Seguidores

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Memórias de outros tempos: As Excursões IV

As excursões d´outros tempos eram o único meio para as gentes de Forninhos conhecer alguns dos belos Santuários de Portugal. Também um dos maiores motivos de atracção eram as praias da Figueira da Foz e Mira, onde os excursionistas iam molhar os pés e apanhar conchas do mar para trazer para casa como recordação; ver as traineiras e os pescadores a puxar as redes e ver a sardinha a saltar. Com agradecimento à minha tia Margarida aqui vos mostro umas fotografias da mesma série da excursão a Braga:


'lupas em punho' e vamos então retroceder no tempo


e identificar quem é quem


Provavelmente já pouca gente existe deste tempo, mas esperemos que alguém se reconheça ou reconheça alguém e saiba onde é esta praia.

26 comentários:

  1. Lindo isso e adorei a foto na escadaria.Linda!Tomara encontrem as pessoas que nela estão! beijos,chica, linda semana!

    ResponderEliminar
  2. La primera fotografía Bom Jesus...¡¡¡Que Preciosidad!!!
    He ido varias veces a esa maravilla de sitio.
    Es cierto, también, aquí, en España, hasta hace poco la forma de conocer lugares era a través de estas excursiones.
    Abrazos.

    ResponderEliminar
  3. ¡¡¡Gracias por visitar nuestra Tienda y ser nuestra seguidora!!!
    Como sabes yo soy mitad portuguesa, porque mi abuelo era de Seixas, cerca de Caminha.
    Abraços e beijos.

    ResponderEliminar
  4. Este blog quase parece a Agência Reuters, tal a mediatização.
    Ainda bem que é reconhecido pela sua extrema qualidade.
    O 4º comentário, é de um português!
    Belíssimas fotos; uma preciosidade do baú da Margarida. Um obrigado para ela por partilhar.
    Penso reconhecer algumas pessoas, mas não recordo os nomes.
    N a primeira foto, parece-me estar a Tia Aida.
    Na segunda, penso que o padre é o padre Virgilio (ou Grilo).Não foi ele que "roubou" o Santo?
    Na terceira, parece-me a prof. Mariana.
    Será?
    Mas era marcante a euforia que precedia uma excursão.
    A escolha das melhores roupas, a merenda do melhor que em casa havia.
    O "encomendar" à vizinha que olhasse pelo ganau e fechasse o galinheiro às pitas.
    Quase nem dormiam.
    Talvez a praia seja a de Mira.
    Imaginem o que seja ver o mar pela primeira vez?
    Nunca mais se esquece e aposto que nesse final de dia as pessoas dormiam enroladas no balançar das ondas...

    ResponderEliminar
  5. N asegunda foto, acho que estão os teu avós paternos, certo?
    E parece-me a mulher do Ti Zé Teodósio.
    Raios, parecem quase todos iguais!

    ResponderEliminar
  6. A primeira foto, é apenas artisticamente deslumbrante!
    A segunda da esquerda, de escuro, não é a mulher do 51?

    ResponderEliminar
  7. Xico:
    Consulta a excursão a Braga que já aqui foi editada e que pelos vistos não viste, onde já estão gravados alguns nomes.
    Na 1.ª e 2.ª fotos, sim, está lá a minha avó Coelha.
    Na 2.ª e 3.ª fotos está a Prof.ª Mariana (hoje mais madura).
    E na 2.ª foto está sim Sr. o Pe. Virgílio, não sei se foi quem roubou da Igreja o Santo, sabemos que foi quem roubou da Capela da S. dos Verdes os "Serafinzinhos" em 1959.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Paula.
      Já consultei e ajudou-me a relacionar o rosto com o nome de algumas pessoas.
      A primeira foto, "passa-me" completamente...
      Parabéns.

      Eliminar
  8. A 1.ª fotografia é uma das mais bonitas que recebi...é daquelas imagens que só pelo sítio maravilhoso que é, merece lugar de destaque.
    Tal como o Pedro, já visitei várias vezes o Bom Jesus de Braga e para mim é mais bonito do que o Santuário de Fátima.

