Seguidores

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

O rio vai cheio

Este Inverno está a ser muito rigoroso...
com muito frio e também chuva...


Falar do frio que se fez sentir nos últimos dias e da chuva, são temas aparentemente banais, mas que fazem também parte da nossa vivência.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Forninhos: quelha da Chica e uma arte antiga


Para ajudar a reflectir sobre o que aconteceu a uma das nossas mais queridas ruas, e porque outra idêntica fotografia e/ou documentos não devem existir, aqui fica uma foto tirada na quelha "da Chica" (que terá uns 25, máximo, 30 anos), bem como a imagem de uma arte antiga – a arte de trabalhar a madeira, mais que não seja para informar os mais jovens da nossa terra, o que foi Forninhos em tempos recuados e o que encontramos hoje em dia. Aqui o Carpinteiro faz um carro de bois e pelo decorrer do dia é possível que ainda conserte outras coisas. O tempo não volta para trás...mas Recordar é Viver!
A foto pertence ao arquivo de JSeguro.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Alecrim - Planta da Alegria

"Alecrim, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado...." Quis pois a tradição que se fizesse uma música sobre a planta que hoje decidi mostrar-vos - o Alecrim, que significa Alegria.

Conheça mais sobre esta planta, que surge um pouco durante todo o Inverno e parte da Primavera.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Alecrim

Sorrir, sonhar, viver plenamente! Todos deveriam seguir estas três regras! Seria tudo bem mais fácil. Bom fim-de-semana, beijos, com aroma de alecrim!!:))

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Quarta-Feira de Cinzas

‘Lembra-te que do pó viestes e ao pó, hás de retornar.’


Nos meus tempos de garota, na quarta-feira de cinzas não comia carne e, durante a quaresma, havia mais dias em que também não me era permitido comer carne – eram as sextas-feiras.
Também jogava ao pelão e à reza, para depois receber as amêndoas no dia de Páscoa. Nas vésperas da aleluia, andávamos sempre a ver quem é que perdia as amêndoas. Por isso, escondia-mo-nos debaixo de telha, porque aquela que primeiro deitasse a reza era quem ganhava as amêndoas. Numa comunidade pequena como a nossa foi uma pena terem deixado morrer o jogo da "reza" que mais que ganhar umas amêndoas proporcionava verdadeiros momento de amizade, laços fortes entre o grupo que jogava. Um dos jogos que se vai mantendo parece que é o jogo da panelinha (na 2.ª Feira de Páscoa).
Um aparte, penso ser intenção do actual executivo da Junta de Freguesia de Forninhos a criação de um dia da freguesia para realização, este ano, de diversas actividades o que a, a meu ver, poderá ser o dia "D" para retomar alguns jogos tradicionais que aos poucos foram desaparecendo.
Também gostava muito da Procissão de Ramos, da preparação do meu ramo, enfeitado com laranjas, rebuçados, alecrim e loureiro, que depois seria benzido.
Embora já um pouco longe, também me lembro da tradição de "Cantar às Alminhas" nas sextas-feiras da quaresma, onde se percorria todos os cruzeiros, com uma cruz:


À porta das Almas Santas
Bate Deus a toda a hora
Almas Santas lhes respondem
Que quereis meu Deus agora

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Festa de Carnes e Enchidos








Tal como já aqui publicado, decorreu ontem na freguesia de Forninhos a Festa de Carnes e Enchidos. De um modo especial, para os que não ali estiveram e para os que ali gostariam de ter estado, aqui deixo algumas das muitas fotografias que me fizeram chegar.

Obrigadinha :))

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Do Baú de Memórias - Morcelas


Esta fotografia que hoje recuperamos do "baú de memórias" está carregada de significado. Não estou a falar propriamente da foto, mas daquilo que nos permite constatar. A minha proposta de hoje é que as gerações mais novas olhem para o passado e possam compreender melhor o presente.
Aproveito esta entrada, para agradecer àqueles que me enviam fotografias que me/nos ajudam a preencher todas as semanas este espaço de verdadeira história. A foto aqui reproduzida pertence ao Arquivo de JSeguro e é o testemunho de que apesar de muitos anos passados, se quisermos reunir todos os costumes tradicionais (descrevendo-os num blog), quando menos se espera as coisas surgem. A TODOS UM MUITO SINCERO OBRIGADA.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Arrematações - Domingo Gordo (14/Fev)

