Seguidores

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Festa de Forninhos


Vamos ver aqui momentos da procissão do dia de Nossa Senhora que se realiza a cada 15 de Agosto que é o Dia da Assunção e é nesse dia que se celebram em muitos lugares do nosso país as festas em honra de Santa Maria, mãe de Jesus, sendo que na nossa terra é venerada desde tempos imemoriais com o título de Senhora dos Verdes.



As pessoas vão-se posicionando à sombra nos lugares de ver ou de participar













Acabada a procissão, segue-se as fotos do costume nestas situações, tal como eu com a minha madrinha. Depois as pessoas vão-se posicionando para participar na missa solene que celebra a Nossa Senhora dos Verdes...mas se viram com atenção repararam que Nossa Senhora de Fátima também faz parte desta procissão, assim como alguns santos da devoção (ou não) do povo de Forninhos.
...Continua...

Fotos: Xicoalmeida.

32 comentários:

  1. Olá, Xico!
    Muito interessante a procissão em honra de Nossa Senhora dos Verdes, cujo nome ouvi pela primeira vez.
    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ola Nina!
      Nada semelhante com a Holanda por onde passeias.
      As pedras daqui, serao os diques dai.
      Vem um dia...
      Beijo.

      Eliminar
  2. Linda festa pra grandes e pequenos! abração,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso Chica. Até acho que a "GENTE MIÚDA" vive mais a festa que nós (os adultos) e é bonito ver a criançada se divertir nesta época das férias e festas.

      Eliminar
  3. Lá se foi mais um mês de férias nas quais não poderia faltar a festa da Senhora dos Verdes. Faz parte da tradição já secular, embora sem paralelo no modo da sua celebração face ao antigamente, apesar da galhardia e beleza das cruzadas e cruzados.
    Este ano, pouco diferiu face aos anteriores. Começa semanas antes com a preocupação da encomenda de quem quer e pode, dos cabritos, borregos e leitões assados, afinal a festa tem por base boa e farta mesa, rodeada por familiares mais próximos na hora do almoço, a maioria vinda de locais distantes, quase sempre os emigrantes e os lisboetas. Depois virão mais tarde os amigos chegados para a merenda, petiscando e bebendo um copo na casa de quem tal aprouver. Alguns nem se vão lembrar por onde andaram...
    Fazia calor forte no início da procissão, ainda por cima, logo após a hora do almoço em que o corpo zangado pedia uma sesta, como que ralhando que havia que poupar energias para o bailarico que iria decorrer na Fonte da Lameira, noite dentro.
    Pessoalmente cada vez me dá mais gozo, calcorrear acima e abaixo o caminho ainda longo até ao santuário, fazendo registos de reles amador fotográfico que sou, mas e curiosamente as gentes de Forninhos já não estranham e pensam que temos a obrigação de tal fazer. Quem diria...
    Mas destila-se no calor com felicidade ao ver a pessoas posarem para a fotografia, quase pedindo "metam-me lá" que os meus filhos vão ver e os meus netos querem conhecer. Gentes na distância de muitos milhares de quilómetros a quem apenas podemos oferecer meia dúzia de palavras e outros tantos quilometros, mas se calhar, toneladas de sentimentos...
    Quando assim é, dever cumprido!
    Adiante, correu bem, embora pessoalmente considere que bastaria o andor da Senhora dos Verdes, pois não é o dia de todos os santos, mas enfim, tal já foi falado.
    E pronto, depois da missa e ainda no adro, música e regar das gargantas, pois a noite iria ser longa ou a manhã chegaria depressa, sendo que nada melhor que a tenda do amigo Zé Pequeno
    A Festa dentro da festa.
    Será o próximo post e uma homenagem mais que merecida a este senhor que me apaixona e carrega para as feiras, gentes de tantas aldeias das redondezas de vilas próximas na busca dos seus petiscos, ele que já teve honras televisivas. Pedi e disse "põe, terei todo o gosto".
    Quando assim é, obrigada Zé.
    Um abraço a todos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este blog sempre valorizou/divulgou a Nossa Terra e todos sabem que ganham, de alguma maneira, com o nosso pioneirismo, estejamos a falar mal ou bem de Forninhos.
      Claro que, no caso, é melhor falar bem das nossas festas...mas deixa-me triste ver na procissão santos que nem sequer são da devoção do povo de Forninhos!
      Mas a Comissão de Festas é quem decide, por isso...adiante...senão o blog volta a passar por o "mau da fita" e ninguém vai dizer (em Forninhos, porque é lá que falam) que o blog sempre valorizou o esforço, trabalho e entrega que é necessário em favor das festas da Senhora dos Verdes, como o provam todas a postagens que fizemos sobre e que correm mundo...

