Seguidores

sábado, 16 de março de 2013

Ainda se lembram?


Tenho a certeza que alguns de vós se lembram.
A foto foi tirada em Forninhos, são capazes de identificar em que casa estarão os convivas?
Recordam-se deste momento e desta gente?
Este momento reporta-se a quê?
Em que ano foi?
Comentem esta "memória".

32 comentários:

  1. Vou esperar ,torcendo pra que muitos se lembrem e contem! beijos,lindo fds!chica

    ResponderEliminar
  2. Bom fs Chica.
    Espero que em particular os forninhenses apreciem tanto como eu, este retrato.
    Muito há com certeza para revelar.

    ResponderEliminar
  3. Estas bodas y celebraciones tan similares en nuestros hermanos Países.
    Abraços e beijos.

    ResponderEliminar
  4. Esta foto parecesse ter sido tirada no jardim do Sr Amaral , mas nesta cerimonia penso conhecer o Sr Padre Elidiu de braços cruzados e de óculos .Parece uma bonita cerimonia religiosa .

    ResponderEliminar
  5. Acertaste, Manuela. É possível ver o então Pe. Ilídio Marques e o jardim é o da Casa que começou por se chamar Casa da D. Olímpia, depois Casa do Sr. Amaral e agora é designada por Casa das Camélias da Beira.

    Por desvendar:
    Este momento reporta-se a quê?
    Em que ano foi?

    Vamos esperar para ver quem tem memória...

    ResponderEliminar
  6. Boa noite, esse jardim é inesquecível , basta olhar para saber que jardim se trata, nem existe outro igual está e único, agora as pessoas presentes, não sou do tempo deles, por isso, fico só pelo belo jardim, que agora pertence à Casa das Camelias.

    ResponderEliminar
  7. Olá caro Seguro.
    De facto, esse belo jardim de tanto o vermos não é de esquecer.

    Saudações com amizade.

    ResponderEliminar
  8. Também conheci onde foi tirada esta fotografia, esse local é inconfundível em Forninhos, vesse muito bem o tronco da palmeira onde eu cheguei a apanhar muitos medronhos.
    Não consegui conhecer ninguém, também não sei em que ano foi tirada a fotografia talvez ainda não fosse nascida, ou então era ainda muito pequena.
    O acontecimento devia ser muito importante, talvez religioso vesse três padres e as pessoas estão todas bem vestidas.
    Gostava de saber o que aconteceu nesse dia, será que há alguém nos possa informar o que aconteceu?

    ResponderEliminar
  9. Também gostava de saber mais sobre esse dia e gostava muito que a gente da minha terra, mais que não fosse, informasse quem são os convivas, mas parece que alguém os proibiu de comentar no novo blogue!!!
    Esperemos entretanto que, pelo menos, os "Contribuidores" ainda comentem!!!

    ResponderEliminar
  10. Este espaço contribui para que se não esqueça.
    Grande abraço de saudade.
    Gilson.

    ResponderEliminar
  11. Apraz a quem tem um blog, a visita de pessoas como você, Gilson.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  12. Boa tarde.
    Se não me engano, trata-se da festa de ordenação do padre Ilídio, daí a razão de tanto sacerdote, entre os quais, ele próprio, frente ao bolo, o padre Matos e o Padre Virgílio.
    O Sr. idoso sentado frente a ele, penso ser o seu avô.
    Recodo vagamente a bonita cerimónia na igreja e foi um dia muito especial para Forninhos.
    Hoje, infelizmente já não há este abundância de padres... nem de fé!

    ResponderEliminar
  13. Como hoje é DIA DO PAI, não queria deixar de dar os parabéns a todos eles.
    Que sejam amados e acarinhados.
    Os que já partiram, que sejam lembrados com saudade.

    Um abraço a todos.

    ResponderEliminar
  14. Parabéns XicoAlmeida. Trata-se da festa de ordenação do Pe. Ilídio e está na foto o seu avô, o Pe. Matos e o Pe. Virgílio, que morreu há uns anos.

    Consigo ver as raparigas Luzia e Lurdes que viria a ser minha Professora Primária. Penso não estar enganada.
    Não sei se é...mas um rapaz que está lá atrás talvez seja o Zé Pina.

