Seguidores

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Ditos Populares do mês de Janeiro

«A partir de 20 de Janeiro, uma hora por inteiro».
«E Janeiro fora, mais uma hora, e hora e meia há-de achar quem bem souber contar».
Estas duas expressões populares referem-se ao crescimento dos dias de Inverno e, certo é que, os dias já são maiores.


Antigamente as pessoas regulavam-se pelo saber de experiências feito. Por exemplo: «Em Janeiro um porco ao sol, outro no fumeiro». Apelo a que a seguir à matação deviam começar a tratar do próximo, acho eu. A grande maioria dos nossos ditos populares acabam por estar relacionados com os meses do ano e clima, e era por este modo de saber, que as pessoas de Forninhos e de outras terras se regulavam, principalmente no que dizia respeito à agricultura. Dizia-se então que o mês de Janeiro deve ser geadeiro para assim atrasar o desabrochar das árvores, principalmente das videiras. «Em Janeiro sobe ao outeiro, se vires verdejar, põe-te a chorar, se vires negrejar, põe-te a cantar».
Tudo isto fez-me lembrar de um outro dito comum noutros tempos, que as pessoas também associavam ao mês de Janeiro que, de tão ouvido no meio onde crescemos, julgo que cada um de nós acabou por ficar marcado por este modo de pensar: «Vestir calças brancas em Janeiro é sinal de pouco dinheiro». As pessoas antigas deviam achar que as cores claras não se vestiam no Inverno. Será?
A partir daqui, conto com o vosso saber e memória para registar outros ditos populares e modo de pensar referentes a este mês que agora finda, Janeiro.

19 comentários:

  1. Permitam-me fazer aqui uma correçao, num dos provérbios em cima mencionados, onde se lê: SE VIRES NEVAR, deve ler-se: SE VIRES NEGREJAR.
    É negrejar porquê? O Janeiro não é chuvoso, mas sim geadeiro, e geada quer dizer: céu limpo, geada de noite e sol de dia, e a geada quando é muita, “queima” os verdes tornando-os escuros, por isso se diz negrejar.
    SE O JANEIRO NÃO TIVER TRINTA UMA GEADAS, TEM DE AS PEDIR EMPRESTADAS.
    Este Janeiro não tem chovido, mas o pior foi o Dezembro, que esse sim, ficou-nos a dever umas boas chuvadas, esperamos que o FEVEREIRO NOS TRAGA O REGO CHEIO.
    OS BONS DIAS DE JANEIRO, VÃO-SE PAGAR EM FEVEREIRO.

    ResponderEliminar
  2. Já fiz a correcção (substitui “nevar” por negrejar). Obrigada Sr. Eduardo. E olhe que eu copiei esse provérbio do Post “Sabedoria Popular”, de 09.DEZ.2009! Costumo reler tudo o que escrevo, mas não detectei a tempo o lapso.
    Janeiro deve ser mesmo assim, geadeiro, mas “mal vai Portugal se não houver 3 cheias antes do Natal”. Mas tenho cá para mim que o pior ainda está pra vir… acho que entendem o que quero dizer;)
    Se não chove em Fevereiro, nem há bom prado, nem bom celeiro.

    ResponderEliminar
  3. Um ditado popular ou um provérbio, é uma maneira de se dizer algo em poucas palavras o que se pretende de forma repetitiva, como por exemplo:
    "GATO ESCALDADO DE ÁGUA FRIA TEM MEDO"

    " O SEGURO MORREU DE VELHO"

    "PELO NATAL UM SALTO DE PARDAL, MAS EM JANEIRO UMA HORA POR INTEIRO"
    e assim por diante, para cada situação ou quase todas existe um ditado da sabedoria popular

    ResponderEliminar
  4. Na minha aldeia oiço imensos ditados e são todos tão engraçados, mas muito certeiros :)

    O último eu não conheço assim, conheço como "Branco em Janeiro, sinal de pouco dinheiro" :)

    ResponderEliminar
  5. Tanto quanto sei, uma e outra quer dizer a mesma coisa, Patrícia.
    Ainda relativamente ao tema em questão, quero acrescentar que muitos dos nossos ditos populares estão ligados a feiras ou festas religiosas. Assim: Se nevar antes de Santa Luzia (13/Dez), é sinal de que não vem mais neve nesse Inverno. Se gela no São Suplício (29/Jan), haverá ano propício.

    ResponderEliminar
  6. Gostei da crônica, bastante simpática. Um abraço, Yayá.

    ResponderEliminar
  7. Boa tarde.
    Os provérbios ou ditos, populares, sempre tiveram algum significado para os mais antigos, seria com base neles que se iam preparando para os afazeres do ano.
    Aqui vão alguns:

    “Da flor de Janeiro, ninguém enche o celeiro.”