    ResponderEliminar
  9. Estas excursões de antigamente, tinham um cariz religioso, quase sempre orientadas para locais de culto, como Fátima, Santa Luzia em Viana, Sameiro e Bom Jesus.
    Se repararmos na segunda foto, as pessoas estão em recolhimente, véus na cabeça e chapéu na mão, parecendo rezar. Na primeira, já se nota um ar mais animado e sorridente, digamos que despreocupado, quase sem lenços e véus.
    Claro que havia outras visitas, a mosteiros e outros locais.
    Mas a praia, era sagrado.
    Atentemos na terceira foto e o que vemos:
    Todos sorriem, sem excepção!
    Quantos não terão visto o mar pela primeira vez, tão grande que nem lhes cabia na alma, habituados ao cheiro dos pinheiros e giestas, estranhavam o cheiro da maresia.
    E estavam felizes!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E muitos nunca o viram!
      Mas é verdade que transparece na foto da praia um ar feliz!

      Eliminar
    2. Realmente são fotos muito bonitas e já com algum tempo.
      À primeira vista reconheço a minha tia Maria "Coelha", o Padre Virgílio Lopes "Grilo", que assisti à sua promeira missa; reconheço também a Tia "Xoninha", que morava ao lado da casa do Tio Carlos Guerra; também uma moça parecida com a professora Mariana e outra com a minha prima Aida.
      Há outras pessoas das quais já não me recordo dos seus nomes. Um abraço a todoa

      Eliminar
    3. As identificações que faz são referente à foto do grupo, certo?
      Não reconhece a tia Maria do Henrique?

      Eliminar
  10. Antigamente era tradição da Igreja Católica Apóstolica Romana o uso do véu pelas mulheres durante a missa, mas penso que deixou de ser obrigatório. Mas era uma tradição muito bonita. Eu acho.
    A Micas, por exemplo, está muito bonita (2.ª foto).

    ResponderEliminar
  11. Bonitas fotografias antigas e que e sempre um prazer velas e assim recordar as pessoas que conhecemos .Eu conheci a Tia Maria Coelha as outras nao conheci . Ainda bem que nesse tempo avia excursões ,assim as pessoas podiam sair da terra .

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas é mesmo, Manuela. Principalmente para a mulher de Forninhos que desde sempre repartiu a sua vida entre "o governo" da casa e os trabalhos do campo e pouco tempo lhe sobrava para o lazer, ainda bem que para além dos Domingos...os dias de festa...as feiras, havia as excursões. Só nestes dias é que aprimorava o seu traje e calçava umas sandálias ou tamancas.
      Estas imagens recordam precisamente a mulher dum tempo passado!

      Eliminar
  12. Bom dia para quem acordou!
    Estou radiante com estas fotos, daí ter ido "espreitá-las" de novo.
    Reparei num pormenor deveras curioso ao qual não tinha prestado atenção.Meia dúzia de homens, o resto tudo mulheres!
    Qual o motivo do fenómeno?
    Em Forninhos, é viúva porta sim porta não, mas aqui nas fotos nem todas são viúvas, até aparece gente ainda bem nova.
    Aonde a que estes "marmanjos" se terão metido?
    Foram confessar os pecados? Cheira mais a taberna!
    Mas se eles levavam garrafão e farnel?
    Quem souber que responsa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já da outra vez reparei também que apesar das apertadas liberdades da época, o sexo feminino estava em vantagem.
      E, a ver pelo vestuário e calçado dos fotografados, não estava tempo frio, pelo que quase que aposto que alguns homens nesta hora foram matar a sede...ou então comprar um brinquedito para os filhos!

      Eliminar
  13. Por falar em garrafão e farnel, recordo as palavras deixadas num comentário da nossa amiga Margarida Albuquerque:
    "Na véspera fazia-se o farnel, onde não podiam faltar os pasteis de bacalhau, o bacalhau e batatas albardadas, o presunto, a chouriça, etc... e as fritas, que tudo se metia em cestos a que chamávamos cabazes, alguns pintados a cores vivas e em alcofas de palhinha, também estas com desenhos pintados a cores. Nem se dormia na véspera, tal a vontade e ânsia de ir na excursão!"

    ResponderEliminar
  14. Muito me agrada ver estas fotografias antigas, de ver como as pessoas se vestiam naquele tempo, são as três muito bonitas principalmente a primeira fotografia a descerem as escadas do Bom Jesus de Braga, sempre me lembro de ver a minha avó Maria Coelha vestida de preto, ao vela nesta fotografia com um avental florido, vejo que ela também vestiu outras cores além do preto, ela está muito bonita nesta fotografia.
    Na primeira fotografia só conheço a minha avó, na segunda além da minha avó conheço a tia Xoninha e a tia Felisbela, na terceira só conheço a professora Mariana.