      Eliminar
  4. . Olá! Meu nome é Vinicius C. Eu sou dono e escritor no site. www.almadopoeta.com
    Pediram-me que ajudasse a divulgar e pedir ajuda para dona Maria. E eu certamente aceitei. Eu a conheço, pois mora relativamente perto da minha casa.
    Por favor, não ignore. Existe sim dignidade ao se pedir ajuda e é isso que estamos fazendo. Por favor, visite a página e mesmo que não possa ajudar financeiramente doe seu tempo divulgando a campanha.
    Muito obrigado por sua atenção!
    Vinicius C/ eu ajudo!!!
    Abraços!
    Segue o link...
    http://solidariedade-maria-maria.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem duvida que a solidariedade sustenta as vivencias.
      Tudo de bom, sinceramente para a dona Maria.

      Eliminar
  5. Paula querida, que bom vê-la novamente postando e também revê-la em foto! Gostei muito...
    Festa alegre e animada!
    Beijos+abraços...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com quase 5 anos de história, precisava mesmo de umas férias 'grandes', mas agora que voltei à normalidade lisboeta é bom estar aqui com todos ;)
      Beijos+abraços tb...

      Eliminar
  6. No interior ainda se mantêm as tradições.

    Adorei ver as fotos.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez porque no interior as tradições ainda se mantêm, a Igreja não acabou com feriado religioso mais tradicional que temos e ainda bem!
      Beijinhos**

      Eliminar
  7. Demorou mas chegou...
    beijinhos
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem é vivo sempre aparece :-)
      Beijos tb.

      Eliminar
  8. Que bela festa. Que alegria ver preservada as tradições. Ano que vem vou ai participar da festa. O tempo maravilhoso muito sol, por aqui muito frio. Só estou aqui imaginando a bela ceia depois da procissão. Que saudade das festas de Solidão.
    Bjos, estava com saudades de vocês. E as férias deve ter sido fantásticas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foram óptimas as férias, mas o que é bom acaba depressa ;-)
      Da preparação da festa, se a protecção dos animais nos lê torna isto num escândalo nacional, já que cabras, cabritos, borregos, leitões, etc.. não faltam na mesa dos forninhenses (antes e depois da procissão). Este ano até porco no espeto houve, não chegou foi p todos, mas à fome ninguém morreu...!
      Se para o ano cá vier ;-) espero que goste. Bjos.

      Eliminar
  9. Olá Paula, seja bem-vinda!
    Momentos lindos da procissão em honra da Senhora dos Verdes!
    Adorei vê-la em companhia da sua madrinha!
    Beijinhos e uma boa noite.
    Ailime
    (tenho um filhote novo;))
    http://ailime-ecos.blogspot.pt/)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem-haja Ailime!
      O post do nosso maior dia de festa pode tardar...mas não falha!!!
      Foi com agrado que posei para a foto com a minha sempre bem-disposta madrinha...forninhense, mas residente nos EUA.
      O fotógrafo de serviço foi o Xico!

      Eliminar
  10. Oi Paula!
    Como foi suas férias? Aproveitou e descansou bastante?
    Belo post, gosto de ver as tradições acontecerem, as pessoas participando e apoiando, isso nunca deve acabar, pode até mudar um pouco, mas acabar não, adorei as fotos e de ver você também.
    Aqui dia 15 de agosto é também o dia de Nossa Senhora de Assunção e padroeira de Fortaleza, portanto feriado, é sempre muito comemorado, com procissões de jangadas, um belo espetáculo no mar e também com procissões nas ruas.
    Beijos e um feliz retorno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oi Fátima. Deu para matar saudades, descansar e acho que vim com um ar mais fresco ;-)
      Apesar da procissão ser pouco participada, o que eu desejo também é que a tradição se mantenha (a pagã também) e se prolongue por muitos anos neste dia de Nossa Senhora, o convívio saudável, agradável, bem-disposto... bem ao jeito dos forninhenses.
      Beijos.