    Pintainho de Janeiro, vai com a mãe ao poleiro.”

    ResponderEliminar
  8. Os antigos eram sábios, todos os ditados populares batem certo, exemplo:
    Os dias começam a crescer a partir do dia 21 de Dezembro, que é quando começa o Inverno, há um ditado que diz, DE 21 DE DEZEMBRO ATÉ AO NATAL OS DIAS CRESCEM UM SALTINHO DE UM PARDAL, DO NATAL ATÉ JANEIRO UM SALTO DE UM CARNEIRO, POR JANEIRO FORA CRESCEM UMA HORA, MAS QUEM BEM CONTAR HORA E MEIA DEVE ACHAR, tudo isto bate certo se estivermos atentos todos os dias se nota um bocadinho os dias a crescerem.
    Outro exemplo aqui onde eu moro as pessoas dizem que o tempo nos primeiros doze dias do Ano correspondem aos doze meses do Ano, sendo assim como não choveu praticamente nada, vamos ter um Ano bem seco, mas vamos ter um Ano muito frio porque embora estivessem uns dias de sol estava bastante frio, vamos ver até Dezembro se o ditado bate certo.
    Aqui deixo mais uns ditados populares:
    OS BONS DIAS DE JANEIRO, VÊM-SE A PAGAR EM FEVEREIRO.
    A ÁGUA DE JANEIRO, VALE DENHEIRO.
    JANEIRO FRIO E MOLHADO, ENCHE A TULHA E FARTA O GADO.
    JANERO QUENTE, TRAZ O DIABO NO VENTRE.
    SE QUERES SER UM BOM ERVILHEIRO, SEMEIA NO CRESCENTE DE JANEIRO.

    ResponderEliminar
  9. «Dia de Santa Luzia, minga a noite e cresce o dia».
    Diz-se em Forninhos que no Natal já os dias têm bico de pardal. Outras contas dizem que do Natal a Janeiro o salto é de pardal e da passagem d´ano a 20 de Janeiro o salto é de carneiro. A partir do 20 Janeiro 1 hora por inteiro e depois já se sabe, Janeiro fora, mais uma hora e hora e meia há-de achar quem bem souber contar.
    Este Inverno foi um dos mais luminosos e mesmo que venham aí dias cinzentos, creio que o período mais deprimente já passou, mas «Em chegando o S. Brás (dia 3 de Fevereiro), verás o que o Inverno fez e o que o Inverno faz: se vai para diante ou se fica para trás».É que no dia 2 de Fevereiro também se celebra a festa da Nossa Senhora das Candeias e diz a sabedoria popular que quando chove no dia da Senhora das Candeias, chove trinta dias.
    Sabedoria Popular é assim!

    ResponderEliminar
  10. Olá,Paula!
    Gostei muito deste teu post sobre os ditados populares!
    Sei que já faz algum tempo que não venho cá te visitar... Mas saiba que gosto muito deste teu genuíno e belo blog!
    Fiquei, ainda agora, um tempo bom por aqui, passeando e vendo os teus posts anteriores...Tudo sempre tão autêntico e terno, que nos faz viajar contigo por estas terras tão distantes de nós!
    Não sei se vais lembrar de mim... Te escrevi já há bastante tempo, perguntando sobre algumas curiosidades de "Fornos de Algrodes", terra natal de minha avó materna. Depois, tu me fizeste a gentileza de me visitar no meu blog, por ocasião de um post que fiz sobre us "cogumelos" que apareceram "misteriosamente" aqui em casa... Na realidade, tudo era uma brincadeira de meu marido!(Rs...)
    Desde então, sempre costumo visitar este teu encantador blog, e ele tem sido pra mim, como uma espécie de "elo" entre o meu presente e o passado de parte da minha família...E isso é tão maravilhoso...Quase mágico!
    E hoje, também me encantei com estas estórias sobre os "antigos ditados", que são sem dúvida, registros populares do ritmo da vida na melodia da natureza... Um tema aparentemente simples, mas repleto de estórias e curiosidades... Adorei conhecê-los!
    Tudo de bom para ti e o meu grande abraço brasileiro!
    Teresa
    (do blog "Se essa lua fosse minha")

    ResponderEliminar
  11. Amiga Paula:

    Como um pedido de amigo nao se recusa, ja la vera uma entrada minha no blogue!

    Tambem la tenho um dito quase igual ao seu, mas era assim que se dizia na minha aldeia.

    Creio que se esqueceu de colocar "brancas" a seguir as calcas!

    Sabe que esse dito das "calcas brancas" tem algo de verdade, porque as cores escuras sao muito mais quentes, do que as brancas ou claras, e um facto!

    Um abraco para si e para todos os forninhenses.

