Seguidores

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

30.ª Feira e Festa do Pastor e do Queijo da Serra

Aqui Vos deixo o Cartaz  da 30.ª Feira do Pastor e do Queijo da Serra, que se vai realizar no dia 27 de Fevereiro de 2013, no Mosteiro, freguesia de Penaverde:


Programa:
08H30: Sardinhada com prova de Vinhos do Dão para os Pastores
10h00: Recepção das Entidades Oficiais
11h30: Actuação do Grupo de Concertinas de Penaverde
13h00: Almoço regional

A Câmara Municipal convida toda a população a estar presente na 30.ª Feira e Festa do Pastor e do Queijo da Serra deste Concelho.

Fonte: Site da Câmara Municipal de Aguiar da Beira.

10 comentários:

  1. Una Feria con mucho sabor y color.
    Abraços.

    ResponderEliminar
  2. Que vontade que dá de participar! beijos,chica e linda semana e festa!

    ResponderEliminar
  3. E de certo vão ser todos bem vindos e bem recebidos, quer pelas entidades oficiais, quer pelos habitantes de Penaverde.
    Só gostava de ser esclarecida do seguinte: o almoço regional é o quê?

    ResponderEliminar
  4. Anónimo2/19/2013

    Boa tarde a todos.
    Hoje venho no intuito de "chatear" um bocadinho.
    Comecemos pela pobreza do cartaz dos programas do certame.
    Está colorido, com a flor do cardo a fazer lembrar os foguetes na passagem de ano, o vinho e o queijo.
    Deixo um apelo, à pessoa do Sr. Presidente de Câmara, ou futuro Presidente.
    Façam um concurso a nível das escolas primárias do concelho, no sentido de apurarem o melhor cartaz, elaborado por crianças.
    Primeiro, fazia sentir nessas crianças, o que é que se pretende com este tipo de eventos, ensiná-los e motiva-los na procura de conhecimentos ancestrais e com toda a certeza seria um cartaz com mais estética e apelativo!
    Vejam os cartazes que este ano foram publicados por Penalva e Fornos...
    O programa, do evento - Tristeza, falo por mim.
    Além de se realizar já no período da Quaresma, talvez por isso seja de pobreza Franciscana, é absolutamente inócuo.
    Há pouco tempo, coloquei neste Blog o cartaz completo de Penalva e aí sim, havia vários programos e alternâncias para os habitantes e visitantes, á semelhança de Fornos, com a salvaguarda do artesanato e todos os pormenores do decorrer do evento.
    O Município de Aguiar (já nem digo da Beira, por motivos óbvios), demorou tanto tempo a publicitar o cartaz, que saíu isto...
    Resume-se a quatro actos.
    1º. - Sardinhada com os pastores e prova de vinho do Dão.
    Presumo que nesta altura seja sardinha frita, quem sabe, acompanhado, porque não, com uma chicharrada; mas haverá ainda pastores, que troquem isso por uma boa chouriça ou bocado de presunto?
    2º.- Recepção ás entidades oficiais.
    O típico do antigamente.
    Talvez sob forma de exibirem o bem e sacrifício que têm feito pelo mundo rural, e neste caso pelos pastores, rebanhos, queijos e derivados.
    Apesar da vila de Aguiar não estar incluida na região demarcada do queijo da serra da estrela, talvez daí o facto deste certame não se realizar na vila, daí a pobreza da sua divulgação, a autarquia tem no minimo essa obrigação de acarinhar e ajudar as contempladas.
    Não basta aparecer meia dúzia de "senhores", muitas vezes estupidamente endeusados a mostrar a cor política e irem acima de tudo "dar ao serrote".
    Antigamente as entidades oficiais, eram o presidente, o padre, o chefe dos bombeiros, da polícia, o gerente do banco, o notário e um ou outro amigo... sempre os houve!
    Um apelo a essas sumidades: primeiro conheçam o que é nosso, depois, trabalhem com dignidade em prol da comunidade.
    3º. - Grupo de concertinas de Penaverde.
    Sejam de Penaverde ou de Ponte de Lima, sempre adorei o seu toque e alegria, muito mais ao sabor de uma desgarrada.
    Para mim o ponto alto do evento, a não ser que haja missa!
    4º. - Almoço regional.
    O programa nada diz, mas eu presumo que seja gratuito.
    Constará de quê?
    Como nem sequer se fala em provas de queijo, apesar de pensar que tal vai acontecer, deito-me a adivinhar:
    Que tal feijoada?
    Que tal rancho?
    Que tal cozido?
    Cabrito não acho, mas como estarão presentes as entidades, já não digo nada!
    Como abunda o javali, já também e outra vez, não digo nada!
    Despeço-me com alguma tristeza, em solidariedade com a pobreza do programa, mas essas gentes rijas e de têmpera, mesmo sem grandes apoios, têm ainda a grandeza de alma para tornar o que parece nada valer, numa coisa grande.
    Um abraço e boa festa.