    ResponderEliminar
  15. Boa Noite,

    Na última foto dá pra ver também a tia Xoninha.
    Na da escadaria, à frente está a avó Coelha, a Antoninha (sobrinha do Pe. Virgílio) e da direita para a esquerda a avó do Pe. Matos (da Matela) e a Micas. Penso não estar enganada. Mas...e a outra meia dúzia? São todas da Matela? Atrás da Antoninha parece ser a tia Aida. É?

    ResponderEliminar
  16. De facto, belísssimas fotos, Maria!
    Posso estar enganado mas sempre me lembro de ver a tua avó Coelha de avental colorido, com grandes bolsos.
    Após o falecimento do teu avô, Zé Cavaca, é que "botou" o preto.
    Mas de facto estas excursões eram uma festa e um marco na vida das pessoas.
    A viagem nas excursões eram com certeza alegres, mas duras e longas.
    Ainda era naquelas carreiras antigas e a dureza dos bancos, fazia doer o corpo, as costas e principalmente a alma, por aquele dia estar a acabar.
    Imagino, ao chegarem a casa, a alegria de contarem as descobertas e os mais pequenotes, ansiosos por "lembranças".
    E em conversa um dia, "voltam" ao mesmo sítio:
    "Lembras-te, naquele ano, foi um passeio tão
    bonito e aquilo era tão lindo que não me importava de lá voltar, e tu? ainda tenho no aparador, guardadas, umas conchinhas que apanhei na praia. Aquela água toda, meu Deus, metia respeito".
    E lá seguiram com a cesta no braço, xaile preto sobre a cabeça, tinha geado nessa noite, embaladas em lembranças, apanhar umas couvitas para o ganau.

    ResponderEliminar
  17. Anónimo2/27/2013

    Paula, embora parecida não é a Aida, penso ser da Matela.

    Trajes.
    Olhando para a 2ª foto publicada não posso deixar de me referir principalmente ao avental e lenço que a minha mãe e tua avó, Maria Coelha, exibia. A minha mãe e tua avó, a moda para ela, para além da saia e blusa, nunca dispensou o lenço, o xaile, o avental e os chinelos e era assim que ela se sentia bem e feliz.
    Como se pode observar o avental possuía duas algibeiras, uma de cada lado, que serviam para meter o lenço de assoar, o dinheiro para os gastos, os rebuçados e outras coisas mais, serviam assim de mala e de porta-moedas. Era uma forma prática e sem complicações de se viver.
    O avental de cote também servia de cesto para apanhar fruta, legumes, feijões, etc…a que se lhe chamava arregaçada disto ou daquilo.
    Essa foto vê-se que foi tirada à saída de um lugar de culto religioso e as pessoas mais novas do sexo feminino, ao entrarem cobriam a cabeça com um véu rendado em vez dum lenço que as mais antigas usavam.
    Na 3ª foto algumas pessoas do grupo não dispensaram ir à praia molhar os pés na água do mar e caminhar descalças sobre a areia. Para quem vivia num lugar como Forninhos ir à praia e ver o mar bastava para que a excursão valesse a pena e fosse completa.

    Margarida Albuquerque

    ResponderEliminar
  18. Parece-me uma foto do início do século XX. Não conheço Portugal, mas as fotos do início do século passado são compatíveis com as roupas das fotos antigas que ainda conservamos. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  19. As fotos são da década de 50 do Século XX e deve haver leitores que ainda lembram deste passeio e do seu fato domingueiro e melhor calçado.

    cpts/Paula.

    ResponderEliminar
  20. Me ha encantado ver esas Fotografías de Bom Jesus...Es una preciosidad.
    Esa Fotografía nos la hicimos en el año 1985 a través de un fotógrafo que las imitaba a antiguo.
    Mi esposa tiene, como sabes, antepasados portugueses. Su abuelo y la Familia son de Seixas y muchos de ellos viven en Viana do Castelo.
    Consideramos a Portugal nuestro País Hermano y le tenemos gran cariño.
    Abraços e beijos.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.