Seguidores

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Erva-Relógio

O nome científico é: Erodium Moschatum

A erva-relógio é o nome popular dado em Portugal para esta plantinha de cor verde, mas que com o tempo vai tornar-se em castanho escuro. As crianças de Forninhos usavam-na como relógio, separando as várias pontas, fáceis de despegar, que rodavam lentamente como um ponteiro de relógio. 
Quem nunca brincou com a erva-relógio?
Da família das Geraciáneas, esta planta anual (por vezes bianual) cresce à beira dos caminhos e terrenos incultos, mas também nos terrenos cultivados e floresce entre o mês de Fevereiro e Abril.
Há umas horas atrás enquanto caminhava vi esta planta à beira de um caminho e florida, para mim, foi um espanto! As fotos que tirei não ficaram boas porque o tempo aqui está cinzento e chuvoso, pelo que agradeço a imagem que me apraz partilhar ao seu autor.

33 comentários:

  1. Bastantes vezes brinquei, em pequeno, com as sementes desta planta. Belos tempos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando crianças era preciso pouco para sermos felizes, Henrique!
      Eu na meninice diverti-me muito a brincar com plantas sanzonais que apareciam em qualquer sítio, como na estrada, pois na altura não se usava o herbicida. Além desta planta, havia uma outra que usava-mos como “setas" e havia uma muito vistosa, colorida, que tinha uns “dedais” para dar estalinhos, geralmente na cabeça dos mais pequenos, tinha um som tipo “trocle”. Acho que esta planta até se chama “dedaleira”.

      Eliminar
    2. Lembro-me que nesta erva relógio, as sementes quase todas enrolavam no sentido do relógio e nós passava-mos o tempo a procurar uma que enrolasse no sentido contrário. Então prendíamos na camisola e víamos uma a enrolar para um lado e a outra, para outro.
      Essa planta que falas de dedaleira julgo que também se chama de boca de lobo, planta que dá vários sinos cor lilás. Também me lembro de apanhar sapatinhos de Deus e nozelhas, isto já lá vão muitos anos. Também nos divertíamos a apanhar praganas (tipo de aveia) e atirava-mos uns aos outros, ficando estas agarradas ao vestuário. Os brinquedos eram poucos e tínhamos que inventar.

      Eliminar
    3. Também me lembro de apanhar esse sapatinhos ou pezinhos que se dizia pertenciam ao Menino Jesus.Já as nozelhas acho que se trata duma planta comestível, tal qual as pútigas, mas disseram-me que quem comesse muitas ficava tonto, bêbado!

      Eliminar
  2. Que linda plantinha! Sabes que não lembro delas aqui ! Bom recordar as brincadeiras,né? Linda semana! abraços,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, é bom recordar esses tempos e brincadeiras da nossa infância. Às vezes basta uma imagem e tudo adquire outra vida.
      Bjos/Boa Semana.

      Eliminar
  3. Vai muito tempo que nao vejo esta plantinha de "brincar", talvez por nao prestar atencao ou ja nao puxar para estas brincadeiras!
    Mas recordo bem as camisolas de la repletas dos seus "garfos" que pareciam ponteiros de relogio, a enrolar, enrolar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boas recordações!
      Tens de prestar mais atenção e digo-te que...por aqui... os "garfos" são só uma amostra.
      Mudando de assunto: como conseguiste fazer um pequeno comentário?

      Eliminar
    2. Talvez por inspiracao divina tenha feito um pequeno comentario e ainda bem, pois se os "garfos" sao apenas uma amostra, o que podia vir a seguir...
      Tenho de andar atento se quero continuar a recordar ou entao dar corda ao relogio!

      Eliminar
  4. Gostei de conhecer a Erva-Relógio! Post muito bom, Paula! A foto tá bonita!!!
    Uma Boa Semana p você. Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Anete pelo simpático comentário e boa semana para si também!
      Beijos.

      Eliminar
  5. A natureza e suas faces, gostei de conhecer mais
    uma obra do criador.

    beijinhos

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, às vezes somos levados a pensar que o Senhor andou pelos nossos campos e os embelezou com pormenores que, normalmente, passam despercebidos.
      Beijinhos Simone.

      Eliminar
  6. Boa tarde, conheço a pequena planta, não sabia o seu nome, a poucos metros da minha casa, existe muitas, são apreciadas pelas pessoas que passeiam junto a elas, a foto ficou bela.
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O caminhante que esta planta ou erva vê, não pode ficar indiferente.
      Já agora, AG, separe as várias pontas para as ver rodar ;-)

      Eliminar
  7. A erva-relógio é o que nós chamávamos aqui de "garfos", devido às pontas que apresenta. Mas não recordo de alguma vez tê-la visto em flor, talvez nunca tenha calhado, mas até dá umas flores muito bonitas!
    Um post muito singelo!
    Boa semana, Paula!
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez só a tenhas visto com os "garfos" já maduros, mas as flores de cor rosa-lilás são mesmo bonitas. Apesar do frio que faz, aqui já estão a florir!
      Quanto aos nomes, é conhecida por vários nomes: "erva-relógio", "erva-alfinete", "garfos", "piquetas", etc. e tal...
      Boa Semana tb, Laura.

