro), ainda assim quem me dera estar lá...
      Mas pronto...
      Bjos/Bom fs.

      Eliminar
  8. Paula nem sabes o que perdes. Alem do queijo também vamos ter o RUIZINHO DE PENACOVA

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda bem que deixa esta informação aos leitores do blog, principalmente ao público que gosta de concertinas e ouvir cantares ao desafio...as desgarradas...
      Foi uma boa aposta para a animação da Festa do Pastor e do Queijo.

      Eliminar
  9. A verdadeira essência das nossas gentes!
    Bj amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gentes de bem conviver!
      Beijinho.

      Eliminar
  10. Como gosto destas feiras.

    O queijo é uma das minhas perdições.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diz o Xico que se pudesse mandava de lá umas fatias, mas como não dá...manda-lhe beijinhos.

      Eliminar
  11. Boa noite Xico, uma feira onde a poluição moderna não entra .
    Um local com gente genuína, com sabores e aromas que tanto dizem aos da terra, assim como farão as delicias dos que tiverem a felicidade de por lá passar!
    Não posso deixar de me referir ao verbo que empregou e que me fez sorrir no bom sentido: arrebanhar! Bem dito e escrito!
    Boa feira do Pastor e do Queijo!
    Divirtam-se!
    Beijinhos,
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ailime, muitas vezes ouvimos e às vezes usamos estes e outros termos em jeito de paródia, mas são sem dúvida uma característica das nossas gentes.
      Beijinhos.

      Eliminar
  12. Deve ser uma exposição bem a moda antiga , o que me dá ainda mais vontade de
    visitar , pena que não posso, sinto saudade deste cenário, já que me criaei em meio á vacas e galinhas, correndo no campo.

    Bjs e bom fim de semana e uma ótima exposição.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simone, quanto ao cenário o Xico depois explica melhor, pois vai haver um concurso de ovinos, com prémios de “melhor grupo de ovelhas”; “melhor grupo de malatas”; “melhor malato”; “melhor carneiro”.
      Bjs e bom fs.

      Eliminar
  13. Penaverde, a célebre feira de gado. Oxala os pastores de agora possam saborear o delicioso queijo da Serra, porque os que conheci no meu tempo, nao tinham essa sorte. Regalem-se, mas nao os esqueçam. Um deles disse-me um dia: triste vida do pastor/ de Inverno pelo frio, e de Verão pelo calor. Quanto a mim, estou a saborear o ultimo dos que trouxe de Portugal em agosto ultimo; em França ha muito queijo, mas o da Serra deve ser único. Abraço a todos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, a “Feira Nova” era boa em gado, mas fraca em queijo. Dantes nesta feira só vendiam os pequenos produtores e normalmente o queijo de cabra, vaca ou misto. Os que produziam o bom queijo da serra iam era vendê-lo à feira de Fornos!
      Só que, proposta pelo Junta e apoiada pela Câmara, faz-se desde 1985 a feira do queijo, mas por acaso desde o ano passado (2014) que carrega o termo "Festa" em vez de "Feira", daí se ler no cartaz "2.ª Festa do Pastor e do Queijo". Talvez tenha sido a forma encontrada pelos penaverdenses para celebrar o que foi no passado, digo eu, porque neste dia os pastores chegam com as suas ovelhas enfeitadas e todos recordam os tempos "em que os seus antepassados e ainda alguns deles por aqui chegavam com os rebanhos, uns a vender, outros a comprar.". O concurso de ovinos é um bom atractivo!
      Um abraço meu.

      Eliminar
  14. Xico e Paula,

    Eu preferi feiras como essa, sem nenhuma mordenice.
    O mais lindo disso tudo, é a simplicidade e autenticidade.
    Paula, obrigada pelo carinho no post da viola. Rs Foi apenas um sonho.
    Uma linda semana pra vocês! Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Das redondezas até é a mais pequena, mas diz o Xico que a afluência foi muita e tal se deveu, talvez, à simplicidade e autenticidade.
      Bjos/boa semana.

      Eliminar
  15. Bom dia, as feiras rurais são fantásticas, quando tenho oportunidade estou presente nas feiras da minha região, são as feiras populares que me faz sentir bem no meio do verdadeiro povo.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E foi assim que me senti, muito bem no meio das "minhas" gentes.
      Eu e alguns milhares que ali acorreram, como pode ver no post ontem aqui publicado.
      Um abraco.

      Eliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.