    XicoAlmeida




    ResponderEliminar
  5. É mesmo triste que as autarquias não olhem para estes eventos como uma forma de atrair as atenções sobre a sua terra. Mas se calhar na ideia “deles” um evento é bem-sucedido só com a malta da terra. Ou melhor, o público-alvo são as gentes das aldeias circunvizinhas a Penaverde!

    Apenas mais uma nota em relação ao desenho: Penaverde tem um património cultural que no cartaz bem podia e merecia ser divulgado.

    A ideia de lançar o desafio aos alunos do concelho parece-me bem. Muito bem.

    ResponderEliminar
  6. Anónimo2/20/2013

    Ideias, que saídas da cabeças de "burros", valem o que valem.
    As ideias de quem se preocupa, por serem sentidas, não se encaixam na cabeça dos doutos senhores, por não se conjugarem com as deles; essas são mais de índole pessoal.
    Se as crianças tivessem nascido já com cartão de eleitor, outro tratamento teriam, mas estes Burros a quem chamo doutores, não têm a sapiência de semear para mais tarde o fruto aparecer, querem o imediato pois apenas isso lhes dá o prazer de o saborear, e bajularem e serem bajulados.
    Os nossos avós e pais, muito nos deram e ensinaram, agora, infelizmente é cada um por si!

    XicoAlmeida

    ResponderEliminar
  7. Este programa está a "mexer" comigo e com as minhas origens e recordações.
    "8.30 horas: sardinhada com prova de Vinhos do Dão para os pastores".
    Sardinhada em pleno inverno?
    Está tudo louco?
    Anos atrás, pela manhãzinha, havia quem comesse uma sardinha frita, com pão e uma malga de café com leite, temperado com açucar amarelo.
    Agora, para lá da sardinhada, querem transformar os pastores em enólogos (para quem não sabe, são aquelas pessoas "encartadas" para o efeito, os peritos).
    Quanto eu sei, nunca conheci(tirando quem trabalhava para outrém), pastores que não tivessem a sua vinha ou os seus cordões de videiras.
    Mania da modernidade, apenas para dar ênfase e um ar moderno a um certame.
    Qualquer dia, convidam os pastores - os poucos que restam no concelho - para em Junho virem a Lisboa, visita guiada aos Jerónimos e Torre de Belém, depois as marchas na Avenida, culminando com a sardinha assada em Alfama ou Mouraria.
    Tenham juizo e respeitem os pastores!
    Até porque a essa hora, se não fizeram a primeira ordenha, já têm o gado acomodado.

    ResponderEliminar
  8. Sardinha congelada, certamente!
    E não me admira nada que seja sardinha assada, mas sabes Xico, as gentes desta terra estão habituadas a comer e calar...!
    Aceitam tudo isto muitíssimo bem!
    Em suma, não vale a pena perdermos o nosso tempo em defendê-los e em querermos o melhor para estas terras, porque a maioria ainda é capaz de dizer que nós é que estamos errados e somos esquisitos!

    ResponderEliminar
  9. Nós que até ainda temos ligações familiares, como quase todos os forninhenses, penso não estarmos errados nem sermos esquisitos.
    Estou a pensar nos nossos avós e só por eles já vale a pena querer o melhor para esta terra.
    Devemos essa homenagem!
    Principalmente por isso, não vamos desanimar e peço-te, vamos perder mais tempo.
    As pessoas acomodaram-se, "sentem-se" felizes à maneira delas, dentro daquilo que a vida lhes permitiu.
    Só que a felicidade não é um sofá nem uma cadeira, é uma descoberta diária feita de pequenas coisas que as pessoas não sabem o que perdem ao não procurar.
    Trabalha-se de dia, à noitinha a taberna, o jantar, a televisão e pelos vistos, também "O Jornal da Paula".
    Não é preciso ser licenciado, para deixar e partilhar aqui algo, basta apenas dentro da vontade de cada um, deixarem histórias, vividas ou ouvidas, pois isso é sem dúvida um legado aos familiares e amigos, sejam filhos, netos ou bisnetos.
    É para toda a comunidade e lamento que a terra aonde nascemos, me comece a parecer tacanha e mesquinha, por inércia.
    Ninguém neste Blog, está por interesses pessoais, tão só a dar um contributo à sua história e riqueza ancestral e fazer o seu registo.
    Um dia, se Deus quiser, a história dará razão, quando um filho ou uma neta, lerem "nesta alma" de Forninhos, o que não se aprende na escola e perguntarem á mãe, ao pai, ao avô ou avó:
    "Porque é que vocês não aparecem aqui e não contaram histórias?"
    Porque não quiseram!
    Mas isso não dizem eles...

    ResponderEliminar
  10. À hora que escrevo, faltam apenas 4 minutos para começar o almoço regional.
    Qual será a ementa?
    Estou curioso.
    Se depois algém souber que diga.
    Parece que o tempo não está favorável; chuva e neve para aquelas bandas.Faço votos para que o pequeno-almoço dos pastores, não tenham sido as "tais" sardinhas, mas sim uma boa chouriça assada e uns suculentos torresmos.
    Boa festa!

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.