    ResponderEliminar
  15. Isto é como as cerejas, atrás de uma vem outra.
    É de facto o Zé Pina.
    Reconheço outro que infelizmente faleceu novo, o Fernando da Tia Alice, que também andou no seminário.
    O padre Virgilio está a discursar, por detrás dele está outro padre ao lado do Sr. do chapéu.
    Entre estes dois está o Fernando de fato e gravata.
    Curioso estar apena suma pessoa de chapéu na cabeça.

    ResponderEliminar
  16. Curiosamente não descortino o Tio Augusto Marques que em principio estaria perto do filho.
    Pela estatura, palpita-me que possa ser o Sr. que está de costas em primeiro plano.

    ResponderEliminar
  17. Atente-se no ar sério e compenetrado das pessoas com que escutam o padre Virgilio.
    Estaria a revelar o segredo do roubo dos Serafinzinhos da capela da Senhora dos Verdes?
    E o ar de condenado, quase parecendo enforcado do outro padre lá ao fundo?
    Será que o estava a acusar?
    Algo de estranho se passava, pois numa festa destas, não vejo grande alegria...









































    ResponderEliminar
    Respostas
    1. LolLol
      Não se vê a corda, mas esse padre do fundo, linha do padre Ilídio, que parece, enforcado, é capaz de ser o padre que me baptizou, em 1970 - o padre Fernando, que foi pároco de Forninhos.
      Eu até ouvi dizer que neste dia foram ordenados 4 padres e só 1 deles é que não casou!!!

      Eliminar
    2. Como te pode ter baptizado, se além de "morto" parece algemado?
      Tens razão, ordenavam-se muitos mas ficavam poucos...
      A maior parte seguia advogacia que era o mais parecido com a defesa dos pobres.
      Profissões muito idênticas, penso eu.

      Eliminar
    3. Corrijo: O Pe. Fernando baptizou-me em 1971.
      Foi pároco de Forninhos depois do Sr. Pe. Matos (1962-1968).
      O Pe. Ilídio também chegou a ser pároco de Forninhos e de Dornelas, com residência em Dornelas, não sei em que altura. Disseram-me que o ano da sua ordenação foi para aí em 1966, mês de Agosto. Mas os livros do Arquivo Paroquial pertencentes à Igreja de Forninhos (se é que existem!) devem ter o registo dos anos de todos os párocos que vieram paroquiar a nossa freguesia.
      Quanto à defesa dos pobres através da profissão exercida “nem me lo digas” como dizia Vasco Santana no filme “Canção de Lisboa” !

      Um abraço.

      Eliminar
  18. Vim aqui agradecer ao Xico, todos os carinhos por lá! abração,chica

    ResponderEliminar
  19. Muito legal a essência da lembrança....
    Bela foto, recheada de histórias e vivências.
    Uma curiosidade... em Portugal e na Espanha, hoje comemora-se o Dia do Pai... motivado pelo dia tão especial Dia de São José, exemplo de Pai.
    Aqui no Brasil é no segundo domingo de agosto..... não sei porque...
    Parabéns pelo blog e já te sigo!

    ResponderEliminar
  20. Xico, sempre inspirado nos comentários! Obrigadão! chica

    ResponderEliminar
  21. Estas fotos antigas e, temos sido presenteados com tantas, o que é um privilégio, trazem memórias já longinquas, tal filme do passado.
    Obrigam-nos a pensar e a interrogar, pois são pedaços da vida.
    Esta foto em concreto, ao olharmos para ela, pergunta-nos:
    Onde estamos, quem somos nós neste pedaço de papel, porque razão estamos aqui e há quanto tempo.
    Neste contexto, olho para o Sr. de óculos e chapéu na cabeça e pergunto a mim próprio quem será!
    É o único que tem chapéu colocado, ar altivo, ainda pensei que fosse o Sr. Figueiredo, o "administrador do Sr. Amaral.
    Mas dei comigo a pensar que naquele tempo a igreja e o estado novo andavam de mãos dadas.
    O Sr. Amaral era compadre do Santos Costa, ministro da defesa do Salazar (pelo menos sempre o ouvi dizer).
    Será que este tal do chapéu, não teria alguma ligação a esse ministro?
    Na volta era da Pide e andava a indagar o roubo dos Serafinzinhos...