Quem não se lembra das arrematações feitas no final da missa, a favor do Santíssimo, onde o arrematador levantava as chouriças e perguntava “Quem dá mais?”
Pois é...são sinais de um tempo que ainda hoje nos faz companhia. Este ano será realizada uma festa para arrematação de carnes e enchidos, no Largo da Lameira (se o tempo assim o permitir), no dia 14.02.2010 (Domingo Gordo), da parte da tarde (14h00) e é esperada uma grande participação não só de forninhenses, mas também de gente das povoações vizinhas.
A todos aqueles que idealizaram, incentivaram e pensaram na realização de um evento desta natureza, digno de registo para a nossa Freguesia, pois divulga a nossa terra, os nossos produtos endógenos, a nossa cultura e o nosso património natural e cultural um muitíssimo BEM-HAJA!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Entrudo ou Carnaval?

Entrudo ou Carnaval? Penso que uma e outra coisa é a mesma coisa, já que a origem de ambos os termos, nos levam e nos fazem depender da Páscoa, senão vejamos:
Entrudo ou Entroido, o termo tem origem no latim “introitu” e que significa “entrada” no período pascal em que se diz adeus à carne ou adeus carne, que em latim se dizia “carne, vale” que é precisamente onde tem origem o termo Carnaval.

Mas eu vou referir-me ao Entrudo porque acho que está mais associado às nossas tradições antigas, como às brincadeiras sujas com água, farinha, ovos, carvão, às caras tapadas (para não serem conhecidos), homens vestidos de mulher, roupas dos pais ou avós que se adaptavam, vestindo-nos de forma trapalhona e o mais disfarçada, cómica ou assustadora possível e... dizem os mais antigos, das famosas “Quintas-Feiras das Comadres e dos Compadres”, tradição peculiar da cultura popular forninhense que, entretanto, actualmente já não prevalece :(
O fim desta festividade termina com o enterro trágico do “Santo Entrudo”, uma tradição nacional, mas que na nossa aldeia sempre foi protagonizada pelo tio Zé Coelho. O tio Zé Coelho é um digno Rei do Entrudo Forninhense, que com a sua alegria, folia, contagiou e contagia gerações de forninhenses e que na noite de Terça-Feira de forma dramática enterra o Entrudo para então se entrar na Quarta-Feira de Cinzas e na Quaresma.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

As Feiras do Queijo da nossa Região



A "XIX Feira/Festa do Pastor e do Queijo" irá realizar-se na vizinha vila de Penalva do Castelo no próximo dia 5 de Fevereiro de 2010, outras iniciativas terão lugar até ao dia 8 [ligação]

Também Fornos de Algodres antecipa-se este ano aos municípios vizinhos e promove, no Domingo, a sua tradicional Feira do Queijo Serra da Estrela. O certame decorre no mercado municipal, palco também da XV Mostra do Cão Serra da Estrela, bem como de uma exposição de artesanato e das freguesias. A animação está a cargo da Associação de Cantadores ao Desafio e Tocadores de Concertinas da Beira Alta e do grupo local "Os Capelenses". Agendadas estão já as feiras de Gouveia (16 a 20 de Fevereiro), Seia (dia 17) e Celorico da Beira (dias 23 e 24).
http://www.cm-fornosdealgodres.pt/nt_147.php
Aguiar da Beira, promove o 2.º passeio de BTT, Rota do Cabicancahttp://www.cm-aguiardabeira.pt/portal/page?_pageid=280,1,280_6232511&_dad=portal&_schema=PORTAL

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

O que devíamos preservar

Porque este Blog é um acérrimo defensor das tradições, há que despertar consciências (antes que seja tarde demais) para a necessidade de preservar a nossa identidade. A nossa aldeia é para muitos de nós um ponto de referência, um elemento crucial de identificação, tanto para os que lá nasceram e de lá partiram, como para os que, não tendo nascido lá, traçam a sua genealogia a partir de quem lá nasceu, viveu e morreu. Mas isso só é possível porque a aldeia tem uma identidade própria, uma história, um passado com memória, mitos, lendas, festas e romarias, usos e costumes e um sem número de pequenas especificidades, que lhe emprestam um carácter e encanto únicos.

A fotografia que aqui Vos apresento, respeita a uma das ruas mais antigas da nossa aldeia: a Rua do Lugar, cuja calçada, na minha opinião, deveria ter sido preservada.