Seguidores

domingo, 11 de setembro de 2016

Em Setembro ardem os montes e secam as fontes

Há uns anos publiquei o post "Medidas preventivas para defesa da floresta" e que se mantém hoje actual, pelo que volto ao tema, porque na altura ficara mal explicado, é que coincidência das coincidências, houve um incêndio em Forninhos, na noite da publicação, tendo ardido 2 casas.


Dizia na altura que "a primeira razão por que ocorrem fogos de grandes dimensões é porque não se limpam as matas e devido à existência de uma excessiva concentração de biomassa que é altamente inflamável". Dei como exemplo S. Pedro, que devido ao facto da serra não estar devidamente limpa o fogo progrediu de forma galopante e incontrolável tendo destruído toda a flora e fauna e que talvez fosse bom aproveitar o Ano Internacional das Florestas (ano 2011) para reflorestar a nossa serra...
Ora o que sabemos é que pouco se fez, e o que se fez foi plantar matas de eucaliptos (um erro histórico do presente), mas depois de ver/ler o que vai ser dito, falarei do que já foi feito para prevenir...
Os anos passados levam-me a considerar que nem tudo foi mau, pelo menos, a serra não voltou a ser castigada pelos incêndios (e já estamos em Setembro) e esta situação poderá ficar a dever-se à falta de pinheiros!
Mas não estamos livres...Forninhos é rodeado de pinhal e grande parte não é desbastado, nem a caruma  e outros resíduos acumulados no solo são apanhados, primeiro, porque não há necessidade, segundo, a idade avançada dos proprietários que ainda exercem alguma actividade agrícola também não deixa e, terceiro, a ausência no estrangeiro ou na grande cidade dos herdeiros, também impede ou dificulta a limpeza das matas e, assim, basta uma ponta de cigarro atirada pela janela do automóvel, por um condutor imprudente, para que o incêndio deflagre. 
Resta-nos, pois, pedir a Nossa Senhora dos Verdes que nos proteja do flagelo dos incêndios. 

19 comentários:

  1. Se cada um, pessoas , governantes, por lá tivesse os cuidados a coisa seria bem melhor. Se não é feito nada pra prevenir, só resta rezar e muito, pois as queimadas toda hora acontecem, infelizmente! bjs, chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É, um incêndio não nos avisa quando vai chegar, nem se vai tomar grandes ou poucas dimensões. Para prevenir, a Junta de Freguesia de Forninhos tomou há uns anos uma decisão corajosa: comprou uma carrinha mista (carroçaria e cabina) para combater um incêndio nos primeiros minutos. Foi importante esta compra porque somos a freguesia mais distante da sede do concelho e os Bombeiros por mais rápidos que sejam, não chegam à nossa aldeia em 5 ou 10 minutos.
      Com algum sacrifício também pôs transitáveis alguns caminhos rurais para que os carros, principalmente, os dos bombeiros, possam chegar fácil e rapidamente a um incêndio.
      Quando um Município não toma as medidas que deveria tomar, têm de ser as Juntas de Freguesia a dar pequenos passos para remediar males maiores.
      Bj**

      Eliminar
  2. O problema da limpeza das matas tem muita influência mas mais influência infelizmente tem os interesses que giram à volta dos fogos.
    Um abraço e boa semana.
    Andarilhar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida, ao contrário do que acontece com os incêndios urbanos, os florestais não podem ser extintos só com água!
      Abraço e cont. de boa semana.

      Eliminar
  3. Esse problema é sério! Por aqui também nesta fase há muito incêndios e estragos...
    Que se faça algo para melhor proteção!!
    Uma Boa Semana... Um abraço GRANDE...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anete, Portugal este Verão tem sido fustigado sem dó nem piedade pelo drama dos incêndios, felizmente em Forninhos ainda se vê a floresta com cor verde, mas verdade seja dita, também têm feito por isso.
      Autarquia e cidadão anónimo têm demonstrado interesse pela floresta, pelo menos aquele que ainda exerce alguma actividade agrícola planta árvores e cuida delas e no Verão prepara o Inverno (colhe a lenha para aquecer-se todo o Inverno).
      A autarquia terminado o Inverno costuma arranjar os caminhos e com a venda de pinheiros queimados resultantes do último incêndio, sabe-se, chegou a aplicar a verba na limpeza da floresta e até já vendeu resíduos de pinhal resultantes da limpeza de alguns baldios.
      Ou seja: sem resíduos acumulados no solo fogo não progride de forma galopante e incontrolável; com os caminhos limpos e transitáveis os bombeiros conseguem chegar mais facilmente ao local do incêndio. Digo eu!
      Abraço/cont. de boa semana.

