Seguidores

sábado, 4 de março de 2017

As cores da aldeia

Depois dos sons da aldeia que ficaram até hoje e dos cheiros, vou agora recordar as cores de Forninhos para aí nos anos 70 e 80.
Havia cores bonitas por todos os lados. 
Alguns exemplos:
- O verde dos campos de erva e dos nabais; dos pinheiros e da folhagem das oliveiras.
- O branco da neve e da geada; das giestas brancas (no tempo delas), da escola, da igreja, da capela e das poucas casas caiadas, pois a maioria das habitações tinham o granito à mostra.
- O amarelo das mimosas que existiam na Eira e no Passal; das flores das giestas (as maias)  e também do milho nas lages e o sol descorado de fim de verão.


mimosas em flor

Mas havia mais amarelos:
- o dos fenos e centeio secos da Primavera/Verão.
- As miríades flores do campo: brancas, amarelas, azuis e rosa.
- O violeta dos rosmaninhos.
- O avermelhado das vinhas no Outono
- A cor dos frutos maduros das cerejeiras, macieiras, figueiras, videiras, oliveiras...
- O próprio arco-íris em dias de sol e de pouca chuva.

P.S: Agradeço reconhecidamente a fotografia à amiga Gracinha do blogue: 
https://crocheteandomomentos.blogspot.pt/

20 comentários:

  1. Na minha zona, não haviam cerejeira, nem macieiras, nem neve, mas também haviam muitas cores e comuns às da sua aldeia, mas havia o amarelo das azedas e dos tremoços bravos, o lilás das flores dos chorões, e o vermelho das papoilas...
    um abraço e bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai o vermelho das papoilas Senhor, digo, Elvira!
      Em Forninhos havia poucas, já onde eu moro, ficam lindos os "semi-campos" com o vermelho das papoilas ali por Abril/Maio.
      Bjs/Boa Semana.

      Eliminar
  2. Coisa boa recordar as cores de um lugar! Adoro as mimosas, bela foto! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gosto das mimosas, mas esta espécie de acácia não é muito querida porque são invasoras e expandem-se por todo o lado…
      Em Forninhos desapareceram, é pena!
      Bjinhos, tudo de bom.

      Eliminar
    2. Voltei pra agradecer e desejar Feliz nosso dia! bjs, chica

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Sim, em todas as coisas da natureza existe algo de maravilhoso!

      Eliminar
  4. Realmente ... o nosso país nesta altura do ano ... adquire esta belíssima tonalidade e só quem caminha por trilhos portugueses é que se apercebe de tal beleza!
    Este olhar completa a magnífica escolha!!!Bom domingo!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo, é linda a primavera florida em cada canto! Obrigada Gracinha.
      Boa Semana/bjs.

      Eliminar
  5. ......
    ......
    Os lugares definem - se pela cor e pelo cheiro...
    Pelas pessoas e pelos momentos....
    Pela cor escura da noite dos vossos caminhos...
    Pela cor limpída do vosso rio / ainda ribeiro...
    Pelo verde das árvores e o amarelo do milho....
    Pelo cor que o cheiro trás do vosso pão....
    Forninhos como toda a Beira Alta , tem cor...
    Tem luz e cinzento..
    Tem gente que sabe o quer...
    Tem fé e confiança....
    Olhar de Esperança....em tempo de sementeira..
    De cor se faz a caminhada...

    Bom fim de semana
    MG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parabéns! Até a faixa preta ou cinza escuro do alcatrão da estrada faz parte do lugar, mesmo que só tenha servido para rapidamente levar as pessoas para fora...
      Boa semana.

      Eliminar
    2. Paula :

      Verdadeiramente da vossa Forninhos guardo (não a cor)
      mas a frescura e o paraíso da água do Dão que nasce
      nos vossos pés ! Um encanto da Natureza ,um sossego,
      uma tranquilidade absoluta.

      Boa semana
      MG

      Eliminar
  6. Boa tarde Paula,
    Nessas décadas nesta altura do ano em Forninhos e outros lugares havia cores maravilhosas, com relevo para os amarelos pela sua abundância.
    Actualmente e embora os campos em geral estejam a ficar lindos falta a cor dos produtos agrícolas de que fala devido ao decréscimo ou quase inexistência da pequena agricultura.
    Mas mesmo assim ainda dá para deleitar a vista.
    Beijinhos e bom domingo e semana.
    Ailime

    (A fotografia da Gracinha está lindíssima). Muito nítidas as flores da mimosa).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eram outros tempos, outra natureza, outras paisagens, Ailime!
      No pico do inverno era tão bonito o verde húmido dos campos de ferrã e nabais ou o amarelo dourado das searas na Primavera/Verão. Vai restando no Outono os avermelhados das vinhas.
      Beijinhos/Boa semana.

