Seguidores

domingo, 26 de fevereiro de 2012

1734 - Visão da Igreja de Forninhos

Como já antes escrevi, a Igreja Matriz de Forninhos, foi reedificada ao lado da velha capela-mor, que ficava ao lado da Igreja nova. "1797 - Forninhos - Os moradores do Lugar e Freguesia de Forninhos, anexa a Penaverde, reedificaram a sua Igreja - «tanto de paredes como de armação...e da mesma sorte a CAPELA-MOR com a sua TRIBUNA nova, asseada com toda a decência».Durante as obras de reedificação, os fregueses serviram-se da velha capela-mor, que ficava ao lado da igreja nova, na qual não cabia a quarta parte do povo da freguesia.".
E quando parece que já nada mais de concreto há para descobrir sobre a nossa história, não porque não haja passado, obviamente, mas por não haver documentos, vestígios e outras provas, eis este fabuloso documento de 1734:


"He cousa pouca não convem estar ali igreia pode ir a Ornelas, ou a Matança - Dandose algua cousa pellos currãres, mas não a Ornelas por serem Abbas anexas a Pena Verde.".
Do que leio, Forninhos ao tempo não tinha uma boa igreja, assim como não haveria grande coisa, mas como os seus moradores reedificaram a sua igreja, suponho que não fosse preciso ir a Dornelas ou à Matança, mas fica sempre a incerteza, claro está, dada a falta de outra documentação que se conheça e falta de investigação do passado longínquo de Forninhos.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Os jogos que jogávamos

Andar "ao" arco era um desporto popular. O objectivo era correr o mais possível com a roda (arco) e com o gancho para impulsionar.


Depois do Carnaval cessavam quaisquer demonstrações de alegria, porque na Quaresma não se cantava senão na Igreja, nem se tocava qualquer instrumento, muito menos dançar! Até às crianças se proibia o simples assobio. Os miúdos e juventude entretinham-se somente com alguns dos jogos sempre iguais de há décadas.
Armava-se o pelão que era uma pedra espalmada levantada a pino e com a face mais lisa virada para o campo de jogo (jogo que já vinha da Alta Idade Média). O lugar escolhido era a estrada da oliveirinha. Escolhia-se os elementos de cada grupo. Um grupo ficava junto ao pelão, o outro "ia acima". Julgo que para se escolher qual dos grupos ficava primeiro junto ao pelão deitava-se uma moeda ao ar e perguntava-se: «cara ou coroa».
Cada parceiro do grupo atirava, i.é, jogava a bola de péla diante de si, com a esquerda e batia-lhe com a direita para "os de cima". Se algum a "acanava" - apanhando-a sem a deixar bater no chão - ganhavam os de cima 3 tentos. Senão jogava-a rasteira para o pelão. Batendo neste era "mão morta"; caso contrário era 1 tento para os de baixo. Quando os de cima tivessem morto a mão de todos os de baixo, alterava-se a posição dos 2 grupos.
Acho que era assim.
-/-
O Jogo da "Reza" começava na Quarta-Feira de Cinzas e acabava no Sábado de Aleluia e consistia numa espécie de acordo celebrado entre duas pessoas. Uma delas propunha à outra: «Queres andar à Reza comigo?». Aceite, quem primeiro avistasse a outra gritava-lhe: «REZA!». Isto tinha de ser ao ar livre, porque debaixo de telha não valia. Originalmente, só se deitava a reza 1 vez por dia, depois da luz da rua acender (antes de haver luz eléctrica deitava-se a reza depois do sol se pôr), mais tarde já podia ser quantas vezes quisessem e até se podia andar com um caco de telha na cabeça. Era muito engraçado. Quem ficasse com a Reza no Sábado da Aleluia perdia o jogo e tinha de oferecer à outra as amêndoas. Também havia as "Bodas da Reza".

