Seguidores

sábado, 21 de janeiro de 2012

III Arrematação, Domingo Gordo 2012, 19 Fevereiro

O Entrudo em Forninhos teve sempre a tradição de comer-se muita carne, de muita folia e boa disposição. Para melhor conhecer a tradição da Arrematação de Carnes e Enchidos divulgo o Cartaz. Quem assistiu nos anos anteriores recomenda vivamente, por isso mesmo, além da divulgação aqui fica também o convite a todos os leitores que venham passar o Entrudo/Carnaval à simpática e acolhedora aldeia de Forninhos.


A tradição das arrematações já vem de longa data. Quem não se lembra das arrematações, nesta altura, no adro da Igreja?
- Olhem que "choiriça" fresquinha, até parece que o porco está a mexer...
- Quem dá mais?
No Entrudo, no final da missa, a favor do Santíssimo, leiloava-se o que as pessoas prometiam: peças de carne de porco da salgadeira, chouriças, morcelas e farinheiras.
De um modo muito sucinto esta é a origem da Festa da Arrematação de Carnes e Enchidos de Forninhos.

Se querem passar um Carnaval diferente vão até Forninhos!

6 comentários:

  1. Quero aqui deixar os meus parabéns aos juízes da irmandade por este invento, pois já é uma irmandade de longa data, espero que seja uma grande festa para todos os Forninhenses , e que façam uma boa arrematação.
    Quando era pequena lembro-me de fazerem arrematações, na altura do Entrudo como diz a Paula, no adro da igreja aos Domingos,quando as pessoas saiam da missa, arrematavam as carnes do porco, porque as pessoas pelo Entrudo, no Domingo Magro comiam o rabo do porco e no Domingo Gordo comiam as carnes da cabeça do porco, mas noutras alturas também arrematavam centeio, feijões, milho, azeite etc.
    Também me lembro na altura das festas em Forninhos, as pessoas davam bolos, frangos assados e bebidas para no intervalo do baile fazerem um leilão, e até faziam algum dinheiro.

    ResponderEliminar
  2. Parabéns aos Juízes da Irmandade que assumiram funções em JUL/2011 pela disponibilidade e desejo de servirem a comunidade forninhense e ainda pela continuidade das arrematações, é bom ver esta festa a repetir-se pela 3.ª vez no Domingo Gordo, que é o domingo que antecede o Entrudo/Carnaval em que se diz “adeus” à carne, para de seguida se entrar no período pascal.
    Claro que como tudo na vida se vai transformando, também aqui houve alguma evolução, mas o mais importante é manter-se as tradições. De qualquer modo, sempre se informa que os leilões no adro da Igreja também ainda se vão fazendo, ainda hoje foi arrematada uma “choiriça” (como se diz no dialecto forninhense).

    Como dizes Maria, n´outras alturas havia as arrematações de alqueires de cereais (centeio, milho, feijão), eram oferendas à Nossa Senhora dos Verdes.

    ResponderEliminar
  3. Boa noite . Sempre me lembra da arrematação no adro da Igreja de carnes ou chouriça , mas milho ou centeio nao me recordo . Agora esta festa da Arrematação nunca tive o prazer de assistir ,mas o importante e que as tradições continuem a existir .

    ResponderEliminar
  4. Em Forninhos muita coisa já se perdeu…e tal não era necessário. Lembro-me dos leilões realizados no decorrer do baile, bolos bem decorados com os beijinhos multicoloridos da “tia Isaura”, etc. e tal… oferecidos por grupos de raparigas solteiras. Era de facto assim, havia um certo capricho por parte das raparigas em apresentar a sua oferta. Não sei quando se deixaram de fazer estas ofertas e leilões, porque como deixei de viver em Forninhos não reparei nestes pormenores, mas se calhar esta e outras tradições, como as ofertas de milho e centeio, desapareceram porque já não fazem falta à vida de hoje.

    ResponderEliminar
  5. É verdade, o milho ou centeio, hoje só interessa já cozido no forno de lenha ou electricidade.
    O milho ou centeio não, porque já não fazem parte da vida de hoje, mas há milhentas coisas dos tempos de hoje que podem ser aproveitadas para angariar recursos para as diversas festas que se fazem durante o ano.
    Este tem apenas a ver com os enchidos, mas outros se podem fazer com outros produtos confeccionados, que seriam importantes tanto neste, como nos festejos da Nossa senhora dos Verdes, e ao mesmo tempo, estes actos fazem parte da animação, basta que as jovens da terra ponham a imaginação em acção.

    ResponderEliminar
  6. Temos que, de facto os cereais hoje já só interessam depois de estarem cozidos. Em Forninhos ainda há fornos comunitários prontos a trabalhar e o nosso pão acompanha muito bem com um bocado de chouriça “dos boches” ou carne…
    A Instituição “Irmandade de Santa Marinha” pensou em algo diferente em prol da aldeia, com claro lucro para a sua Instituição. Pela transparência desde sempre demonstrada por esta Instituição, espero que a afluência este ano seja muita e que as vendas se processem a um bom ritmo.

    P.S. O cartaz com a cor da nossa Irmandade também foi bem pensado.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.