Seguidores

segunda-feira, 28 de março de 2016

Domingo de Ramos 2016

Devido ao despovoamento galopante já não há muita gente, mas para que se possa mais tarde recordar, trago imagens do Domingo de Ramos- 2016- que pode apreciar, se lhe interessar.



Saiu-se do Domingo de Ramos e entrou-se na Semana Santa que culminou com as cerimónias de Sexta-Feira Santa (falo de Forninhos), dia de abstinência (não comer carne) e dia em que os sinos se calaram a partir das 15h00 (hora da morte de Cristo). No Sábado da Aleluia os mais velhos ainda recordam que os sinos deviam repicar às 10 horas da manhã, mas... só repicaram no Domingo da Ressurreição: Domingo de Páscoa. Se calhar até faz mais sentido, se Cristo ressuscitou no Domingo, porque é que os sinos hão-de repicar no Sábado?
Hoje, Segunda-Feira, foi dia da visita pascal, também chamado dia de tirar o folar.

Continuação de Boa Páscoa a todos os visitantes, pois dizem que se estende até ao próximo domingo, denominado dia da Pascoela.

domingo, 13 de março de 2016

Bôla de Carne, também se faz em Forninhos

Já divulgamos os bolos de azeite na tradição da Páscoa de Forninhos , mas a bôla feita a partir da mesma massa, recheada de carne do fumeiro, em formas rectangulares ou redondas também se faz em Forninhos.


No ano passado, a minha mãe, além da chouriça e presunto, incluiu pedaços de bacon, mas também há quem ponha carne de frango.


Por cima da carne estica-se outra parte da massa



Também eu fiz a minha parte...


É hora de levá-las ao forno e esperar que cozam...


Prontas...arrumam-se para que arrefeçam e depois se provar.

sábado, 5 de março de 2016

Raízes...

Anos 60 do Século XX, anos complicados! O início da Guerra do Ultramar condicionou a vida da nossa gente, nos anos da Guerra Ultramarina a freguesia de Forninhos chorou pelos seus rapazes, choro de morte, de aflição...Mas o pulsar das populações não parou. Durante este período mantinham-se as tradições e as crianças iam à escola e à catequese; os casamentos e nascimentos aconteciam e até houve Missa Nova na Terra.
«Sim, Forninhos vive num ambiente festivo de nobreza e engrandecimento.», como escreveu Ilídio Guerra Marques no convite feito a todos os Forninhenses disseminados pelas mais distantes partes do mundo.
«Há um murmúrio alegre que desce pelas quebradas dos montes! Há um balbuciar de preces nos lábios puros e inocentes das crianças! Há lágrimas que sulcam rostos encarquilhados de velhinhas! Há um ressoar de cânticos que se eleva sublime no Céu! Algo, enfim, de supremo e grandioso enche todos os corações e os une numa amizade santa e verdadeira.».
Desta época aqui ficam umas fotos e a seguir um poema recordação dedicado à nossa Terra para ajudar-vos a recordar com mais saudade e maior devoção essa Aldeia que trazeis no coração e que foi e continua a ser Berço de todos nós.
Leia que vale a pena.


convivas, 13 Agosto de 1967


Recordações de Gente nossa, alegrias e tragédias...