    ResponderEliminar
  22. Esta é uma daquelas festas onde todos deviam conhecer o seu lugar, mas esse Sr. não deve ser da Pide, acho que nesta altura o Sr. Amaral nem vivia em Forninhos!
    Agora, na foto é possível ver alguns sacerdotes, mas como o Pe. Fernando foi um dos padres ordenados neste dia, quem está na linha do Pe. Ilídio e junto à sua irmã Lurdes é o Cónego Barreiros, de Viseu.
    O tio Augusto Marques, mal se vê, mas está por trás do filho. A tia Júlia, sua mãe, está do lado direito do Ilídio, entre o Pe. Matos e este.
    O formato do bolo é um Missal.
    A menina, junto ao Pe. Virgílio é a Agostinha, filha do Sr. Virgílio.
    A outra menina, a da bandolete, ainda não sei quem é, mas há quem aponte para uma filha do tio António Carau. Será?
    O dia foi de festa para os habitantes de Forninhos, que viram ser ordenado um filho da terra. Só que foi "sol de pouca dura".

    ResponderEliminar
  23. Esta é mais uma linda foto tirada no meio da década de 60, no belo jardim da casa da Srª Olímpia. Deve tratar-se da primeira missa do padre Ilídio, que foi meu colega de seminário. Nela destaco o Padre Matos;o Padre Virgílio, que assisti à sua primeira missa em Colherinhas; ele realizou o casamento da minha irmã e o batizado da filha Manuela; mais tarde tive uma reunião com ele em Lisboa, quando era presidente da Uníão das Misericórdias; vejo também o seu avô Marques, cuja casa foi comprada pelo Fernando Castanheira, falecido no mês passado. Também assisti à ptimeira Missa em Dornelas do Padre António, que não o localizo na foto.Quando tinha 12 ou 13 anos fiz parte do coro, como soprano, que cantou na Sé de Viseu, durante a ordenação de um bispo, do qual não me recordo do nome. Quando tinha cerca de 18 anos assisti na Sé de Lisboa à ordenação de vários padres, dos quais destaco o Padre Francisco irmão de uma tia minha chamada Rosária e sobrinho do Bispo de Mitelene e do Padre José Policarpo, hoje Cardeal Patriarca de Lisboa. Há outras pessoas na foto com quem também tive alguma convivência. Uma Boa Páscoa a todos.

    ResponderEliminar
  24. Esta foto surge aqui por cortesia da Margarida Albuquerque e a divulgo com todo o gosto, porque muitas coisas que aconteceram na nossa terra, nós, os mais novos, não sabemos, e por tal é que apelo mais uma vez a que todos nós sejamos participantes informando também. Assim sendo, agradeço-lhe, João Albuquerque, a sua escrita e por estar por aqui porque Forninhos merece o melhor de nós!
    Se mais notícias da nossa terra há e nos forem dado conhecimento, divulgá-las-emos. Por exemplo, para quem não saiba ou já se não lembre, em Acta da AF Forninhos realizada a 27 de Dezembro de 2009, lê-se a seu ponto 2:

    "2. Na presença do executivo desta freguesia, o Senhor Doutor Ilídio Guerra Marques cedeu a esta Junta de freguesia uma parte de terreno sita no lugar do Picão para a futura construção de um polivalente. O executivo endereçou também um pedido ao Conselho de Actividades Económicas desta Freguesia para a cedência do terreno que se encontra junto à antiga Escola Primária com vista ao mesmo fim.".

    Ainda se lembram?

    ResponderEliminar
  25. Bom dia.

    Ora aqui está um acto bonito por parte do Dr. Ilidio, a cedência desinteressada de um terreno para benefício da população.
    Um mecenas.
    Com certeza que o Conselho das Actividades, também não disse que não.
    Só não vejo o Polivalente!
    Estranho...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em troco de uns votos prometerem polivalentes. Infelizmente não temos gente!

      Eliminar
  26. Eu sempre escrevo aqui, que se depender desse blog, a histórias de Forninhos nunca serão esquecidas.
    Maravilhosa essa foto.
    Abraço a todos.

    ResponderEliminar
  27. E já podiam ter sido escritas há muito tempo, só que nunca ninguém se importou...mas agora já se conhece um pouco mais do que foi Forninhos e, pela parte da Junta, parece que vai ser lançado um livro, que terá lugar no dia da Festa da Junta de Freguesia de Forninhos, dia 15 (?) de Julho.
    É uma iniciativa com futuro, digo eu, já que podemos ter a oportunidade de num futuro próximo conhecer melhor a origem e o que foi esta aldeia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também pouco gente tem a tua capacidade e coragem.
      Contra mim, falo.
      Força!

      Eliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.