      Eliminar
  4. Boa tarde Paula,
    Os incêndios são um flagelo.
    Muito não é feito, mas existem muitos interesses e malvadez por detrás desta verdadeira calamidade.
    Os incêndios fazem-me lembrar certas guerras que não têm fim. A quem interessam?
    Mas concordo que deveriam ser obrigatórios os aceiros e limpezas das matas. Antigamente havia mais consciência. Entretanto pelos motivos que refere tudo foi terminando...
    Que Nossa Senhora dos Verdes ilumine e proteja todos.
    Beijinhos e boa semana.
    Ailime

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A grande reviravolta verificada na nossa sociedade a isso levou, Ailime! A emigração e a deslocação das pessoas para a grande cidade, fez com que os resistentes e corajosos habitantes das nossas aldeias não possam limpar as matas pelos motivos que refiro e porque grande parte dos herdeiros desconhece os limites das suas propriedades, mas ainda que as conhecessem, estão longe e as limpezas e desbastes são dispendiosos e isso leva ao desinteresse.
      O tempo avança e cada vez nos despovoamos mais!
      Beijinhos.
      Boa semana.

      Eliminar
  5. Os incêndios em Portugal comparo aos acidentes nas estradas que matam todos os anos dezenas de pessoas .
    E.. nem um flagelo, nem outro , se resolvem sem uma cultura e educação que começa na familia e na escola.
    Não me esqueço de um acidente na minha terra com um autocarro de turismo que matou turistas italianos e cujo o condutor ao que consta ,nem um dia de prisão apanhou !?
    Não me esqueço de um incendiário , reincidente , que causou
    com o seu acto mortes e milhões de euros de prejuizo e a quem
    a Justiça e a Sociedade não foram capazes de criar um plano
    de correção e reinserçao fiável e seguro !!

    Só estamos unidos na hora da desgraça, na hora do luto e do funeral , aí somos os melhores ! Prevenir , precaver e educar
    não faz parte da nossa Cultura .
    Arranjar dinheiro e donativos , bens e roupa , aí somos os Melhores do Mundo.
    A Caritas na minha terra tem acumulados 200 mil euros de donativos de 2010 , imaginem , aquilo que não se sabe.....

    Enfim....é o " nosso fado " !!

    Abr
    MG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para a Ailime os incêndios fazem lembrar certas guerras que não têm fim. O António compara os incêndios em Portugal aos acidentes nas estradas que matam todos os anos dezenas de pessoas. Em ambas as situações o tempo é o maior remédio para curar todas as mazelas, tudo se esquece. Com os incêndios igual. Todos os anos há imensos incêndios e que já foi feito para reparar o que foi destruído?
      "passa o dia, passa a romaria".