Por se enquadrar perfeitamente neste tema, ao que jogávamos e com que brincávamos nós mais?

domingo, 19 de fevereiro de 2012

E o Carnaval acabava

No Carnaval da década de 80 era costume grupos de rapazes meterem ao longo do Largo da Lameira os carros dos bois (tipo comboio). Os carros desapareceram, mas a tradição de "enfeitar" a Lameira ainda foi o que era até há meia dúzia de anos atrás (+ou-). Para conhecer um pouco mais do Carnaval na nossa terra, a Cila enviou-nos as fotografias seguintes:




Saudações carnavalescas e voltamos a encontrar-nos por aqui na Quaresma.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

As Festas-Concurso do "Queijo da Serra"!

Em seguimento da entrada do dia 9 de Fevereiro, aqui tem o que foi o regulamento do concurso de queijo, que se realizou em 1980 em Fornos de Algodres:


Creio que este modelo de feiras continuou pelo menos uma decada, mas depois foi substituido e ainda gostava de saber porque?
Mas: ..."mudam-se os tempos, mudam-se as vontades"... ja assim dizia o nosso grande "Camões"!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Os Entrudos


Esta fotografia foi tirada no Domingo Gordo de 19--? num dos bancos de pedra junto à Venda do Sr. José Bernardo (hoje a casa é do Sr. Paredes) e esteve esta relíquia guardada no baú da minha tia Margarida que a enviou para nos dar a conhecer como se vestia a geração de 30 e 40 no Entrudo, que é o nome correcto para o que agora se denomina de Carnaval. Os Entrudos para não serem conhecidos tapavam a cara e vestiam-se de forma trapalhona e o mais disfarçada, cómica ou assustadora possível...e era já nesta semana que, à noite, assim percorriam as ruas e visitavam as casas de amigos, vizinhos e familiares.
Quem serão estes 5 Entrudos? Difícil de identificá-los, não é verdade?
Neste dia de Domingo Gordo havia também um hábito, um gesto, que consistia em levar aos lares pobres mais chegados, daqueles que não "matavam", uma malga de papas de ralão com carne. Por isso se dizia na nossa terra que o Entrudo morreu cheio de carne e de papas. Tudo agora é diferente...mudam-se os tempos...mudam-se os hábitos.
O fim desta festividade terminava com o enterro trágico do Entrudo e as pessoas "choravam" de forma dramática "o Santo Entrudo".

Um bom e divertido Entrudo a todos!

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Recordar o Carnaval na Escola Primária

Carnaval na Escola no ano de 1979

No dia 21 de Junho de 1959, foram inauguradas as "Escolas Novas". O edifício da Escola Primária de Forninhos também faz parte do plano de construções que o Governo definiu na época, todas com a mesma "fisionomia" e que ainda hoje se observa. Na fachada da frente, abertos para a rua, ficava o espaço dos recreios, onde todas as crianças corriam loucas de alegria.
Em 2006 a escola fechou, ainda assim durante os 47 anos escolares muitos de nós passamos por esta escola e jamais podemos esquecer as professoras primárias que nos ensinaram as primeiras letras, o quadro negro, o giz branco, as carteiras, a bata branca, a panela do leite, as brincadeiras sempre iguais e tanta, tanta coisa...
No ano de 1979, em vésperas de férias de Carnaval, sem escola da parte da tarde, a Professora Lurdes e o Professor Rocha, planificaram um concurso de melhor ensaiado. Como a imagem mostra, as crianças participantes nessa tarde iam e vinham da escola ensaiadas. As meninas usavam o traje folclórico, enquanto os meninos eram mais criativos e inventivos.
- E quem ganhou o concurso?
- O Jorge "taputa", ensaiado de mexicano ganhou o 1.º lugar.