    ResponderEliminar
  12. Já dou retorno ao comentário da Teresa, mas primeiro quero pôr os pontos nos “is”. De facto deve ler-se “calças brancas em Janeiro…”. Sabe, caro amigo, escrevi à pressa e “a pressa é inimiga da perfeição”. O que vale “para bom entendedor, meia palavra basta”. Obrigada portanto!
    Espero que esta entrada não tenha mais “gaffes”. Embora se diga que "não há duas sem três" ;)
    Verdade seja dita que as cores escuras são muito mais quentes e é principalmente no Verão que as pessoas reparam mais nisso. As minhas calças brancas só as vou vestir lá para Junho/Julho. Mas termino com um dito caracterológico: “cada um é como cada qual”.

    ResponderEliminar
  13. Obrigada Teresa. O novo blog bateu hoje o record das 99.000 visualizações de páginas e este número deve-se a todos os intervenientes, quem o faz, quem o lê e logicamente quem o segue, mas deve-se principalmente a Forninhos. Se esta terra não existisse não teríamos tanta tradição, tantos costumes, tantas memórias. É o orgulho de ter nascido e pertencer a esta terra que me leva a continuar a aprofundar e fazer chegar aos que nos visitam tanta coisa que Forninhos tem.
    E…como é a andar que se faz o caminho, eis mais um exemplo explicado em meia dúzia de palavras:
    “Janeiro geoso, Fevereiro nevoso, Março molinhoso, Abril chuvoso, Maio ventoso, faz o ano formoso.”.

    ResponderEliminar
  14. Muitos seriam os ditos ou provérbios, que nós poderiamos aqui enumerar, são tantos que nem os conseguimos decorar, mas para todos eles duas palavra.
    Só Quém sabe.

    ResponderEliminar
  15. «O saber não ocupa lugar». Todos conhecemos este ditado bem antigo. Mas tem razão o serip, são tantos os que podemos aqui enumerar ou expôr e de Janeiro nem é muito díficil, eu quando me lembro de um, vêm sempre dois ou três atrás.

    «O mês de Agosto será gaiteiro se fôr bonito o 1.º de Janeiro». Sendo assim, acho que podem contar com muito sol para as férias em Forninhos ;)

    «Janeiro molhado, se não cria o pão, cria o gado». Janeiro não foi molhado…esperemos que Fevereiro traga o rego cheio, então.

    Eis também outra versão sobre o dito de vestir “calças brancas em Janeiro”:«Vestir seda em Janeiro, muita vaidade ou pouco dinheiro». Em jeito de brincadeira diz-se a quem em pleno Inverno se veste com roupa de Verão ou “à Verão”: «Quem tem brio, não tem frio». Mas se calhar «A cada qual dá Deus o frio, conforme anda vestido».

    ResponderEliminar
  16. Vamos ver se o mês de Agosto será gaiteiro como diz o ditado.
    Aqui onde moro as pessoas têm um ditado que diz assim:
    Primeiro dia de Agosto, primeiro dia de inverno.
    O ditado bate certo, pois em alguns anos o mês de Agosto é chuvoso.
    Como ainda estamos no mês de Janeiro deixo aqui mais uns ditados populares.
    Não há luar como o de Janeiro, nem amor como o primeiro.
    Em Janeiro sete casacos e um sombreiro
    A água de Janeiro traz azeite ao olival, vinho ao lagar e palha ao palheiro.
    A lavoura de Janeiro, não a troques por dinheiro.

    ResponderEliminar
  17. Às vezes sai certo «o primeiro dia de Agosto é o primeiro dia de Inverno» e no dizer do povo «o mês de Agosto será gaiteiro se fôr bonito o primeiro de Janeiro», mas isto baralha a lógica daquela teoria que de dia 1 a dia 12 de Janeiro se contavam os meses do ano, ou melhor, se verá o tempo que fará nos meses daquele ano de acordo com cada dia de Janeiro.
    Ou, então, talvez no 1.º e 8.º dia de Janeiro faz sempre o mesmo tempo!?

    ResponderEliminar
  18. Lá vem tambem o proverbio.

    Ao quinto dia, verás que mes traz.

    mas esta teoria tambem falha muito.

    ResponderEliminar
  19. Muitas vezes também os provérbios eram ditos com modos poéticos.
    Todos temos dentro de nós um pouquinho de poesia.

    Bons julgados por si se julga,
    Mas muitas vezes porém,
    Ao julgar dessa maneira,
    Julga pior que ninguém.

    Não julgues severamente,
    Atende ao tempo que corre,
    Olha que, quem com ferros mata,
    É certo que, com ferros morre.

    O bem que aos outros fizeres,
    Tua vida não estraga,
    Pois é bem certo o ditado,
    O amor com amor se paga.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.