      Eliminar
  8. Boa noite Paula, se me lembro da erva relógio, embora brincasse mais com os pampilhos (margaridas amarelas) fazendo colares e pulseiras que enfiávamos em fios de coser;))!
    Desde muito criança que o que mais me despertava a atenção na natureza eram precisamente as flores pela sua cor e perfeição e quanto mais pequeninas mais atenta ficava perguntando-me quem as teria feito;))!
    E naqueles tempos (mais nos meus;)), como não havia brinquedos as flores eram um elemento essencial para as brincadeiras! Os enleios para fazer cordas e saltar, etc!
    Gostei muito do "post"! muito bem lembrado!
    Beijinhos e boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite Ailime, na minha terra chamam pampilhos ou pampilros a uma planta que aparece aos molhos nas paredes de granito pouco ensolaradas, nos períodos mais chuvosos e húmidos. Utilizei-a muitas vezes nas minhas brincadeiras infantis, principalmente quando florida.
      Fiz um post sobre essa planta em Jan/2010 e pode conhecer os nossos pampilhos em:

      http://onovoblogdosforninhenses.blogspot.pt/2010/01/umbilicus-rupestris.html#comment-form

      Mas já estive a ver a imagens de pampilhos e de facto o google acabou de mostrar-me flores semeadas, nascidas e criadas pela natureza selvagem (as margaridas ou malmequeres de amarelo vivo). Obrigada.
      Bjos/Boa Semana.

      Eliminar
    2. Boa noite Paula, fui agora pesquisar o seu artigo e a plantinha que mostra também me é muito familiar! Só não sabia o nome. Aqui encontra-se nos muros antigos e até em Lisboa a cheguei a encontrar nuns muros altos da empresa onde trabalhei para os lados do Largo do Carmo;))! Em Sintra existe com abundância! Acho uma planta muito mimosa e quando era garota gostava de a esmagar entre o dedo polegar e o indicador;)) devido à textura ligeiramente carnuda!
      Sempre a aprender!
      Muito obrigada pelas suas indicações preciosas!
      beijinhos,
      Ailime

      Eliminar
  9. Privados de brinquedos, restava-nos a natureza. Junto à erva-relogio crescia também a grama cujas espigas utilizávamos como setas e atirávamos uns aos outros e que tinham o dom de aderir ao vestuario. Das terras mais humidas aproveitávamos os juncos que com uma pedra na ponta, atirávamos ao ar dizendo que eram foguetes, ou atados pelas pontas serviam para confeccionar fios que presos de uma casa para outra, com uma caixa de fósforos em cada extremidade permitiam "telefonar" entre amigos. Muito haveria que contar. Os telemoveis da época eram assim. Quanto aos computadores, vinham mais tarde sob forma de um enxada e uma marreta, mas disso já falamos. Sinto muito se pinto um quadro demasiado negro, mas era assim e, claro que éramos felizes. Se os meninos de agora soubessem a sorte que têm. Abraço, e coragem para continuar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essas e outras brincadeiras em que as crianças utilizavam a imaginação para construir os seus próprios brinquedos, fazem parte da memória de muita gente, inclusive, da minha, S. Leitão!
      Do caule do centeio ou do trigo fazia-se uma gaita para assobiar e bolas de sabão com uma palha seca; dos galhos de sabugueiro os meninos faziam espingardas e flautas; barcos de corcódea ou comboios com pinhas atadas umas às outras com guita, etc...
      Já que fala nos telemóveis e computadores, não acha os tablets parecidos com a pedra lousa?
      Quem vê um estudante de hoje retirar da mochila um tablet acho que pode até confundi-lo com uma lousa, pois o tamanho, forma e aparência eram +ou- os mesmos.
      Aprenderem alguma coisa útil, se calhar é que é mais difícil. Acho que instrumentos como a enxada deixa mais conhecimentos na cabeça de uma criança do que um tablet. Digo eu!
      Um abraço.

      Eliminar
  10. O que aprendo por aqui!

    Desconhecia totalmente essa planta. a flor é simples e bela e de uma cor linda!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu já ouvi muitas vezes que as coisas mais belas são aquelas mais simples. O "Olhai os lírios do campo" (ou "Olhai os pássaros no céu") diz-nos exactamente isso.

      Beijinhos.

      Eliminar
  11. Paula,

    Eu não conhecia essa linda florzinha. Que coisa mais mimosa!
    Interessante como ela é formada com pontas. A natureza é perfeita!
    Vivendo e aprendendo!
    Belo presente você ganhou nesse dia. Além de ver as florzinhas, pode recordar das brincadeiras da infância.
    Um lindo dia! Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois foi, viajei ao mundo do brinquedo e do brincar de antigamente e viajar neste mundo é aprender, é conhecer melhor a história do nosso povo.
      Beijos.

      Eliminar
  12. Paula, nunca tinha ouvido falar dessa planta, embora tenha crescido em amplos espaços.
    Boa semana.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora já conhece ;-)
      Boa Semana, Nina.

      Eliminar
  13. Olá Paula,
    Não sabia o nome popular dessa flor. Flores silvestres que embelezam os campos.
    bj amg

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mais de uma planta pode ter diferentes nomes populares, mesmo no mesmo país, porque de uma região para outra acabam por receber novos nomes locais e esses nomes populares nem sempre derivam dos nomes científicos.
      Obrigada pela visita comentada.
      Bj amg tbm.

      Eliminar
  14. Estou a perder, Paula!
    É que não me lembro desta plantinha. Talvez não esteja a reconhecê-la
    Beijinho

    ResponderEliminar
  15. Não consigo postar o comentário...
    Será desta?
    dizia que desta vez fico a perder porque não estou a reconhecer esta plantinha "de brincar"
    Beijinho

    ResponderEliminar
  16. Não consigo postar o comentário...
    Será desta?
    dizia que desta vez fico a perder porque não estou a reconhecer esta plantinha "de brincar"
    Beijinho

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.