      Eliminar
  11. AS imagens são lindas e retratam lindamente a tradição que no nosso país...nos enche de orgulho!
    Um dia...vou conhecer esse lugar maravilhoso!
    Tudo de bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Venha. Gostamos de "afixar" as fotos da festa nesta parede gigante que é a Internet, para o forninhense migrante e emigrante ver, mas também para convidar os outros leitores a vir até Forninhos, nas festas e não só...pois Forninhos não é só festas, capela e igreja! Tem lugares históricos e panorâmicos inseridos na natureza lindos de apreciar.
      Espero que goste.

      Eliminar
  12. Abençoada por Deus, a Amadíssima Virgem Maria trouxe à luz o seu filho Salvador e, por tanto amor, não morreu, subiu aos céus. Oro com vocês: Creio em Deus. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também comungo essa sua manifestação de fé.
      Um abraço meu, Paula.

      Eliminar
  13. Gostei da reportagem, quanto aos santos deixem-nos la dar uma voltinha, nem que seja uma vez por ano!

    Um abraco de amizade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que as voltinhas saem caras, já que os restauros não são baratos!
      Os tempos são outros e a tradição, confirma-se, já não é o que era, embora há quem discorde e diga que fez-se a procissão à semelhança de anos anteriores. Certo. Mas uma procissão deve ser uma manifestação de fé. Esta, há muito, de manifestação de fé passou a martírio.O itinerário até é o mesmo, a hora idem, no entanto, as pessoas que defendem que os 7 ou 8 andores devem continuar a ser transportados por tractores são as que não participam nela!
      Eu não gosto desta procissão e não é só pela quantidade dos andores e decoração. É porque do princípio ao fim é um balbúrdia.
      Retribuo o abraço.

      Eliminar
  14. Adorei carregar nas fotos e apreciá-las ao pormenor. Uma bela e fiel reportagem fotográfica, na qual até se sente o calor que estava...:-) Gostei da forma como o andor estava enfeitado; com flores muito bonitas, e crianças sorridentes a participar na festa... Realmente pensar-se-ia que celebrar a Senhora dos Verdes, seria uma forma de celebrar no fundo todo a religiosidade, e Nossa Senhora de Fátima já tem suficientes dias a ela dedicados. Mas esse é apenas um pormenor, e o que interessa é que as tradições se mantêm, e também como não poderia deixar de ser, com o seu aspecto pagão de confraternização, porque "os cabritos, borregos e leitões" também são importantes :-)
    Obrigada, gostei muito de ver.
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dizes bem, Nossa Senhora de Fátima já tem suficientes dias a ela dedicados. A Laura não conhece, mas eu acho que neste dia (15/AGO) só ficam 3 imagens dentro da Igreja Matriz: S. José, Santo António e a Nossa Senhora da Conceição (que os doutos autores da monografia de Forninhos intitulam por "Santa Margarida de Antioquia) que também, a meu ver, podia "passear" no dia da Assunção, então!
      Há imagens que já sabemos que vão sempre e há coisas que sabemos nunca mudam, mas lá que os andores ficam mais bonitos como flores naturais, ficam! E eu e mais vozes disseram que a Capela também estava muito bem arranjada...
      Aos mordomos fica o reconhecimento pelo trabalho feito.

      Eliminar
  15. Tive que voltar para dizer que adorei ver-te na foto, jovem e bonita, Paula!
    Queria ter dito isto mas esqueci-me!...:-)
    xx

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simpatia tua, Laura. Já entrei nos "entas" há uns anitos!
      Bj**

      Eliminar
    2. Ah, eu também, mas continuamos jovens e bonitas...;-))
      xx

      Eliminar
  16. Embora cada festa desta índole pareça uma coisa repetitiva (e no principal do ritual tal é...), sempre e felizmente, aparecem pormenores emotivos, encontros perdidos na distância de milhares de quilómetros ao longo de anos e que aqui, depois dos abraços familiares e amigos, se recua tantos anos no dia da Festa, na emoção dos rostos na procissão e no Adro da Sra. dos Verdes.
    Uma saudade imensa que ali se derrete numa lágrima fortuita que o coração tinha guardado.
    A Festa tem destas coisas que nos amarram...
    Bonito Post!

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.