      Eliminar
  7. "DA MINHA ALDEIA VEJO TUDO QUANTO DA TERRA SE PODE VER DO UNIVERSO"o ", dizia o poeta Alberto Caeiro).

    E via-se, digo eu, cada vez em que ainda miúdo me sentava no alto da serra de S. Pedro, na cadeira do rei e olhava aquele vale imenso de vista desafogada que nos levava quase até ao mar desconhecido por tantos montes de permeio, mas a neve que o cobria, aos lameiros e lenteiros, fecundava.
    Espumas prateadas e areias doiradas, tínhamos as do nosso rio e ribeiras engalanadas doe verde dos salgueiros, amieiros e freixos nos tempos de primavera em que as rãs coaxavam, os guarda-rios esvoaçavam brilhantes e fugidios e as morugens começavam a soltar a sua flor branca.
    Descendo do alto, hortas e mais hortas e nas orlas uma imensidão de árvores de fruto.
    Amadurecia o tempo para "rebentar" do verde para o vermelho, como traduziam as árvores nas suas flores. Aí a cor da cereja...
    Do alecrim nem falo, muito menos do sabugueiro, da flor do loureiro, nem das flores das batatas cada qual com sua cor, conforme a qualidade.
    Corria célere a primavera e por tal se esbatiam as cores carregadas, pois logo viria o verão e com ele o acastanhar das coisas que embora regadas, aos poucos iam perdendo a pujança natural de maduros que iam ficando...
    Mas aquele cintilar único do cereais pelas ceifas, do centeio e do trigo, dos chícharros e do feijão, já nem falo da batata...
    Altura das malhas a apanhar o doirado do sol nas eiras!
    Era o virar das cores depois das vindimas e as coisas arrumadas num lagar já enxuto e coberto de palha branca que recebia as maças do bravo de Esmolfe que doiradas aguentavam natal adentro.
    Parece que logo vinha o inverno, e vinha.
    Cá do alto de S. Pedro, vendo os lameiros brancos de geada e as chaminés da aldeia carregadas de fumo negro, havia num ápice, passado mais um ano e por tal logo voltaria mimoso na sua cor amarela.
    Este post tem uma grande sensibilidade e recordares genuínos.
    Parabéns.






    ResponderEliminar
    Respostas
    1. És obcecado por S. Pedro!
      Aquela serra tem encanto e eu gosto imenso da cor das flores do sargaço que por lá há, mas ainda gosto mais das cores do vale cá em baixo, que tem cores por todo lado, são as camélias floridas, os vasos que enfeitam a sacada da tua mãe, as oliveiras em flor, o sabugueiro florido à beira do ribeiro desde o Porto até à Pontinha, passando pelos Moncões, os batatais em flor, os cardos nos Olivais e demais plantas sanzonais que apareciam em qualquer sítio, principalmente aquela duma cor muito vistosa, rosa-choque, que tinha uns “dedais” para dar estalinhos.
      E aquela mancha cromática dos grelos floridos que até dá impressão por vezes de que é ali que o sol descansa?
      E os narcisos amarelos - as campaínhas - que sempre voltam neste tempo?
      Os lírios, os lilazes que lembram os canteiros da nossa escola...
      Os jarros, as rosas vermelhas em Junho...
      S. Pedro tem pouca cor, tem um lindo céu azul, mas esfumou-se o branco da capela e ficaram os solos secos e penedos cizentos. Mas por lá é agradável o sol fraquinho!

      Eliminar
  8. Lindas lembranças coloridas... Um texto agradável de se ler e de se apreciar as belezas descritas...
    Uma feliz semana! O Vida & Plenitude esteve em festa/5 anos... O tempo voa...
    Abraços

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parabéns Anete pelos 5 anos de blog (para o ano já vai para a escola), voto de continuação por muitos mais anos.
      Beijinhos e boa semana.

      Eliminar
  9. Adoro mimosas...nascem em liberdade...embelezando caminhos e campos

    É a Primavera que se aproxima.

    Feliz dia da MULHER!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É todos os anos assim e todos os anos passamos pelos caminhos que são da nossa passagem e ficamos maravilhados com as mimosas. Eu adoro o amarelo vivo das mimosas!

      Beijinhos/Bom fds.

      Eliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.