      Eliminar
  6. Parece mesmo milagre e para tal basta estender o olhar do alto da Matela e olhar até onde a vista alcança, vales e montanhas queimadas que sufocam o coração. Ali e mais perto, Dornelas que poucos anos atrás dizimou o que havia e estendo a vista quase chegamos ao Caramulo com morte de heróicos bombeiros e olhando para detrás, o fogo chegou ao cemitério da Matança.
    Estranhamente, Forninhos tem sido poupado ao ponto de me questionar se por mão divina, pois afinal se tudo ardeu ao redor de Forninhos...
    Os diversos governos falam a cada ano que passa em projectos novos para obstar a esta infernidade.
    E coimas para os proprietários que não limparem as MATAS. Pobres deles, como se vissem prazer no pouco que lhes vai restando a arder. Pessoas velhas e isoladas que aos poucos vão morrendo por si próprias, quanto mais ainda pagarem com o que não tèm para limpar o mato...e ameaçam com o castigo.
    Afinal, o que outrora era uma benesse e fonte de rendimento, tal como a resina, a caruma, lenha e estrume e mais importante, o pastoreio, em que tudo era vigilante, acabou.
    Foram votados ao abandono e agora cruelmente ainda os querem castigar no fim das suas vidas...
    Ladrões aqueles que se aproveitam nas negociatas de milhões, assassinos.
    Negociatas das quais todo o povo fala, mas que se limita a votar na côr, como se a tragédia fosse menor.
    Heróis sim, os Bombeiros de Portugal!
    E Forninhos que se cuide, pois os milagres pouco duram e está a jeito desses miseráveis!
    Mas ver os nossos mais velhos com os olhos ressequidos de lágrimas salgadas e olhando para detrás da vida, sentindo o cheiro a queimado de uma vida perdida, o pouco que resta será porventura um toco a arder na vinha junto ao pinhal.
    Mereciam flores e velas bonitas no funeral...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este tema tem muito que se lhe diga, mesmo para Forninhos, pois a floresta tem sido muito rentável (para alguns), por "dez réis de mel coado" vende-se matas/pinhal.
      Negócios à parte...
      A paisagem ainda é de verde esperança e o nosso mel não sabe a cinza!

      Eliminar
  7. O mesmo se passa na minha aldeia que viveu um pesadelo há cerca de dez anos!!!
    Deus nos livre!!! Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do maior que lembro foi em 1995, devido a esse gigantesco incêndio até foi cancelada a procissão em honra de Nossa Senhora dos Verdes de Forninhos (no dia 15 de Agosto).
      Foi milagre a capela não ter ardido, pois tudo ardeu ao redor.
      Bjo.

      Eliminar
  8. Penso que a obrigação é da autarquia e dos proprietários.
    Sendo estes idosos deveria ser a autarquia a tratar do assunto.

    Como nada fazem, só mesmo um milagre!!!

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, as autarquias podiam virar as agulhas na direcção da floresta, ao invés de custear tanta festa, almoços, passeios e homenagens descabidas, mas creio que isso vai acontecer um dia. O importante é não deixar "morrer" este assunto.
      Beijinhos.

      Eliminar
  9. Incêndios, um dos flagelos deste ano que muitas lágrimas fez correr, não só aos lesados como também a quem presenciou.
    Muito há a dizer sobre este assunto, deixo aqui o publicado no faceboock; quem fosse apanhado a iniciar um incêndio deveria ser atado a uma arvore e deixar que que o fogo fizesse justiça, mas eu pergunto, quem é o maior malandro, o que ateia ou o que manda fazer o trabalho. Quem mais lucra com os incêndios? Pois é, é sabido que muitos interesses estão por detrás disto tudo, culpa de quem? Justiça, falta de leis que condenem fortemente os envolvidos.
    Forninhos tem tido sorte deste flagelo mas há bem pouco tempo se apagaram dois bem perto da Capela da N. Sra. dos Verdes, felizmente foram detetados no inicio. Quem os incendiou? Malta nova? O porquê de se ter encontrado excrementos humanos, recentes, muito próximo do incêndio? Negligência a fumar?
    Deixem os eucaliptos crescer em Forninhos e depois se verá.
    A prevenção das florestas começa no seu planeamento, nomeadamente ma plantação das espécies. Deixar que cada um faça o que entende é fechar os olhos à responsabilidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa noite, Henrique!
      Dantes, em Forninhos o eucalipto era uma raridade, pelo menos eu não tenho conhecimento que existissem por lá matas de eucaliptos, em Forninhos ou em qualquer outra freguesia do nosso concelho e concelhos limítrofes. Agora nos dias que vivemos são "queridos"...
      Felizmente foram detectados a tempo esses incêndios perto da N. Sra. dos Verdes e o que vale é que em Forninhos há sempre pessoas disponíveis para arrancar logo e agir, mas se foi negligência de malta nova, se houve/há essa desconfiança, exige-se pois muita vigilância.

      Eliminar
  10. VistaVapors is the best electronic cigarettes supplier.

    ResponderEliminar

Não guardes só para ti a tua opinião. Partilha-a com todos.