Não sei se alguém saberá qual o fim destinado a este edifício, mas espero que o seu reaproveitamento seja útil e condigno.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

É Época do Melhor "Queijo da Serra"

Como estamos na epoca do melhor "Queijo da Serra", que com feiras ou sem elas, se pode comprar directamente aos produtores, ou nas casas de produtos regionais. E como a amiga Paula me disse para colocar a fotografia do anuncio, da primeira "Feira Concurso do Queijo da Serra" que se realizou em 1980, em Fornos de Algodres, aqui esta ela!

De facto nesses tempos como era concurso, essas feiras eram muito mais concorridas, pois todos queriam apresentar o melhor queijo, e embora houvesse tambem festa, era um certame diferente!

Presentemente os produtores sao cada vez menos, porque esta actividade nao agrada as novas geracoes, e alem disso é uma actividade cada vez menos rentavel, pois os produtores afirmam, que os preços sao os mesmos de há dez anos!

No entanto ainda que em menor numero, ainda existem alguns bons produtores, que normalmente nem necessitam de ir as feiras, porque ja tem toda a producao vendida, ainda antes de ser produzida!

O fim de semana passado foi a Feira de Castendo, (quero dizer Penalva do Castelo) no fim de semana do Carnaval, vai ser a "II Feira Regional do Queijo Serra da Estrela" em Gouveia, organizada por aquele Municipio e, por Fornos de Algodres e Seia, (para o ano sera em Fornos) realizando-se tambem em Celorico. No ultimo fim de semana de Fevereiro sera em Mosteiro, freguesia de Penaverde, concelho de Aguiar da Beira!

E uma excelente oportunidade, para virem ate a regiao da Serra da Estrela e vale do Alto Mondego, e nao se preocupem que se nao puderem ir as feiras, podem adquirir o saborosissimo "Queijo da Serra", ou "Queijo Serra da Estrela", como agora se diz, por exemplo no: "Gourmet do Agricultor", ou na "Naturfornos" em Fornos de Algodres por exemplo.
Desculpem so mencionar as casas comerciais da minha terra, o que sera compreensivel ou nao, mas na realidade nao conheco outras!

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Fotos antigas da Festa de Agosto

Depois da Procissão, a foto do costume nestas situações,

jovens forninhenses a conviver e os mais pequenos a presenciar este momento.

Queria recordar aqui um amigo, que há dias partiu, trata-se do Nel "Peleira". O Nel era uma pessoa de grandes qualidades humanas, muito simpática, popular e um bom amigo.
Até sempre Nel.

Quem reconhecer os outros jovens e os mais pequenos, poste nos comentários.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Para Quem Gosta de Queijo

Na nossa região fabrica-se queijo de ovelha nos meses que vão de Novembro a Abril. Depois da ordenha, pela acção do cardo, o leite coalha, i.é., transforma-se em estado pastoso tomando então o nome de coalhada. Para fazer o queijo, deita-se a coalhada no acincho colocado na francela. A coalhada, espremida no acincho fica mais compacta e liberta do soro, obtendo-se assim o queijo fresco. Para ganhar cor, é posto sal em volta, uma espécie de salmoura, durante 3 ou 4 dias para encascar, tornando-se com o tempo amarelado. Porque o frio é que o faz bom, o mais saboroso e manteigudo é o de Janeiro, que é vendido no mês de Fevereiro e na 1.ª quinzena de Março.
Agora a lenda.
Conta-se que há muitos anos, andava um dia um pastor com as suas ovelhas e passou por ele um outro rebanho conduzido por uma linda pastora. Encantado, pôs-se a segui-la de longe e assim andou todo o dia. Quando a noite chegou, deu conta que tinha perdido o odre de leite. Depois de procurá-lo durante os três dias seguintes, encontrou-o. Ao abri-lo, reparou que o leite se havia transformado numa espécie de massa branca coberta por um líquido amarelado. Cauteloso, provou um pouco daquela massa e gostou. E assim nasceu o famoso Queijo da Serra.

Fonte "A Lenda do Queijo da Serra": http://ofigueirola.blogspot.com/