Seguidores

sexta-feira, 29 de abril de 2011

A Rua do Outeiro

Como se de um sonho se tratasse recebi esta fotografia para recordarmos momentos de um tempo passado, de um lugar que foi um marco importante na história da aldeia e da minha vida, a tão conhecida ‘’Rua do Outeiro”, um local com passado e com história, uma rua que já foi cheia de vida. Mesmo não tendo vivido nesta rua, ela faz parte de mim. Como diria o Malato “já fui aqui muito feliz”. Tenho na minha mente boas lembranças desta gente sociável do Outeiro. No Verão quando as pessoas vinham passar férias juntava-se muita gente à noite, colocavam mantas no chão e partilhavam até às tantas as suas histórias de vida. Que pena sentir cada vez mais o silêncio nas ruas da nossa terra, pois cada vez há menos gente.

Foto: serip413

quarta-feira, 27 de abril de 2011

LARANJEIRAS FLORIDAS

Como estamos no final da floração das árvores de fruto e esta é das últimas a florir, vamos falar das laranjeiras em flor:

Esta árvore citrina, não é típica da nossa região, só vinga em lugares mais abrigados.

É uma árvore que se dá bem em clima temperado e húmido como é o sul do nosso país, aqui é frio e seco, no entanto, as pessoas gostam de ter uma no seu quintal; esta é do meu.

Hoje, o conhecimento está ao alcance de um clik, como todos sabemos, mas há coisas que não se conhecem com cliks ou enciclopédias, como o odor intenso destas flores, o zunidouro das abelhas em seu redor, o aroma agradável das folhas e a beleza destas árvores que não se despem de folhas e mantêm o seu fruto até ao novo ciclo.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Forninhos: Páscoa 2011

As minhas desculpas pela ausência, acontece que em Forninhos não houve internet nestes dias, dizem que por culpa de sobrecarga, pelo que não foi possível entrar neste espaço. Mas vi que o fermento dos bolos fez a participação aumentar.
Para este Post que intitulei "Forninhos: Páscoa 2011" escolhi alguns momentos para os que não puderam estar nesta Páscoa em Forninhos recordar, pois mesmo repetidos nos anos, nunca são iguais.


No Forno Grande assim começou o dia 23 de Abril de 2011 (Sábado)







As memórias do forno/ou/fornos davam uma enciclopédia. É um desafio que fica.


Os 3 momentos seguintes foram registados na freguesia de Dornelas e respeitam à Vigília Pascal que se celebrou pelas 21H00. Muitíssimos Parabéns à Comunidade Cristã de Dornelas, sem dúvida, uma das Celebrações mais bonitas a que assisti.


Apagaram-se as luzes e todos foram convidados a iniciar a celebração no adro da Igreja. O Sr. Pe. Paulo abençoou o fogo e as brasas e este fogo foi utilizado para o incenso da missa e foi aceso o círio pascal do ano 2011 depois de ser abençoado. O recém abençoado círio será utilizado todo o ano, nas várias celebrações, como baptismos, assim como a água benzida neste dia (Sábado Santo):



O círio representa Cristo que com a sua Ressurreição vem trazer a luz à terra.

No dia de Páscoa que este ano calhou no dia 24 de Abril, as pessoas começaram a chegar à Igreja, por volta das 13H30, para assistir à missa, ficando pelo adro a conviver.


O início da Procissão da Adoração do Santíssimo, aconteceu antes da celebração litúrgica, que foi celebrada pelo Sr. Pe. Paulo.


A vida é feita de pormenores com história e com gente que os protagoniza. A D. Augusta (Joana) alindou as janelas com as melhores colchas da casa para, assim, abençoar todos os passeantes.




Depois da missa iniciou-se a Visita Pascal pela freguesia






E...antes de partirem a sua caminhada pascal para o Bairro da Eira, sempre com boa disposição, o Sr. Pe. Paulo, o Sr. Adriano Moreira e restantes elementos (Marco, Miguel e Pedro) pousaram para a fotografia. Bem-Hajam!

quinta-feira, 21 de abril de 2011

FELIZ PÁSCOA 2011


A todos os Bloguistas, Amigos e Conterrâneos aqui ficam os nossos públicos desejos de Boa Páscoa. Divirtam-se com alegria com os amigos e família. Provem os gostos saborosos desta época. Apreciem a natureza que desponta com força e cor da Primavera.

FELIZ PÁSCOA 2011

terça-feira, 19 de abril de 2011

Forninhos à Noite

Estas fotos foram tiradas pelo Colaborador serip413 para apreciar o aspecto que a luz artificial confere à Igreja Matriz durante a noite:


A imagem a seguir foi tirada pelo Colaborador J Seguro. Uma imagem fotografada na Rua das Alminhas:

Fica o convite para nesta Semana Santa conhecerem a beleza desta aldeia à noite.

domingo, 17 de abril de 2011

Forninhos: Domingo de Ramos 2011

Hoje é Domingo de Ramos, um dos dias mais bonitos na aldeia, e como é de tradição o povo de Forninhos cumpriu, em comunidade, mais uma etapa da época da Páscoa que se vive. Ficam aqui algumas imagens para todos verem que a tradição não se perdeu de todo, ainda:


A visão de crianças a segurar ramos, trouxe-me à memória
o Domingo de Ramos da minha infância


Um grande ramo tradicional de loureiro


Neste dia os católicos levam para a missa um ramo,


de loureiro, alecrim e oliveira,


para ser abençoado pelo Sacerdote


O Sr. Padre Paulo dá início à cerimónia de bênção dos ramos


Jesus entrou na cidade de Jerusalém montado num burro,
aclamado pela população como o Messias, o Rei de Israel


"Hossana ao filho de David", Salva-nos filho de David,
gritava o povo sofrido à passagem de Jesus


Em procissão seguem para a Igreja,


onde assistem à Santa Missa

Após a missa, o ramo benzido era guardado em casa por detrás da porta da cozinha para em situação de forte trovoada servir de protecção. No entanto, no dia 3 de Maio, conhecido como Dia de Santa Cruz, há famílias que separam as pernadas do seu ramo e formam com elas uma Cruz que depois colocam nas terras de cultivo. Pôr cruzes nos campos cultivados é mais uma tradição que ainda se mantém em Forninhos.

Fotos: Domingo de Ramos, cortesia da família Lopes.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

As Galinhas, os Ovos e a Páscoa



Quem cresce na aldeia, sabe que as galinhas são quase omnipresentes. Qualquer família tem o seu galinheiro (poleiro como em Forninhos se dizia), com galinhas poedeiras que, regra geral, põem o seu ovo diário tão precisos agora na Páscoa para os bolos de azeite, pão-leve, biscoitos e doces caseiros. Estes animais domésticos têm muita importância nesta Quadra Festiva, ainda hoje as pessoas preferem os ovos caseiros, aos adquiridos nos mercados, provenientes de aviários.
Desde que me conheço, as galinhas e galos andavam em liberdade, à vontade, pelas ruas da aldeia, sempre a revolver a terra, desde que despertavam, bem cedo, até que recolhiam, também cedo. As galinhas fazem, pois, parte da nossa memória colectiva, que mais não seja quando se comia ao Domingo uma galinha (o galo era para dia de festa) e a saborosa carne tinha um sabor que ainda hoje se sente.
Outra imagem era as ninhadas de pintainhos. Hoje já se compram os pintos, frangos, para criarem, mas antes usava-se o processo primitivo: um certo número de ovos (tantos quantos possam ser cobertos pela galinha aninhada) que eram observados à luz do candeeiro e se, se descobriam manchas claras no interior, o ovo era rejeitado como estéril. Sem manchas, era aproveitado. Assim, escolhidos, eram os ovos postos em ninho de palha, dentro de um cesto, onde a galinha os chocava, tendo-se o cuidado de não a deixar fora muito tempo para não os deixar arrefecer. Ao cabo de três semanas nasciam os pintainhos. Primeiro aparecia o ovo “picado”, por onde saía a avezinha.


Fotografias: galinhas&pintaínhos, cortesia da Natália Cavaca.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Sacadas da casa típica de Forninhos

A casa típica de Forninhos, incluída na categoria de casa beirã, é caracterizada por ser construída de pedra granito, de rés-do-chão e um andar, funcionalmente distintos, com escada exterior e sacada ornamentada e protegida por grades de ferro que se engalanava com vasos de flores. Hoje, embora se tenham alterado os materiais, com a introdução do alumínio, do vidro, da introdução das marquises, ainda existem em Forninhos algumas casas possuidoras de lindas sacadas. De entre inúmeras escolhi meia dúzia que merecem ser apreciadas com um pouco de atenção:

Sacada com grade de ferro ornada com flores e 
tem esta casa bandeira nas portas igual

Sacada com grade de ferro suportada por cachorros com motivos

Sacada ornada com “vasos com flores” e peças com motivo de pinhas

Sacada em ferro com base em granito

Sacada com caracóis em ferro forjado pintada de preto e branco e peças brancas

Sacada com grade em ferro suportada por cachorros e peças brancas


Sacadas típicas da aldeia que ainda existem e resistem, feitas por profissionais, os pedreiros, para apreciar, hoje mais tristes, sem sardinheiras, sem brincos-da-rainha, sem manjericos.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Memórias: Fonte da Lameira

Para começar Abril, optei por uma imagem de um lavadouro/fontanário, artisticamente um dos mais bonitos, de Forninhos, muito vivo nas nossas memórias, pois ficava num local de passagem habitual de quem se dirigia para a escola e para a Igreja. Para a criançada da escola velha (e escola nova também) foi palco de muitas aventuras, traquinices e diversão. Todos nós já aqui bebemos água. Seja Verão ou Inverno todo o ano sai fresquinha, aliás, muitos forninhenses que vivem fora da freguesia, sempre que voltam, não regressam sem beber um pouco de água desta fonte a que dão o nome de fonte da Lameira, tanque da Lameira, fonte Velha. 
Nos anos 80 a Junta de Freguesia procedeu à sua cobertura, com estrutura em chapa ou em betão, o que em nada dignificou este nosso património rural. Pela importância que os fontanários tiveram noutros tempos e pelo significado que ainda têm, importa, pois, que haja nas pessoas e sobretudo nos representantes desta terra a sensibilidade necessária à valorização deste fontanário que faz parte do património desta terra e da sua população, que tão pouca atenção tem merecido.
Este monumento público foi erigido de acordo com o estilo que o Governo de Salazar definiu na época.